A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
202 pág.
livro

Pré-visualização | Página 41 de 44

seguro; 
l	custo de pessoal habilitado para recebimento e conferência de documentação e 
processamento dos pedidos; 
l	custo de investimento na amortização, manutenção e renovação de 
equipamentos; 
l	custo de remuneração de agente; 
l	lucro da operação. 
Podemos imaginar o número de computadores necessários para processar as 
ordens de embarques quando são transacionados ao mesmo tempo vários pedidos. 
Perceba as despesas com a telecomunicação para transmitir essas informações, o 
pessoal envolvido nas diversas etapas de cada embarque como alfândegas, bancos 
centrais, autoridades policiais, autoridades sanitárias, entre outros. 
Consolidar cargas significa gerar economia de escala pelo aproveitamento 
dos recursos para comercialização, como: pessoal habilitado, sistema de controle e 
administração da carga, sistema de comunicação, equipamento e pessoal utilizado 
para o manuseio e preparação de embarques, taxas e tarifas, seguros, recebimento 
e conferência de documentos, amortização de investimentos, entre outros.
FONTE; Disponível em: <http://logisticsmediauk.co.uk/articles/lean-pickings-for-diet-chef>. 
Acesso em: 15 set. 2010.
FIGURA 66 – ARMAZÉM DE TRANSBORDO (CROSS-DOCKING) 
Consolidar carga no modal rodoviário, por exemplo, é trabalhar com os 
maiores volumes possíveis, utilizando veículos de alta capacidade de carga para 
reduzir o custo de transporte. 
Para alcançar esta meta, as empresas usam uma rede de terminais de cross-
docking ou de transbordo, para coordenar o carregamento de veículos de grande 
porte e transferir cargas entre terminais. Para abastecer os terminais, os operadores 
UNIDADE 3 | ARMAZENAGEM E MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS
182
logísticos usam veículos de carga de pequeno porte para coletar e entregar o 
material transportado. Assim a consolidação é alcançada sem prejudicar o prazo 
de entrega das mercadorias.
CROSS-DOCKING
Sistema de distribuição no qual a mercadoria recebida, em um armazém, é imediatamente 
preparada para o carregamento de entrega sem estoque de espera. Entende-se também 
como transferência das mercadorias entregues, do ponto de recebimento, diretamente para 
o ponto de entrega, com tempo de estocagem limitado e, se possível, nulo.
FONTE: Disponível em: <http://www.ecrbrasil.com.br/ecrbrasil/page/reposicaoeficiente.asp>. 
Acesso em: 14 set. 2010.
FIGURA 67 – REPOSIÇÃO CONTÍNUA 
O mercado atual é caracterizado por uma forte concorrência, em função 
da globalização da economia e acelerada evolução tecnológica. Para manter a 
posição no mercado, as empresas procuram aperfeiçoar o sistema de produção, 
logística e distribuição. Assim, para manter os estoques em níveis baixos na cadeia 
de abastecimento e realizar entregas com baixo volume e com maior frequência, as 
empresas planejam as operações de fornecimento de matéria-prima e insumos de 
forma sincronizada. 
NOTA
TÓPICO 3 | CONSOLIDAÇÃO E DESCONSOLIDAÇÃO DE CARGAS
183
Picking é definida como atividade que coleta um lote desejado de produtos, 
em quantidades planejadas, os transfere para a área de armazenagem e os redistribui para 
atender às necessidades do consumidor. 
O desafio do abastecimento a baixos custos estimulou as empresas a 
desenvolverem novas técnicas e equipamentos com tecnologia avançada. Entre as 
técnicas emergentes da logística destaca-se a técnica de cross-docking, que pode ser 
definida como uma operação de preparação de mercadorias que procura reduzir a 
zero o armazenamento dos produtos. 
Na técnica de cross-docking, os caminhões carregam nas fábricas diversos 
tipos de produto e descarregam em um depósito. Neste depósito os produtos de 
cada carga são divididos em lotes menores e transferidos para outros caminhões que 
os transportam até o destino final. 
O Cross-Docking surge com o objetivo de reduzir o nível dos estoques e 
realizar entregas frequentes e em pequenas quantidades, com custo operacional 
reduzido. As instalações que se utilizam deste sistema não realizam as atividades 
