A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
789 pág.
fichas de odonto - segunda edição

Pré-visualização | Página 5 de 50

e a parte 
mais profunda na rafe pterigomandibular. Agulha acima dos molares.Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Bloqueio do Nervo Bucal
ÁREAS ANESTESIADAS - Tecidos moles 
vestibulares e periósteo bucal da região de 
molares inferiores.
TÉCNICA: Agulha longa (calibre 25). Área de 
introdução: Membrana mucosa distal e 
vestibular, até o molar mais distal no arco. 
Bisel voltado para o osso durante a injeção. 
Introduzir a agulha na mucosa vestibular 
distal do molar mais distal presente no 
arco mandibular.
Bloqueio do nervo incisivo ou do esfenopalatino.
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Bloqueio do Nervo Mentoniano
ÁREAS ANESTESIADAS - Mucosa da boca 
anterior ao forame mentoniano(ao redor do
segundo pré-molar) até a linha média e pele
do
TÉCNICA: TÉCNICA: Agulha curta (calibre 
25 ou 27). Área de introdução: Prega muco 
vestibular no forame mentoniano ou 
imediatamente anterior a ele. Bisel voltado 
para o osso.Perfurar a mucosa no local da 
injeção no canino ou 1ºPM, orientando a 
seringa para o forame mentoniano.
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Bloqueio do Nervo Incisivo
ÁREAS ANESTESIADAS - Mucosa vestibular 
anterior ao forame mentoniano(ao redor do
segundo pré-molar) até a linha média, lábio 
inferior e pele do mento, fibras nervosas 
pulpares para os pré-molares, caninos e 
incisivos.
TÉCNICA: TÉCNICA: Agulha curta (calibre 
25 ou 27). Área de introdução: Prega muco 
vestibular no forame mentoniano ou 
imediatamente anterior a ele. Bisel voltado 
para o osso. Perfurar a mucosa no local da 
injeção no canino ou 1ºPM, orientando a 
seringa para o forame mentoniano.
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Bloqueio do Nervo Lingual
ÁREAS ANESTESIADAS - 2/3 anteriores da 
língua, assoalho bucal, tecidos moles línguais
e periósteo de toda a hemi-arcada.
TÉCNICA: Introduzir a agulha na posição 3/4
entre a borda anterior do ramo da mandíbula e
a rafe pterigomandibular (para o bloqueio do 
alveolar inferior), encostar no osso e recuar 1mm
para o bloqueio do nervo lingual na mesma região.
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Técnica de Vazirani-Akinose
NERVOS ANESTESIADAS - 
1.Alveolar inferior 
2. Incisivo 
3. Mentoniano 
4. Lingual
5. Milo-Hióideo
Técnica de boca fechada da mandibula.
Indicação: Aberturamandibular limitada.
x
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Paciente Gestante
ATENÇÃO!
máximo de dois tubetes por secção!
Anestésico indicado é a 
LIDOCAINA!
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Cirurgia
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Classicação da pressão arterial
Classificação
Normal
pré-hipertensão/
elevada*
Hipertensão
estágio 1
Hipertensão
estágio 2
Hipertensão 
estágio 3
(SBC, 2016)
≤ 120 e 
80mmHg
121-139 e 
81-89mmHg
140-159 e ou
90-99mmHg
160-179 e ou
100-109mmHg
≥180 e ou
110mmHg
(AHA, 2017)
≤ 120 e 
80mmHg
120-129 e 
<80mmHg
130-139 e ou
80-89mmHg
≥140 e ou
90mmHg
NÃO EXISTE
A SBC, 2016 classifica como pré-hipertensão
enquanto a AHA, 2017 utiliza o termo elevada. 
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Classicação ASA
Classificação
ASA I
ASA II
ASA III
ASA IV
ASA V
ASA VI
Classificação pela Amercian Society of Anesthesiologists
Paciente saudável, sem alterações fisiológicas ou orgânicas
Paciente portador de doença sistêmica moderada ou 
fatores de risco (obesidade, tabagismo, etilismo, pacientes
idosos). 
Paciente com doença severa, que limita as atividades, mas
não incapacita.
