A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Os Contratualistas (Hobbes, Locke, Rousseau, Kant, Rawls)

Pré-visualização | Página 1 de 2

os contratualistas 1
os contratualistas
são filósofos que escreveram, principalmente, entre o século XVI e o XVIII; 
acreditavam que o Estado surgira por uma escolha desses indivíduos por 
meio de um contrato;
 - humanos vivem naturalmente num estado sem regulação → contrato 
hipotético entre os homens → a sociedade como produto da vontade humana.
o Estado, segundo eles, é fruto de uma deliberação racional, de uma 
escolha humana
PONTOS COMUNS
 - todos partem da premissa de que existe um estado de natureza (um 
contexto em que não há um Estado)
 - todos justificam que, em algum momento, as pessoas celebraram um 
contrato social (hipotético), com o intuito de resolver alguns problemas que 
começam a aparecer nesse estado de natureza.
CONTEXTO HISTÓRICO iluminismo (valorização da razão humana; ser 
humano colocado no centro do sistema; indivíduos como protagonistas, 
eles que definem se vai ter Estado e como ele vai ser.
3 MOMENTOS IMPORTANTES estado de natureza → celebração do 
contrato → o Estado.
thomas hobbes
CONTEXTO viveu na Inglaterra de 15881679, pré revolução gloriosa (leva 
ao fim do absolutismo na Inglaterra), muita guerra, olhando para a Europa 
continental e vê que os países que tem governos absolutistas tem 
expansão econômica e sem conflitos internos; escreve para pessoas que 
ainda percebiam o homem como um ser social e político que só existia por 
inteiro dentro do Estado; primeiro principal filósofo contratualista.
ESTADO NATURAL guerra de todos contra todos
 - “a diferença entre um e outro homem não é suficientemente considerável 
para que qualquer um possa com base nela reclamar qualquer benefício a que 
os contratualistas 2
outro não possa também aspirar” - as pessoas não são diferentes o suficiente 
para se colocarem umas acima das outras (isso no contexto do estado de 
natureza)
 - a atitude mais racional é atacar o outro, pois você não consegue prever o 
que vai acontecer ou o que o outro pode fazer onde não há regulação (guerra 
de todos contra todos)
 - as pessoas são essencialmente egoístas e potencialmente violentas
 - para não viver mais em estado de guerra, as pessoas vão transferir seus 
problemas e liberdades ao Estado; para que o Estado consiga administrar o 
estado natural, ele precisa ser muito poderoso
 - homem é um ser racional que percebe, com sua própria razão, que é melhor 
entregar suas lierdades para um poder soberano absoluto.
DUAS PRINCIPAIS LEIS DA NATUREZA
 - 1. todo homem deve se esforçar pela paz, na medida em que tenha 
esperança de consegui-la, e caso não a consiga pode procurar e usar todas as 
ajudas e vantagens da guerra
 - 2. que um homem concorde, quando outros também o façam, e na medida 
em que tal considere necessário para a paz e para a defesa de si mesmo, em 
renunciar a seu direito a todas as coisas, contentando-se, em relação aos 
outros homens, com a mesma liberdade que aos outros homens permite em 
relação a si mesmo (todo mundo deve querer a paz, mas se você não 
conseguir essa paz, você pode fazer qualquer coisa para conseguí-la; se for 
necessário para garantir a paz, abrir mão de todas as suas liberdades)
GARANTIA DAS LEIS DA NATUREZA as nossas paixões naturais nos levam 
à parcialidade, orgulho, etc; essas leis da natureza por si só (sem um poder 
para fazer elas valerem) não existem
 - ESTADO responsável por garantir as leis da natureza; o povo autoriza o 
Estado a fazer tudo que for necessário para garantir que as leis da natureza 
sejam cumpridas.
 - é o soberano que decide como a propriedade é distribuída
LEGITIMIDADE DO ESTADO o que faz o Estado perder a legitimidade é 
parar de garantir a paz e a segurança.
CRITICADO POR 
os contratualistas 3
 - Estado com poderes absolutos; muito criticado por achar q o homem é 
naturalmente mau
 - criticado pela burguesia por atribuir as responsbilidades ao estado
john locke
CONTEXTO vive no Reino Unido, de 1632 a 1704; viveu a Revolução 
