Aula_06

Aula_06


DisciplinaMercado Financeiro8.043 materiais62.847 seguidores
Pré-visualização2 páginas
*
AULA 6
 
*
PROFº RICARDO SILVEIRA
BEM-VINDO À DISCIPLINA
MERCADO FINANCEIRO
*
AULA 6
Mercado secundário de ações
Investindo em ações você pode se tornar sócio das maiores empresas do país.
2
*
AULA 6
Mercado secundário de ações
Qual a diferença entre o Mercado Primário e o Mercado Secundário de Ações ?
No Mercado Secundário quando o detentor de uma ação de uma empresa deseja se desfazer de sua posição, ele busca no mercado secundário, por intermédio de um corretor, um outro investidor que deseje comprar suas ações. Esta transferência dos títulos entre investidores se dá através das Bolsas de Valores ou do mercado de balcão.
3
*
AULA 6
Mercado secundário de ações 
4
*
AULA 6
Mercado secundário de ações
5
BOLSAS DE VALORES - BREVE HISTÓRICO
1845 - criação da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. 
Bovespa - criada em 1890 sob a denominação de Bolsa Livre e que a partir de 1895 passou a chamar Bolsa de Fundos Públicos de São Paulo, alterando sua denominação em meados dos anos 1960 para Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA. 
*
AULA 6
Mercado secundário de ações
6
Em 2000, foi celebrado um acordo de integração das nove bolsas de valores existentes à época em atividade no Brasil, por meio do qual toda a negociação de renda variável em bolsa, no País passou a ser realizada na BOVESPA. Em 2002, a BOVESPA adquiriu a SOMA, (Sociedade Operadora do Mercado de Ativos) assumindo toda a administração da negociação de renda variável mercado organizado no Brasil .
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
7
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
8
CONCEITOS IMPORTANTES SOBRE A BOVESPA
Práticas eqüitativas de mercado - processo de formação de preços mais transparente, segundo as quais todos os que comprarem e venderem ações em Bolsa terão o mesmo tratamento, obedecerão aos mesmos procedimentos e terão idêntico acesso à informação. Com isso cria-se uma sistematização cada vez mais formal e pública das operações de compra e venda de ações. 
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
9
Funções da Bolsa de Valores de São Paulo
Meio de ligação 
Centro de liquidez 
Formação de preços 
Ambiente seguro e transparente 
Missão educativa 
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
CUSTÓDIA
A custódia e liquidação dos títulos negociados na BOVESPA são feitas pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia \u2013 CBLC 
10
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
11
CORRETORAS DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS
Comprar e vender por conta de terceiros.
Realizar custódia de títulos.
Administrar carteiras de clientes, fundos mútuos, clubes de investimento.
Realizar ou participar do processo de abertura de capital das empresas (operações de underwriting/IPO).
Operar open market e fundos de investimento financeiro.
Realizar e análises de empresas de capital aberto
Relacionamento com o investidor.
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
12
Abertura de conta 
O investidor precisa abrir uma conta na Corretora através do preenchimento de uma ficha cadastral onde outorga uma procuração para que seja exercida em seu nome compra e venda de ações e também os direitos decorrentes destas ações ( p.ex. dividendos ). Ao realizar qualquer tipo de operação recebe uma nota de corretagem emitida pelo computador da Bolsa que discrimina todas as operações realizadas.
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
13
Mercado a vista
No mercado a vista, ocorre a compra ou venda de uma determinada quantidade de ações a um preço estabelecido em pregão. Os preços das ações são formados em pregão, pela dinâmica das forças de oferta e demanda de cada papel.
A negociação é realizada pelo Sistema Eletrônico de Negociação 
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
14
Ao dar uma ordem de compra ou venda para o corretor, o investidor pode fazê-lo de formas diversas, apresentadas a seguir:
Ordem a mercado 
Ordem administrada 
Ordem limitada 
Ordem casada 
Ordem start/on-stop 
Ordem discricionária 
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
15
LIQUIDAÇÃO DAS OPERAÇÕES
Ocorre em D+3
Entrega das ações \u2013 Liquidação Física (até as 10horas) . 
Pagamento \u2013 Liquidação Financeira (até as 15:30 horas) . 
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
16
DAY-TRADE
Muito se especula sobre a questão do day-trade, palavra de língua inglesa adotada pelo mercado, que significa operação (trade) no mesmo dia (day). Em outras palavras, day-trade significa comprar e vender no mesmo dia uma quantidade de ações de uma mesma empresa pelo mesmo investidor, através da mesma corretora e utilizando o mesmo agente de compensação. 
A operação será liquidada por saldo em D+3. 
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
17
 MERCADO A TERMO
Uma operação a termo é a compra ou venda, em mercado, de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado, a contar da data de sua realização em pregão, resultando em um contrato entre as partes.
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
18
O prazo do contrato a termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. Título-objeto é uma ação negociada a termo. Todas as ações negociáveis na BOVESPA podem ser objeto de um contrato a termo. A precificação a termo de uma ação é função das seguintes variáveis:
valor cotado no mercado a vista
 (+)
parcela correspondente aos juros fixados livremente em mercado para o prazo até o vencimento.
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
19
Garantias de uma operação à termo:
Toda transação a termo requer um depósito de garantia na sociedade corretora, e desta na CBLC. Qualquer corretora pode pedir a seus clientes garantias adicionais àquelas exigidas pela CBLC.
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. 
Cobertura - um vendedor a termo que possua os títulos-objeto pode depositá-los na CBLC, como garantia de sua obrigação. Esse depósito, denominado cobertura, dispensa o vendedor de prestar outras garantias adicionais 
20
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
21
Margem - o valor da margem inicial requerida é igual ao diferencial entre o preço a vista e o preço a termo do papel, acrescido do montante que represente a diferença entre o preço a vista e o menor preço a vista possível no pregão seguinte, estimado com base na volatilidade histórica do título. A CBLC avalia a volatilidade e a liquidez das ações e as condições gerais das empresas emissoras, classificando os papéis em diferentes intervalos de margem. 
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações
22
Margem Adicional - sempre que ocorrer redução no valor de garantia do contrato, decorrente de oscilação na cotação dos títulos depositados como margem e/ou dos títulos-objeto da negociação, será necessário o reforço da garantia inicial, que poderá ser efetuado mediante o depósito de dinheiro ou demais ativos autorizados pela CBLC. 
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações 
23
Estratégias de Negociação no Mercado a Termo
Proteção de preço 
Diversificação de riscos 
Operação caixa 
Alavancagem 
Financiamento 
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações 
 
24
ALUGUEL DE AÇÕES 
A operação de aluguel, em si, consiste na transferência de títulos da carteira do investidor para satisfazer necessidades temporárias de um tomador. O tomador do aluguel estará com o ativo disponível em sua carteira durante o período de vigência do contrato. Ressalta-se que o papel alugado deve estar disponível em carteira, para devolução, no dia de encerramento do contrato. 
*
AULA 6
 Mercado secundário de ações 
25
Processos de negociação 
Comum \u2013 realizado entre dois representantes dos investidores (Corretoras) através do Sistema Eletrônico de Negociação 
Direta \u2013 o mesmo operador compra e vende representando os interesses dos clientes da sua corretora \u2013 passa por um representante da Bolsa que anuncia um negócio direto aguardando um tempo. A operação será fechada pelo melhor preço. 
Leilão \u2013 semelhante à direta . 
Oferta \u2013 será fechada sem a presença do operador que registra