A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
202 pág.
livro

Pré-visualização | Página 3 de 44

E ORGANIZAÇÃO DE UM ARMAZÉM DE 
CARGAS (TERMINAL DE CARGAS)
1 INTRODUÇÃO
A história da armazenagem está diretamente ligada à história do comércio 
entre os povos. Desde o princípio, as pessoas que se dedicaram ao comércio tiveram 
obrigatoriamente que armazenar os produtos.
De acordo com Rodrigues (2003, p. 36-37), cerca de 3.000 a.C., Os fenícios 
aprenderam com os egípcios a arte náutica e durante mais de 2.000 anos estabeleceram 
inúmeras colônias ao longo do Mediterrâneo, dominando uma extensa rede de 
colônias, com base em armazéns e entrepostos comerciais. 
Os romanos estenderam os seus domínios até o Mar do Norte, onde fundaram 
Londres, mantiveram os mares livres de piratas, construíram faróis, melhoraram os 
portos e navegaram entre o Rio Nilo e o Mar Vermelho.
Hoje, estudando esta história, podemos concluir que de nada adiantaria 
navegar e construir estradas se Roma não tivesse importantes centros de armazenagem 
e distribuição espalhados ao longo de todo o império.
A partir do século XI, destacaram-se as Repúblicas de Veneza e Gênova, cujo 
poderio marítimo permitiu que monopolizassem o comércio do Mediterrâneo Oriental 
com o Mar Negro, África e Extremo Oriente, obtendo enormes lucros no comércio 
das especiarias. Nada disso teria sido possível sem a implantação de depósitos para 
armazenagem e proteção das mercadorias.
Ao final do século XV, o poderio comercial havia se deslocado para a Península 
Ibérica. Com a grande experiência náutica, a coroa Portuguesa teimava em descobrir 
um caminho marítimo para as Índias. Obtendo êxito, espalhou postos comerciais em 
diversos pontos da rota, para obter hegemonia no comércio com as especiarias do 
Oriente. 
A acumulação de metais preciosos extraídos do Novo Mundo levou a Península 
Ibérica a uma posição de destaque na Europa.
Após o fim da segunda Guerra Mundial, o efeito de reconstruir as nações 
destruídas e gerar a ocupação para os imensos contingentes de mão de obra disponível, 
UNIDADE 1 ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
4
o governo americano estimulou a reestruturação industrial na Europa, alavancando e 
acelerando a produção. Como consequência, o tráfego marítimo cresceu rapidamente, 
impondo a modernização e a racionalização no uso das restritas áreas de armazenagem 
portuárias.
Desde então, a armazenagem vem se desenvolvendo e tomando vulto como 
ciência independente e bastante complexa.
Hoje, em relação à armazenagem industrial, a visão é atender clientes internos, 
mantendo estoques de insumos e matéria-prima para suprir as necessidades da 
produção. Já em relação à prestação de serviços logísticos, estamos tratando com 
matérias-primas ou produtos finais acabados de terceiros, onde o fluxo de atendimento 
a clientes externos necessita ser otimizado à distância, principalmente, quando se trata 
da armazenagem direcionada ao comércio exterior, onde os ciclos de pedidos são bem 
mais longos.
A armazenagem é de fundamental importância para as empresas, sendo que 
deve ser administrada com competência, visto que encontramos ali armazenados materiais 
de grande valor e necessidade para as empresas.
Se analisarmos as últimas guerras, podemos verificar que a área de 
armazenagem foi fundamental para o sucesso das tropas, pois de que adiantaria 
um tanque de guerra, com toda sua tecnologia, se não puder ser abastecido, 
ter peças de reposição e, principalmente, material bélico. De que adiantaria um 
soldado altamente treinado, se não for abastecido com alimentos, água, remédios 
e armamentos.
Em resumo, tudo isto se encontra estocado, armazenado em local adequado 
e protegido, pronto para suprir as necessidades do usuário, pois são itens de 
extrema importância e necessidade, que não conseguimos (comprar) repor em 
curto espaço de tempo.
Hoje em dia, não se admite mais a ideia de depósitos como sendo o pior 
e mais inadequado local da empresa, onde os materiais eram acumulados de 
qualquer forma, utilizando-se mão de obra desqualificada e despreparada.
