A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
202 pág.
livro

Pré-visualização | Página 9 de 44

o serviço ao cliente está se tornando um fator muito mais 
importante na entrega dos produtos no momento exato, com melhores condições 
e na quantidade certa.
Desta forma, uma escolha cuidadosa de como a empresa irá administrar 
seu espaço de armazenagem nas três dimensões (comprimento, largura e altura) 
minimiza custos, poupa tempo propiciando a movimentação rápida e fácil de 
materiais, desde o recebimento até a expedição. 
Para finalizar, a movimentação e armazenagem de cargas não devem ser 
extintas, apenas viabilizado em sua extrema necessidade, sendo que sua utilização 
já implementa custos à organização, onde na prática que paga mais por isso, são 
os clientes, que devem ser a razão do existir de qualquer empresa. É importante 
que os gestores da área de movimentação e armazenagem de cargas, levassem 
em consideração a simplicidade dos processos realizados em épocas passadas, 
aliando-se à tecnologia que hoje está disponível para as organizações, conforme 
sua necessidade. 
2 ESTRUTURA DE ARMAZENAGEM
Em armazenagem costumam-se designar genericamente de unidades de 
estocagem as estruturas destinadas à arrumação, localização e segurança dos 
materiais em estoque.
Conforme Santos (2001), as unidades de estocagem podem ser dos seguintes 
tipos:
NOTA
TÓPICO 2 | EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE CARGA
33
•	 Estante: é um conjunto estrutural desmontável, metálico ou de madeira, 
tratado contra fogo e insetos, com seção retangular ou quadrada, destinado 
à estocagem de material com peso e/ou volume relativamente pequenos. 
As estantes poderão ser seccionadas horizontalmente formando prateleiras; 
horizontal e verticalmente formando escaninhos, bem como poderão 
comportar gavetas.
FONTE: Disponível em: <http://www.aboletti.com.br/>. Acesso em: 24 mar. 2008.
FIGURA 16 – ESTANTE PARA ARMAZENAGEM
•	 Armação de estocagem: é uma unidade de estocagem destinada à guarda 
de materiais, cujas características impeçam a utilização de estantes, estrados, 
porta-estrados, caixas ou engradados. Geralmente são construídas de metal 
ou madeira tratada. 
•	 Estrado: é uma estrutura de madeira tratada, plástica ou metálica de seção 
retangular ou quadrada, sem elementos de fechamento lateral destinadas 
à estocagem de materiais, e que, em face das suas características físicas 
(peso, dimensão etc.), não poderá ser colocada em estante ou armação. Esses 
estrados são também denominados pallets ou paletes e podem ser dispostos 
diretamente sobre o piso, abrigando os materiais colocados de forma racional, 
econômica e em segurança sobre os mesmos. Existem estruturas metálicas 
especiais para serem usadas como suporte dos paletes, racionalizando e 
aproveitando o espaço vertical da área de estocagem, denominadas estruturas 
porta-paletes. Os estrados poderão também ser utilizados para facilitar a 
movimentação de alguns itens do setor de recebimento até a estocagem e 
desta para a distribuição, sendo esta considerada como uma função auxiliar, 
uma vez que sua destinação é para uma estocagem definitiva.
UNIDADE 1 | ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
34
FONTE: Viana (2000, p. 326)
FONTE: Viana (2000, p. 326)
FONTE: Viana (2000, p. 326)
FIGURA 17 – PALETE DE FACE SIMPLES COM DUAS ENTRADAS
FIGURA 18 – PALETE DE FACE SIMPLES COM DUAS ENTRADAS
FIGURA 19 – PALETE DE FACE SIMPLES COM DUAS ENTRADAS
TÓPICO 2 | EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE CARGA
35
FONTE: Disponível em: <http://www.aboletti.com.br/>. Acesso em: 24 mar. 2008.
•	 Porta-estrados: estrutura metálica ou de madeira, utilizada para suporte 
dos estrados, de formato variável e dividida internamente nos sentidos 
horizontal e verticais, que permitem espalhá-los, bem como facilita a sua 
remoção, evitando a movimentação de outros estrados
•	 Engradado: é uma estrutura metálica, plástica ou de madeira tratada, de 
seção retangular ou quadrada, com abertura na parte superior ou lateral, 
formada de grades, cruzetas ou travessas de fechamento, destinada à 
