A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
abbinhas cap 1 - Mila

Pré-visualização | Página 1 de 4

Imunologia Mila Schiavini MED101
Cap. 1 - Abbinhas
IMUNIDADE INATA E IMUNIDADE ADQUIRIDA
· Os mecanismos de defesa do corpo são constituídos pela imunidade inata (proteção inicial) e imunidade adaptativa (mais lenta, porém, mais especializada e mais eficaz).
· A imunidade inata, natural ou nativa, está pronta para bloquear a entrada de microrganismos e eliminá-los rapidamente. 
· A imunidade adaptativa, adquirida ou específica, requer a expansão e a diferenciação de linfócitos em resposta a microrganismos antes de oferecer uma defesa eficaz. Ela se adapta à presença do microrganismo. 
· A primeira linha de defesa da imunidade inata são as barreiras epiteliais, células e antibióticos naturais presentes nos epitélios. Bloqueiam a entrada dos microrganismos. Se os patógenos penetrarem, são atacados pelos fagócitos.
· As respostas da imunidade inata estimulam as respostas da imunidade adquirida. 
· O sistema imunológico adquirido é formado pelos linfócitos e seus produtos, como os anticorpos.
· Os mecanismos da imunidade inata reconhecem estruturas comuns a classes de microrganismos.
· As células da imunidade adquirida (os linfócitos), expressam receptores que reconhecem especificamente moléculas produzidas por microrganismos, os antígenos.
· As respostas adquiridas usam células e moléculas do sistema imunológico inato para eliminar microrganismos. Por exemplo: os anticorpos (imunidade adquirida) se ligam aos microrganismos que, quando revestidos pelos anticorpos, ligam-se às células fagocitárias (imunidade inata) ativando-as, sendo ingeridos e digeridos por elas. 
TIPOS DE IMUNIDADE ADQUIRIDA
· Dois tipos: humoral (fornece defesa contra microrganismos extracelulares) e celular (fornece defesa contra microrganismos intracelulares).
· A imunidade humoral é mediada por anticorpos, produzidos pelos linfócitos B. Os anticorpos impedem que patógenos presentes nas mucosas e no sangue tenham acesso e colonizem as células e os tecidos conjuntivos do hospedeiro, evitando que as infecções se estabeleçam.
· A defesa contra microrganismos intracelulares (que vivem e se multiplicam dentro das células infectadas) é feita pela imunidade celular, mediada pelos linfócitos T.
· Os anticorpos produzidos pelos linfócitos B reconhecem os antígenos microbianos extracelulares, enquanto os anticorpos produzidos pelos linfócitos T reconhecem os antígenos produzidos pelos microrganismos intracelulares. 
· A maioria das células T reconhecem apenas antígenos proteicos. 
· As células B e anticorpos reconhecem diferentes tipos de moléculas, como proteínas, carboidratos, ácidos nucleicos e lipídios.
· A imunidade pode ser induzida em um indivíduo pela infecção ou pela vacinação (imunidade ativa) ou conferida a um indivíduo pela transferência de anticorpos ou linfócitos de um indivíduo imunizado ativamente (imunidade passiva).
· Na imunidade ativa, o indivíduo após ser exposto aos antígenos de um patógeno desenvolve uma resposta para erradicar a infecção, criando uma resistência àquele microrganismo. 
· Na imunidade passiva, o indivíduo recebe as células de outro indivíduo imune à infecção. O receptor é capaz de combater a infecção durante o tempo de vida limitado dos anticorpos ou células transferidos. Útil para conferir uma imunidade rápida, não produzindo resistência duradoura.
PROPRIEDADES DA RESPOSTA IMUNOLÓGICA ADQUIRIDA
· Especificidade e diversidade.
· O sistema imune adquirido tem a capacidade de distinguir entre antígenos ou parte de antígenos diferentes. Os linfócitos expressam receptores antigênicos distribuídos por clonalidade e cada clone expressa um receptor antigênico diferente. 
· A diversidade do repertório de linfócitos que permite que o sistema imune reaja a um vasto número e a uma variedade de antígenos. 
