A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
INTRODUÇÃO , FUNÇÃO E ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Pré-visualização | Página 5 de 5

associação ou fundação). Obs: 
Não há regra que determine a forma jurídica do SSA. Podem assumir o formato de 
fundação ou associação ou formato jurídico especial, insuscetível de perfeito 
enquadramento nas categorias previstas no Código Civil. 
3) Regidos pelo Direito Privado com a incidência das normas de Direito Público 
previstas na lei autorizativa 
4) Criados por entidade civil: corporação representativa de setor da economia, mediante 
autorização legal 
5) Vinculam-se ao órgão da administração direta relacionado com suas atividades para 
fins de controle finalístico e prestação de contas dos recursos públicos recebidos para 
sua manutenção. A vinculação com o Poder Público é diferenciada das entidades da 
administração indireta. 
6) Não estão sujeitos a realização de concurso público, tampouco estão sujeitos à Lei nº 
8.666/93 (licitações e contratos). Leis mais recentes de SSAs estabeleçam a exigência 
de regulamento próprio de compras. (RE 789874, Rel Min Teori Zavascki Julg em: 17 
set 14): 
“Por unanimidade, o STF decidiu que o Serviço Social do Transporte (Sest) não está 
obrigado a realizar concurso público para a contratação de pessoal. O relator do (RE) 
789874, ministro Teori Zavascki, sustentou que as entidades que compõem os serviços 
sociais autônomos, por possuírem natureza jurídica de direito privado e não integrarem 
a administração indireta, não estão sujeitas à regra prevista no artigo 37, inciso II da 
Constituição Federal, mesmo que desempenhem atividades de interesse público em 
cooperação com o Estado”. (MS 33442, Rel Min Gilmar Mendes, decisão liminar de 13 
mar 15): 
O ministro Gilmar Mendes suspendeu decisão do TCU que determinava ao Serviço 
Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) a inclusão, em seus editais de licitação, 
de dispositivos previstos na Lei 8.666/1993, que trata de normas para licitações e 
contratos da administração pública. A decisão foi tomada na análise da medida cautelar 
no Mandado de Segurança (MS) 33442. Precedente: ADI 1864. 
7) Mantido por contribuições parafiscais, conforme previsão da lei autorizativa. 
Tributos advindos do setor privado (as empresas), os quais incidem sobre a folha de 
salários das empresas pertencentes à categoria correspondente e se destinam a financiar 
atividades que visem ao aperfeiçoamento profissional e à melhoria do bem estar social 
dos trabalhadores. 
8) Prestam serviços de formação profissional diretamente aos trabalhadores do setor 
tributado 
9) Patrimônio constituído por doações e legados. 
Obs: Em caso de extinção, o patrimônio deve ser revertido para as entidades 
instituidoras, na forma estabelecida no estatuto. 
10) Não se submete a regras do regime administrativo, apenas ao controle da aplicação 
dos recursos de origem pública, por força do art. 70 da CF (sofre controle da CGU e do 
TCU). 
11) Possuem representação jurídica própria (não é representada pela AGU). 
12) Não estão obrigados à observância dos princípios constitucionais da Administração 
Pública (mas seus agentes respondem por improbidade administrativa e ilícitos penais, 
equiparados a agentes públicos). 
13) Observa a legislação privada, inclusive no que se refere ao regime de pessoal 
(regime celetista), ao processo de compras de bens e serviços e de contabilidade e 
finanças com as derrogações impostas na lei autorizativa, quando houver. 
14) Possuem Imunidade tributária, quando enquadrados nos casos contemplados no art. 
150, inciso VI, alínea “c” da CF 
15) Tem estrutura e cargos estabelecidos na forma do estatuto social 
16) Não possuem privilégios processuais (AI nº 841548/PR) e a competência para 
apreciar questões judiciais é da justiça estadual (Súmula 516 do STF: "O Serviço Social 
da Indústria - SESI - está sujeito à jurisdição da Justiça Estadual“).