Paciente portador de doença severa incapacitante, com 
constante ameaça a vida.
Paciente moribundo, de que não se espera a sobrevivência 
por um período de 24h, com intervenção cirúrgica.
Paciente com morte cerebral. 
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Instrumentos Cirúrgicos
São procedimentos ou manobras consecutivas realizadas pelo C-D.
1 - DIÉRESE: (Dividir, cortar e separar). Se classifica em MECÂNICA e FÍSICA. 
Mêcanica, pode ser: Incisão, punção, divulssão, curetagem, dilatação e 
deslocamento. Física pode ser: Términa, crio ou laser.
 Processo pelo qual se previne, detém ou impede o 2 - HEMOSTASIA:
sangramento. Pode ser: Prévia, temporária ou definitiva.
3- EXÉRESE: Tempo cirúrgico fundamental, onde efetivamente é realizado o 
tratamento cirúrgico visando o diagn´sotico, controle ou a resolução da 
intercorrência.
 (Junção, união) Aproximar ou coaptar bordas de uma lesão. Pode 4 - SÍNTESE:
ser: 
I) Cruenta (União por sutura) II) Incruenta (Bordas unidas por materail. Ex:Gesso) 
III) Imediata (A união é feita após a cirurgia) IV) Mediata (A união é feita após algum tempo) 
V) Completa VI) Incompleta(com dreno).Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Instrumentos Cirúrgicos
INSTRUMENTAL DE EXAME - Espátula de madeira, odontoscópio (espelho), 
pinça clínica, sonda periodontal.
Seringa carpule, seringa hipodérmica de INSTRUMENTAL DE ANESTESIA - 
plástico ou de vidro, cotonete de madeira.
 Corte ou divulsionamento dos tecidos. INSTRUMENTAL DE DIÉRESE -
EX: Bisturi.
 Remover total ou parcialmente um tecido.INSTRUMENTAL DE EXÉRESE -
Ex; Saca bocados (alveolótomo), fórceps, biópsia incisional. 
Unir o tecido. Ex: Agulha, fio de sutura INSTRUMENTAL DE SÍNTESE - 
(pré-montado na agulha ou não montado), porta agulha, pinça. 
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Retalhos Cirúrgicos
É considerado um retalho cirúrgico uma porção de tecido delimitado por incisões.
São princípios do retalho:
1) O ápice do retalho nunca deverá ser maior 
que sua base. 
2) Em geral, a extensão de um retalho não deve 
ser maior que duas vezes a largura da base.
3) Quando possível, deve-se incluir um suprimento 
sanguíneo axial na base do retalho.
4) A base do retalho não deve ser excessivamente 
torcida ou distendida.
5) O retalho deve ser realizado em osso sadio.
6) Evitar dilaceração. Deve-se realizar o retalho no 
tamanho ideal.
Em retalhos cirúrgicos em 
geral, a medida da base do 
retalho (x) não deve ser 
menor do que a medida da 
altura (y) e, preferencial-
mente, a dimensão do 
retalho deve ser x = 2y.
X
Y
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
1) O ápice do retalho nunca deverá ser maior que sua base. Pois isso prejudica 
a nutrição da região e pode levar a necrose. 
Retalhos Cirúrgicos
X
BASE
ÁPICE
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Tipos de Incisões
Os retalhos intra- bucais podem ser do seguintes tipos:
I) Retalho triangular ou 
de Newman. II) Newman modificado IiI) Incisão semilunar – 
Partsch
IV) Incisão de Wassmnund
(Realizado acima da linha 
muco-gengival da arcada superior 
com duas incisões relaxantes laterais).
V) Incisão semilunar – Partsch
IV) Incisão em duplo Y
Licenciado para Laisa Brito Soares - 05802793325 - Protegido por Eduzz.com
Fios de Sutura - Síntese 
“O termo sutura é usado para designar todo material utilizado para ligar vasos
sanguíneos ou aproximar tecidos’’. Os fios de sutura podem 
ser classificados como: não - absorvíveis ou absorvíveis, 
monofilamentado ou multifilamentados