de armazenagem e picking, isto porque a carga recebida por diversos fornecedores é 
imediatamente preparada para ser transferida para a área de embarque.
O termo cross-docking pode ser definido como um processo que recebe 
diversos produtos em um armazém, que tenham um mesmo destino, e que na 
primeira oportunidade serão enviados aos clientes, sem uma armazenagem longa.
 Esta ação exige informações precisas dos produtos de entrada, seus 
destinos, e um sistema para distribuir aos veículos de transporte e entregue. Desta 
forma, devemos considerar alguns pontos para que uma operação seja chamada 
de cross- docking. 
O tempo de permanência da mercadoria a ser distribuída no armazém onde 
acontece o cross-docking ou transbordo deve ser o menor possível. Podemos estimar 
o tempo máximo de permanência do material no cross-docking ou transbordo como 
um dia. 
O que se deve ter em mente é que o tempo de permanência dos produtos 
no cross-docking é um fator crítico. Em seguida, o produto deve ser enviado 
diretamente ao veículo de saída ou permanecer em uma área de picking. Lembre-
se: o cross-docking foi desenvolvido para reduzir o estoque a zero.
NOTA
UNIDADE 3 | ARMAZENAGEM E MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS
184
FONTE: Disponível em: <http://www.santaritalogistic.com.br>. Acesso em: 10 set. 2010.
O processo de distribuição de mercadorias nos armazéns convencionais 
é caracterizado por serviços prestados de forma desarticulada, sem organização 
e custos operacionais elevados. O sistema cross-docking, como atividade-meio do 
processo logístico, permite a realização desta atividade com maior eficácia. 
É importante destacar que o objetivo é transferir as mercadorias o 
mais rápido possível, o que demonstra que o sistema busca o menor tempo de 
permanência destas no centro de distribuição.
A diferença entre o modelo tradicional de armazenagem e distribuição e o 
cross-docking é que no modelo tradicional as mercadorias chegam e são armazenadas 
até o cliente fazer o pedido. A produção é realizada para aproveitar a capacidade 
instalada e “empurrada” para o cliente. No sistema de distribuição cross- docking, 
as mercadorias chegam “just in time” à medida que o cliente solicita, assim são 
imediatamente processadas e enviadas, eliminando a necessidade de estocar.
FIGURA 68 – CROSS-DOCKING
TÓPICO 3 | CONSOLIDAÇÃO E DESCONSOLIDAÇÃO DE CARGAS
185
FONTE: Disponível em: <http://www.transmagna.com.br>. Acesso em: 8 
ago. 2010.
FIGURA 69 – Centro de distribuição (CROSS-DOCKING)
O processo de distribuição acontece da seguinte forma: as mercadorias 
são produzidas e enviadas para os centros de distribuição, onde são recebidas, 
registradas as quantidades por tipo e destino final e armazenadas. 
Ao serem solicitadas pelo cliente, estas são deslocadas por empilhadeiras 
ou esteiras de transporte e embarcadas em caminhões de transporte pesados (FTL 
– Full Truck Load), ou por outro meio de transporte mais adequado, como navios 
ou aviões, que os levará até ao seu destino.
Para que o processo de distribuição ocorra sem erros são necessárias 
informações como: hora e data do embarque feito pelo fornecedor; nome da 
transportadora utilizada; quantidade e código de barras de cada mercadoria 
pedida; data e hora da entrega ao cliente e descrição da carga; destino; data e hora 
de entrega de cada carga de cada transporte.
Com o desenvolvimento da tecnologia de informação e comunicação, o 
pedido de reposição de mercadoria pode ser feito automaticamente ao cliente. 
Assim que um produto é vendido ao consumidor, o centro de distribuição ou o 
produtor recebe a informação de baixa de uma unidade. O sistema desencadeia 
uma ordem de movimentação da mercadoria vendida, para repor o estoque 
no ponto final de venda. A comunicação entre fornecedor, cliente e centro de 
distribuição é feita através de sistemas informatizados on-line.
3 DESCONSOLIDAÇÃO DE CARGA 
Desconsolidar uma carga é o ato de separar, ou seja, desdobrar uma 
carga principal em lotes. Para algumas empresas a desconsolidação

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.