Gloriosa e a consolidação dela (o fim do absolutismo); a burguesia apoiava 
Locke
ESTADO DE NATUREZA as pessoas têm a sua liberdade, mas há um nível 
de insegurança na resolução de conflitos no estado de natureza, pois não 
há um mecanismo para tal; se você não tem uma estrutura jurídica, as 
pessoas fazem justiça com as próprias mãos (isso leva à parcialidade, 
exageros, etc).
DIREITOS NATURAIS INALIENÁVEIS há alguns direitos individuais (naturais) 
que são tão importantes que NENHUM governo pode afastar; vida, 
liberdade e propriedade (não há hierarquia entre eles); são pré políticos; 
não podemos tirar os direitos inalienáveis de qualquer pessoa (nem mesmo 
de nós); 
ESTADO LIBERAL MÍNIMO 
 - os indivíduos criam esse Estado para deixar o estado de natureza e ser um 
governo da maioria; o governo só será legítimo se não alienar nenhum dos 
direito inalienáveis.
 - existe para garantir que cada um possa exercer suas liberdades.
PROPRIEDADE
 - a força do nosso trbalho é nossa propriedade, mesma coisa com a terra
jean-jacques rousseau
CONTEXTO 17121778, discussão mais estruturada no iluminismo sobre 
igualdade, vivendo o caos do absolutismo, ideias com grande impacto na 
Revolução Francesa; escreve da França; objetivo era propor uma teoria que 
os contratualistas 4
fosse capaz de preservar a liberdade humana num contexto em que se 
necessitava cada vez mais uns dos outros.
ESTADO DE NATUREZA “O homem nasce livre e em toda parte está 
aprisionado”
 - DOIS MOMENTOS
PRIMEIRO é o momento positivo de convivência harmoniosa
SEGUNDO com o desenvolvimento de relações sociais (ex: propriedade 
privadas, acumulação de riqueza, desigualdades), seres humanos 
desenvolvem o amor prórpio (querer ser melhor que os outros, se 
comparar com os outros); isso leva ao caos.
 - homens são bons por natureza, mas corrompidos pela sociedade.
 - a competição aos seres leva a uma comparação entre os seres humanos, e 
assim surge um caos.
 - AUTOPRESERVAÇÃO todas as criaturas tem um incurso natural à 
autopreservação; um amor de si (se preocupa em atender nossas 
necessidades biológicas mais básicas) e compaixão (necessidade de ajudar os 
outros sem ferir nossa autopreservação)
ESTADO LEGÍTIMO só será legítimo se for guiado pela vontade coletiva; 
objetivo é voltar ao primeiro momento do estado de natureza.
 - DEMOCRACIA a ideia de democracia é o meio pelo qual conseguimos voltar 
ao primeiro momento do estado de natureza
se alguém não concorda com a ideia da maioria, é porque a pessoa é 
egoísta e está colocando os seus interesses à frente dos interesses gerais
DEMOCRACIA DIRETA Rousseau precisa aceitar um sistema 
representativo; tenta minimizar esse problema falando que os mandatos 
tem que ser curtos; MANDATO INTERATIVO, já vai com uma lista das 
coisas que o representante teria que votar segundo o povo. 
immanuel kant
CONTEXTO viveu no século XVIII
os contratualistas 5
ESTADO DE NATUREZA é o da guerra de todos contra todos; temos 
que necessariamente mudar do estado de natureza para o de 
contrato.“é um estado em que cada qual quer ele próprio ser juiz sobre 
o que é o seu direito frente a outros, mas não tem por parte dos outros 
nenhuma segurança quanto a direito frente a outros, a não ser cada um 
à sua própria força; é um estado de guerra em que todos devem 
constantemente estar armados contra todos”
 - “o estado de paz entre os homens que vivem lado a lado não é um estado 
de natureza (status naturalis), que antes é um estado de guerra, isto é, 
posto que nem sempre uma eclosão de hostilidades, contudo [é] uma 
ameaça permanente destas”
PROCURA RESPONDER DUAS PERGUNTAS
 - 1. qual é o princípio supremo da moral?
 - 2. o que significa ser livre, como um indivíduo pode ser livre?
O QUE É LIBERDADE PARA KANT ser livre significa agir de forma 
autônoma (agir de acordo com uma regra que eu estipulo para mim 
mesma); liberdade=autonomia=agir de acordo com uma lei que você 
mesmo define para si, e não com necessidades externas (mesmo que 
sejam naturais)
 - quando os humanos buscam o

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.