estocagem de material que, em face das suas características físicas, de 
quantidade e fragilidade de embalagem e/ou irregularidades do formato, 
não deverá ser estocado em estante, armação ou estrado.
•	 Caixa de estocagem: é uma estrutura metálica, plástica ou de madeira 
tratada, de seção retangular ou quadrada, com abertura na parte superior, 
possuindo ou não alças laterais para sustentação. Também são empregadas 
para se obter o máximo de aproveitamento de espaço vertical, sem prejuízo 
da segurança. Estas deverão ser construídas com a capacidade de carga 
adequada ao peso dos materiais a serem estocados, e deverão possuir sapatas 
de apoio para acoplamento vertical, podendo ser também movimentadas 
por meio de empilhadeiras de garfo.
FIGURA 20 – PORTA-PALETE
3 SISTEMAS DE MANUSEIO
Nos sistemas de produção, sobretudo nas indústrias, os equipamentos de 
movimentação de materiais são essenciais. A questão da movimentação deve ser 
analisada junto com o layout, porque nem sempre há espaço suficiente, as instalações 
são fixas e o espaço e tempo tem de ser dinamizados. Por isso, há uma série de pontos 
UNIDADE 1 | ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
36
a serem analisados, como o produto nas suas dimensões, características mecânicas 
e quantidades a serem transportadas, a edificação, o método de armazenagem, a 
área necessária para o funcionamento do equipamento, fonte de energia e outros.
Abaixo vamos relacionar e sugerir algumas condições que estão relacionadas 
com o manuseio como:
•	 Equipamentos para manuseio adequados.
•	 Procedimentos de manuseio adequados.
•	 Procedimentos de manuseio formalizados. 
•	 Definição clara de cada área.
•	 Treinamento dos colaboradores com relação aos padrões definidos.
Para Santos (2001), a movimentação de material, quanto às suas formas de 
operação, compreende as seguintes ações:
•	 Levantamento: ação representada pelo içamento de carga por meio de 
operação manual direta ou com auxílio mecânico.
•	 Transporte: ação representada pelo deslocamento de carga de um local 
para outro, por meio de operação manual direta ou equipamento de 
movimentação de carga.
•	 Empilhamento: ação representada pela formação de pilhas de volumes por 
meio de operação manual ou com auxílio mecânico.
3.1 EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAL
É qualquer mecanismo que tenha condições para movimentar uma carga, 
podendo ter motorização própria ou não.
Os equipamentos para movimentação de carga mais utilizados são:
•	 Carros prancha: são utilizados para movimentação de cargas na horizontal por 
serem muito versáteis e de baixo custo, sendo que encontramos carros prancha 
de pneu duro e pneu com câmara onde a sua movimentação é feita por meio de 
tração humana.
•	 Talhas: são utilizadas para a elevação de cargas, sendo que as mais conhecidas 
e utilizadas são as talhas manuais (com e sem alavanca), talhas elétricas e 
pneumáticas onde a movimentação é feita por meio de polias dentadas.
•	 Pórticos: podem ser fixos ou móveis, permitindo que o material seja erguido e 
manuseado de forma horizontal.
•	 Empilhadeira: tornou-se um dos equipamentos mais utilizados e indispensáveis 
devido à sua agilidade e rapidez na movimentação de matérias e podendo chegar 
TÓPICO 2 | EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE CARGA
37
a grandes alturas para a colocação de materiais, devendo as empilhadeiras ser 
de acordo com a necessidade da empresa, pois sua capacidade de levantar peso 
varia em muito, podendo ser seu deslocamento a gás, elétrica ou a diesel.
•	 Ponte rolante: são equipamentos de movimentação e elevação de cargas, que 
percorrem determinados trechos retos sobre trilhos, sendo também conhecidos 
como guindastes. Para esta categoria existem também as monovias.
 As pontes rolantes e monovias elétricas devem ser classificadas, projetadas 
e fabricadas de acordo com as normas estabelecidas, sendo que estes equipamentos 
se encontram disponíveis com diversos sistemas operacionais como:
- Sistemas com velocidade comutáveis, graduáveis

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.