· Muitas poucas células são específicas para qualquer antígeno. Para montar uma defesa efetiva contra microrganismos, elas têm de dar origem a um grande número de linfócitos capazes de destruir os microrganismos. 
· A efetividade da resposta imune é atribuída a expansão do conjunto de linfócitos específicos para qualquer antígeno mediante exposição a ele, pelas alças de retroalimentação positiva que amplificam a resposta imune e pelos mecanismos de seleção que preservam os linfócitos mais úteis. 
· Memória.
· O sistema imune desenvolve respostas mais acentuadas e mais eficazes a exposições repetidas ao mesmo antígeno. 
· A resposta imunológica primária é mediada pelos linfócitos virgens (ou naive), que encontram o antígeno pela primeira vez. 
· As respostas imunológicas secundárias são advindas de encontros subsequentes com o mesmo antígeno. São mais rápidas, mais acentuadas e mais eficazes. Resultam da ativação dos linfócitos de memória, que são células de longa duração criadas durante a resposta imune primária.
· Cada encontro com um microrganismo gera mais células de memória e ativa as geradas anteriormente. 
· A memória é uma das razões pelas quais a vacina é uma proteção duradoura.
· Outros aspectos da imunidade adquirida. 
· Quando os linfócitos são ativados por antígenos, eles proliferam, gerando milhares de células descendentes clonadas, todas com mesma especificidade antigênica. Esse processo, chamado expansão clonal, aumenta o número de células específicas para o antígeno encontrado, permitindo que alguns linfócitos específicos ao antígeno assumam sua função de defesa, e garante que a imunidade adaptativa acompanhe a rápida proliferação dos microrganismos. 
· Todas as respostas imunes são autolimitadas e diminuem a medida que a infecção é eliminada. 
· O sistema imune é capaz de reagir a um grande número e a uma grande variedade de patógenos, mas não reage a substâncias antigênicas do hospedeiro, conhecida como autoantígenos. Essa auto insensibilidade é chamada de tolerância imunológica. Capacidade do sistema imune tolerar antígenos próprios. 
CÉLULAS DO SISTEMA IMUNOLÓGICO
· Células do sistema imune adaptativo: linfócitos, células apresentadoras de antígenos (APCs – capturam e apresentam os antígenos microbianos) e células efetoras (linfócitos ativados e outras células como leucócitos que eliminam microrganismos).
· Linfócitos.
· São as únicas células que possuem receptores específicos para antígenos diversos, sendo os principais mediadores da imunidade adquirida. 
· São diferenciados pelas proteínas de superfície que podem ser identificadas por painéis de anticorpos monoclonais. 
· São as únicas células capazes de produzir anticorpos, sendo responsáveis pela imunidade humoral.
· São responsáveis pela imunidade celular. Os receptores de antígenos dos linfócitos T reconhecem apenas fragmentos peptídicos de proteínas antigênicas que são ligados a moléculas de apresentação especializadas, chamadas de moléculas de histocompatibilidade (MHC) na superfície de células apresentadoras de antígenos.
· As células TCD4 são chamadas de células T auxiliares, pois ajudam os linfócitos B a produzir anticorpos e as células fagocitárias a ingerir os microrganismos. 
· Os linfócitos TCD8 são chamados de células T citotóxicas, pois destroem as células infectadas por microrganismos intracelulares. 
· Algumas classes de TCD4 funcionam para prevenir ou limitar a resposta imune, são os linfócitos T reguladores.
· Outra classe de linfócitos é chamada de células NK (natural killer), que matam células infectadas do hospedeiro, mas elas não expressam receptores de antígenos distribuídos clonalmente. Elas são componentes da imunidade inata, capazes de atacar rapidamente células infectadas.
· Todos os linfócitos se originam da medula óssea. os linfócitos B amadurecem na medula e os linfócitos T amadurecem no timo. 
· Os locais nos quais linfócitos maduros são produzidos são os órgãos linfoides geradores. Depois, os linfócitos maduros entram na circulação e nos órgãos linfoides periféricos, onde podem encontrar o antígeno para o qual expressam receptores específicos.
· Quando os linfócitos virgens reconhecem os antígenos