A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Crises Convulsivas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Crises Convulsivas
2
Introdução
Crise convulsiva é uma alteração anormal da atividade elétrica cortical causada pela hipersincronização neuronal, podendo ocorrer lentamente ou difusamente
A crise convulsiva é uma contração violenta, ou série de contrações dos músculos voluntários, com ou sem perda de consciência. 
A principal manifestação da convulsão é o enrijecimento do corpo através de contrações musculares subidas, causando perda de equilíbrio e queda ao solo, seguida de relaxamento e contração de grupos musculares, podendo ter ou não relaxamento dos Esfíncteres Vesical e Intestinal.
As crises convulsivas ocorrem devido à falha de comunicação celular no cérebro, onde às células disparam sinais elétricos em excesso, especialmente nas regiões responsáveis pelo controle motor, o que irá provocar os abalos musculares.
principais causas de crises convulsivas em crianças
Na criança, às causas mais comuns são:
∙ Fatores ou doenças genéticas
∙ Problemas de oxigenação cerebral ocorridos durante a gestação ou parto.
∙ Malformações cerebrais.
∙ Infecções (Ex: Meningite)
∙ Convulsões febris (decorrentes de febre alta em crianças menores).
principais causas de crises convulsivas em adultos
Em adultos, as causas mais frequentes são:
∙ Traumatismo craniano
∙ Acidente vascular encefálico (AVE)
∙ Tumores
∙ Malformações vasculares
∙ Doenças metabólicas
∙ Doenças infecciosas cerebrais
∙ Doenças cardíacas
principais causas de crises convulsivas em adultos
Existem tipos diferentes de convulsões:
 crise convulsiva generalizada – tônico – Clônica
É o caso mais urgente e grave que pode acontecer no manejo das convulsões, uma vez que deve ser prontamente atendido para evitar lesões cerebrais futuras, neste tipo o indivíduo desmaia e começa a ter abalos generalizados sem nenhuma consciência, geralmente revirando os olhos e com Sialorréia, que o excesso de saliva, acompanhando o quadro.
 crise de ausência.
Neste tipo o indivíduo apenas perde a consciência e fica com olhar parado por segundos, voltando ao normal, logo em seguida.
 crises parciais complexas
Como explica o próprio nome, são mais heterogêneas e podem dar sintomas mais diferentes, como: Movimentos da boca, virada da cabeça, mistura de vários movimentos estranhos... Sempre com alguma perda de consciência, mas sem desmaio completo, como ocorre nas crises generalizadas.
 crises parciais simples
O indivíduo acometido apresenta apenas sintomas focais, sem nenhuma perda de consciência, como: Estar no momento conversando e de repente ter um abalo involuntário do braço, na perna incontrolável e ritmado
principais causas de crises convulsivas em adultos
∙ Inconsciência
∙ Queda desamparada, onde a vítima é incapaz de fazer qualquer esforço para evitar danos físicos a si próprio
∙ Olhar vago, fixo e/ou revirar dos olhos
∙ Suor
∙ Midriase (pupila dilatada)
∙ Lábios cianóticos.
∙ Espumar pela boca
∙ Morder a língua e/ou lábios
∙ Corpo rígido e contração do rosto
∙ Palidez intensa
∙ Movimentos involuntários e desordenados
∙ Perda de urina e/ou fezes (relaxamento esfincteriano)
Geralmente os movimentos incontroláveis duram de 2 a 4 minutos tornando-se então menos violentos e a vítima vai se recuperando gradativamente. Esses acessos podem variar na sua gravidade e duração, passada a convulsão a perda da memória que se recupera mais tarde
Como agir em casos de crise convulsiva
Primeiro não se desespere e depois siga o seguinte passo-a-passo.
∙ Coloque a vítima deitada de lado, de preferência no chão com algum apoio na cabeça, tipo roupa ou almofada e com a cabeça também lateralizada para evitar engasgos com saliva ou vômito;
∙ Não restringe aos movimentos da vítima e verifique se o paciente está respirando adequadamente
∙ Outra pessoa deve imediatamente acionar o socorro do SAMU;
∙ Nada de tentar puxar a língua do paciente, pois, no momento da crise a força e rigidez do paciente podem machucar os dedos de quem tenta fazer isso.
∙ Em geral às crises duram poucos minutos. Fique com paciente até que ele se recupere e recupera a consciência;
∙ Se a crise demorar mais do que o habitual, o serviço de atendimento móvel de urgência irá transportar o paciente imediatamente ao hospital.
 Importante
Algumas pessoas sentem que a crise vai começar e neste caso a pessoa tem o tempo para se deitar em algum lugar seguro e até avisar alguém. 
Durante a avaliação médica é muito importante à presença de alguém que testemunhou a crise convulsiva, pois, na maioria das vezes o próprio paciente não saberá, portanto, descrever com detalhes tudo que aconteceu durante o evento. Esse detalhamento é importante para o neurologista descobrir a origem ou localização provável da crise, além de classificar essa crise para decidir corretamente a medicação mais apropriada.