133_marx-karl-o-capital-1
1 pág.

133_marx-karl-o-capital-1


DisciplinaGeografia Econômica1.234 materiais18.221 seguidores
Pré-visualização1 página
receitas (comteanas?) para a cozinha do futuro. Contra a acusação de
metafísica, o prof. Sieber observa:
\u201cNo que tange à teoria propriamente dita, o método de Marx
é o método dedutivo de toda a escola Inglesa, cujos defeitos e
virtudes são comuns aos melhores economistas teóricos\u201d.52
O sr. M. Block descobre em \u201cLes Théoriciens du Socialisme en
Allemagne. Extrait du Journal des Économistes, juillet et aout 1872",53
que o meu método é analítico e, entre outras coisas, afirma que:
\u201cPar cet ouvrage M. Marx se classe parmi les esprits analy-
tiques les plus éminentes\u201d.54
Os resenhistas alemães gritam, obviamente, contra a sofística
hegeliana. O Correio Europeu, de Petersburgo, num artigo que exa-
mina exclusivamente o método de O Capital (número de maio de
1872, p. 427-436), considera o meu método de pesquisa rigorosa-
mente realista, mas o meu método de exposição desgraçadamente
teuto-dialético. Ele afirma:
\u201cÀ primeira vista, se julgado pela forma externa de exposição,
Marx é o maior filósofo idealista, no sentido germânico, ou seja,
no mau sentido da palavra. De fato ele é, porém, infinitamente
mais realista do que os seus predecessores na tarefa da crítica
econômica. (...) Não se pode, de modo algum, chamá-lo de idealista\u201d.
A melhor resposta que possa dar ao autor é mediante alguns
extratos de sua própria crítica, cuja transcrição poderá interessar a
muitos dos meus leitores, para os quais o original russo não seja aces-
sível. Depois de uma citação de meu prefácio da \u201cContribuição à Crítica
da Economia Política\u201d (Berlim, 1859, p. IV-VII), onde eu expus a fun-
damentação materialista do meu método, continua o senhor autor:
\u201cPara Marx, só importa uma coisa: descobrir a lei dos fenô-
menos de cuja investigação ele se ocupa. E para ele é importante
não só a lei que os rege, à medida que eles têm forma definida
e estão numa relação que pode ser observada em determinado
período de tempo. Para ele, o mais importante é a lei de sua
modificação, de seu desenvolvimento, isto é, a transição de uma
forma para outra, de uma ordem de relações para outra. Uma
vez descoberta essa lei, ele examina detalhadamente as conse-
qüências por meio das quais ela se manifesta na vida social. (...)
OS ECONOMISTAS
138
52 ENGELS. Teoria do Valor e do Capital de David Ricardo em Relação com Posteriores
Complementos e Esclarecimentos. Kiev, 1871, p. 170. (N. da Ed. Alemã.)
53 \u201dOs Teóricos do Socialismo na Alemanha. Extrato do Jornal dos Economistas, julho e agosto
de 1872."(N. dos T.)
54 Com esta obra, o sr. Marx se classifica entre os espíritos analíticos mais eminentes. (N. dos T.)