A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
MODELO - AÇÃO DE ALIMENTOS AVOENGOS

Pré-visualização | Página 1 de 2

MODELO
AÇÃO DE ALIMENTOS AVOENGOS
EXCELENTÍSSIMO(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA XXX VARA CÍVEL DA COMARCA DE XXX, ESTADO DE XXX.
XXX, menor, impúbere, neste ato representado (a) por seu (sua) genitor (a) XXX, brasileiro (a), estado civil, profissão, portador (a) do RG nº XXX, inscrito (a) no CPF nº XXX, residentes e domiciliados na rua XXX, nº XXX, bairro, cidade, estado, CEP nº XXX, endereço eletrônico xxx@xxx.com, vem, por intermédio de seu (sua) advogado (a), Dr. (a) XXX, inscrito (a) na OAB/UF sob o nº XXX, com escritório profissional na Rua XXX, nº XXX, bairro, cidade, estado, CEP nº XXX, qualificado (a) na procuração anexa, que, ao final, subscreve, com o devido respeito, à presença de Vossa Excelência, propor a presente AÇÃO DE ALIMENTOS AVOENGOS em caráter complementar e subsidiário em face de XXX e XXX, brasileiros, estado civil, portadores do RG nº XXX e nº XXX, inscritos no CPF nº XXX e nº XXX, respectivamente, residentes e domiciliados na rua XXX, nº XXX, bairro, cidade, estado, CEP nº XXX, endereços eletrônicos xxx@xxx.com e xxx@xxx.com, XXX e XXX, brasileiros, estado civil, portadores do RG nº XXX e nº XXX, inscritos no CPF nº XXX e nº XXX, respectivamente, residentes e domiciliados na rua XXX, nº XXX, bairro, cidade, estado, CEP nº XXX, endereços eletrônicos xxx@xxx.com e xxx@xxx.com..
A parte autora, inicialmente, e com a intermediação de sua bastante procuradora subscrita e já devidamente qualificada nos autos, postula os beneplácitos da gratuidade da justiça, previstos, do art. 5º, CF/88, inciso LXXIV, e do artigo 4°, Lei nº. 1060/50, parágrafo único, em razão de não ter condições de arcar com as despesas processuais e com os honorários advocatícios sem prejuízo do sustento próprio e de sua família, estando, assim, enquadrado na situação legal de necessitados, vem, perante Vossa Excelência requer:
DOS FATOS
O (A) menor XXX, nasceu de um relacionamento afetivo de XXX e XXX. O (A) menor mora com sua genitora, na casa de seus avós maternos, os quais arcam com todas as despesas. Diante do fato do genitor encontrar-se fora do país, em lugar incerto e não sabido, e da incapacidade financeira da genitora, sendo ela ainda estudante e depender dos pais para sua própria subsistência, não podendo, portanto, arcar com as despesas da menor que gira em torno de R$ XXX,00 (VALOR POR EXTENSO). Para tanto, se faz necessário, o acionamento dos avós, para que, no limite de suas possibilidades, possam complementar a obrigação do pátrio poder e ajudar no seu sustento.
DOS FUNDAMENTOS JURÍDICOS
A Constituição Federal atribui aos familiares a obrigação de manter seus entes. Deveres dos pais para com seus filhos e dos filhos para com seus pais. Este dever esta citado em dois artigos, no “caput” do 227, diz, “É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade” e “colocá-los a salvo de toda forma de negligência” e no Art. 229, “Os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores, e os filhos maiores têm o dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou enfermidade.”
Este assunto também vem alencado nos arts. 3º e 4º do Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA com o mesmo teor.
O Código Civil descreve a possibilidade de chamar os avós, à Ação de Alimentos, para complementar a obrigação de alimentos, ao lhe atribuir os deveres decorrentes do poder familiar, essa obrigação será distribuída em cotas entre os avós, paternos e maternos, solidariamente:
Art. 1698. Se o parente, que deve alimentos em primeiro lugar, não estiver em condições de suportar totalmente o encargo, serão chamados a concorrer os de grau imediato; sendo várias as pessoas obrigadas a prestar alimentos, todas devem concorrer na proporção dos respectivos recursos, e, intentada ação contra uma delas, poderão as demais ser chamadas a integrar a lide.
Existe diferença entre a obrigação alimentar, que provem do parentesco, e o dever de sustentar, de onde se origina o poder familiar. Podemos constatar nos ensinamentos de Cahali. 
A doutrina de maneira uniforme, inclusive com respaldo na lei, identifica duas ordens de obrigações alimentares, distintas, dos pais para com os filhos: uma resultante do pátrio poder, consubstanciada na obrigação de sustento da prole durante a menoridade; e outra, mais ampla, de caráter geral, fora do pátrio poder e vinculada à relação de parentesco em linha reta. (2002, p.525).
 Mesmo sendo, primordialmente, dos genitores a obrigação de prover o sustento dos filhos, é possível recorrer aos avós, se for comprovada a impossibilidade, do pai e da mãe, conforme entendimento do Tribunal de Justiça - RS, em seu recente julgado (Apelação Cível Nº 70068127174, Sétima Câmara Cível):
	Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. FIXAÇÃO DE ALIMENTOS AVOENGOS. SUBSIDIARIEDADE. A obrigação alimentar dos avós é subsidiária e complementar a dos pais, só se justificando na impossibilidade de ambos genitores arcarem com as necessidades básicas dos filhos. Conclusão n. 44 do Centro de Estudos TJ/RS. Sentença de improcedência mantida. Apelação cível desprovida. (Apelação Cível Nº 70068127174, Sétima Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Jorge Luís Dall'Agnol, Julgado em 16/03/2016)
	Data de Julgamento: 16/03/2016
	
