A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
DURAÇÃO DAS FÉRIAS DO EMPREGADO CONTRATADO A TEMPO PARCIAL

Pré-visualização | Página 1 de 1

DURAÇÃO DAS FÉRIAS DO EMPREGADO 
CONTRATADO A TEMPO PARCIAL 
 
Considera-se trabalho em regime de tempo parcial aquele cuja duração não exceda a vinte e cinco horas 
semanais. Os trabalhadores contratados sob o regime de tempo parcial têm duração das férias distinta, 
na seguinte proporção: 
 
Duração do trabalho semanal Duração do período de férias 
Superior a 22 h, até 25 h 18 dias 
Superior a 20 h, até 22 h 16 dias 
Superior a 15 h, até 20 h 14 dias 
Superior a 10 h, até 15 h 12 dias 
Superior a 5 h, até 10 h 10 dias 
Igual ou inferior a 5 h 8 dias 
 
O número de dias que o trabalhador contratado a tempo parcial terá de férias é estabelecido em razão 
do número de horas trabalhadas na semana, isto é, em razão de sua jornada semanal de trabalho. 
Quanto maior sua jornada semanal de trabalho, maior o período de férias. Ao contrário dos 
trabalhadores em geral, o número de faltas no período aquisitivo não é o fator determinante para a 
duração das férias do empregado submetido a regime de tempo parcial. As faltas só influenciarão se 
forem superiores a 7 (sete), no respectivo período aquisitivo. Se o empregado tiver até sete faltas, estas 
não prejudicarão em nada suas férias. Porém, se forem mais de sete, reduzirão a duração das férias à 
metade, seja qual for a sua jornada semanal de trabalho. Vale enfatizar: o empregado contratado sob o 
regime de tempo parcial que tiver mais de sete faltas injustificadas ao longo do período aquisitivo terá o 
seu período de férias reduzido à metade. Não perderá suas férias, estas apenas serão reduzidas pela 
metade. Por exemplo, se o empregado sujeito a trabalho semanal de 20 h tiver 8 ou mais faltas durante 
o período aquisitivo, suas férias terão a duração de apenas 7 dias; se o empregado que 
cumpre trabalho semanal de 25 h tiver 8 ou mais faltas ao trabalho durante o período aquisitivo, só terá 
direito a 9 dias de férias. O empregado contratado a tempo parcial não poderá converter parte 
de suas férias em abono pecuniário, nem no caso de férias coletivas (CLT, 
art. 143, § 3.°). A tabela de férias aplicável aos contratos a tempo parcial (CLT, art. 130- A) está em 
conformidade com a Convenção n.° 132 da OIT, visto que esta admite a proporcionalidade na duração 
do período de descanso conforme o tempo trabalhado durante a aquisição do direito às férias (art. 4.°, 
item 1 da Convenção n.° 132).

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.