Ainda de acordo com Rodrigues (2003, p.39), por meio do recurso a 
modernas técnicas, essa situação primitiva originou sistemas de manuseio e 
armazenagem de materiais bem sofisticados, o que provocou redução de custos, 
aumento significativo da produtividade e maior segurança nas operações de 
controle, com a obtenção de informações precisas em tempo real. Além disso, 
estudos apresentam a melhor localização dos produtos armazenados, além de um 
layout adequado que facilite e reduza o tempo com a movimentação dos materiais.
NOTA
TÓPICO 1 | DIMENSIONAMENTO E ORGANIZAÇÃO DE UM ARMAZÉM DE CARGAS (TERMINAL DE CARGAS)
5
2 A EVOLUÇÃO E A IMPORTÂNCIA DA ARMAZENAGEM PARA 
AS EMPRESAS
Hoje, podemos constatar sem dúvida alguma, uma grande evolução e 
importância da armazenagem para as empresas.
A evolução na armazenagem pode ser vista através do tratamento que as 
empresas estão dando a este setor. 
Basta dizer que em anos passados o setor de armazenagem era um local 
de estocagem de qualquer material, equipamento ou máquina, a qual a empresa 
não tinha mais utilidade, era encaminhado para ser guardado neste setor. Material 
este que não tinha mais utilidade, muitas vezes sem condições de uso, aguardava 
no estoque durante anos, ocupando espaço em um local destinado para produtos 
de uso da empresa, o que caracterizava um verdadeiro descaso com a área de 
armazenagem.
Atualmente, o que pode e deve existir no local de armazenagem, é um 
local definido, exclusivo para materiais ou equipamentos sem consumo, mas com 
tempo determinado para permanecer neste local, tipo: dois ou três meses, para que 
a empresa acumule e opte em vender, trocar ou faça uma doação destes materiais 
sem consumo, evitando que este, permaneça por anos no mesmo local. 
Outro grande fator que contribuiu e continua contribuindo para a 
evolução da armazenagem é a logística, que faz com que o local ou CD (Centro 
de Distribuição) seja perto dos clientes, adequado ao tipo de produto que será 
armazenado, utilizando prateleiras e estantes modernas para estocagem vertical e 
facilitando o recebimento, conferência, estocagem e distribuição do material. 
• No recebimento: podemos destacar a forma de como os produtos são embalados, 
seja ela de forma paletizada, a granel e contentores, o que facilita tanto seu 
carregamento, transporte, como a sua descarga.
Facilitando também o seu recebimento, desde a descarga, liberando o 
fornecedor ou a transportadora.
• Na conferência: temos que ter a certeza e a garantia do produto recebido 
estar correto conforme a sua documentação, tanto no item entregue como na 
quantidade entregue, visto que o material deverá ser contado, pesado, medido 
e analisado. 
• Na estocagem: os mesmos materiais são armazenados verticalmente, 
aproveitando melhor o espaço aéreo do armazém, evitando assim a necessidade 
de ampliar o local de armazenagem, porém com a necessidade de investir em 
estantes e empilhadeiras, retorno este garantido pelo aproveitamento do espaço.
 
UNIDADE 1 ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
6
• Na distribuição dos materiais: a evolução se destaca na agilidade de 
movimentação dos materiais, seja da retirada do estoque e na entrega da 
produção, visto que são entregues paletizados, a granel ou contentores, o que 
facilita, agiliza e trabalha-se com maior segurança no seu manuseio. 
Outro fator importante é a entrega parcelada (semanal), onde a matéria-
prima e insumos podem ser entregues diretamente na produção e monitorado o 
seu consumo para a reposição do estoque.
 
À medida que os países vão se consolidando, o mundo se torna mais receptivo 
ao conceito de globalização da economia. Neste contexto de diversificados fluxos 
e tipos de mercadorias, são inúmeros os fatores que fazem parte do custo final das 
operações, devendo esses serem racionalizados na busca de preços competitivos 
para disputar o mercado global.
Atualmente, nenhum setor ou empresa pode trabalhar de forma como lhe 
cabe melhor e sim de como o meu cliente quer receber o seu produto,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.