	Publicação: Diário da Justiça do dia 21/03/2016
DOS PEDIDOS
Diante do foi exposto, requer a Vossa Excelência que se digne de:
a) DEFINIR, a concessão de benefício de assistência judiciária gratuita pela devida comprovação que foi realizado pela parte autora de que é considerada pobre na forma da Lei nº. 1060/50, artigo 4º, parágrafo único e nos termos do artigo 5°, inciso LXXIV da C/88. 
b) FIXAR a Pensão Alimentícia Provisória, no valor de R$ XXX,00 (VALOR POR EXTENSO) sendo o valor dividido em cotas de R$ XXX,00 (VALOR POR EXTENSO) para cada um dos avós, de acordo com art.4º da Lei 5478/68, a ser depositado na conta nº XXX, banco XXX, agência XXX em nome da representante da menor, até a data determinada de cada mês.
c) CITAR os avós, para que compareçam à audiência de conciliação, a ser designado por este juízo, conforme art. 5ºda Lei 5.478/68, onde, se quiser poderá oferecer resposta, sob pena de ser declarado, a revelia dos demandados.
d) INTIMAR o doutor representante do Ministério Público com atribuições perante esse juízo para intervir no feito.
e) JULGAR TOTALMENTE PROCEDENTE, a ação, convertendo POR SENTENÇA, os alimentos provisórios em definitivos, no valor de valor de R$ XXX,00 VALOR POR EXTENSO) mensais, sendo dividido em cotas de R$ XXX,00 VALOR POR EXTENSO) para cada um dos avós a serem depositados conforme já descriminado no item “b”.
f) CONDENAR, os requeridos ao pagamento de verbas de sucumbência, conforme art.85 do CPC, ou seja, honorário advocatício e custas estes na base de 20% sob o valor da condenação, os quais deverão ser revertidos a Defensoria Pública Geral do estado, por meio do banco, agência, conta, tudo de conformidade com a Lei 1146/87.
Por fim, requer que seja oficiado o Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS para que informe se os avós da autora recebem aposentadoria ou algum outro benefício, indicando o respectivo valor.
Protesto provar e produzir todos os meios de provas admitidos em direito, especialmente por meio de documentos e depoimento pessoal das partes e de testemunhas que compareceram ao feito no dia e hora aprazados. 
Dá-se a causa o valor de R$ XXX,00 (VALOR POR EXTENSO).
Nestes termos pede deferimento.
Cidade, data.
___________________________
Advogado (a)
OAB/UF nº XXX
MODELO
 
AÇÃO DE ALIMENTOS AVOENGOS
 
 
 
 
EXCELENTÍSSIMO
(
A) JUIZ
(
A) DE
 
DIREITO DA 
XXX
 
VARA CÍVEL DA 
COMARCA DE 
XXX
, ESTADO DE 
XXX
.
 
 
 
XXX
, 
menor, impúbere, neste ato
 
representad
o (
a
)
 
por 
seu (
sua
)
 
genitor
 
(
a
)
 
XXX
, 
brasileir
o 
(
a
)
, 
estado civil
, 
profissão
, portador
 
(
a
)
 
do RG nº 
XXX
, 
inscrit
o (
a
)
 
no CPF nº 
XXX
, 
residentes e domiciliad
os
 
na rua 
XXX
, nº 
XXX
,