A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Menstruação e Glândulas Mamárias

Pré-visualização | Página 2 de 3

da teca interna que não degeneraram
- secretoras de esteróides estimuladas por LH
Tubas uterinas
- infundíbulo: abre-se na cavidade peritoneal próximo ao ovário e tem prolongamentos em
forma de franjas (fímbrias)
- ampola: local mais propício para a fertilização
- intramural: atravessa a parede do útero e se abre em seu interior
- estrutura da parede da tuba uterina
- camada mucosa
- possui dobras longitudinais que são muito numerosas na ampola
- epitélio colunar simples e lâmina própria de tecido conjuntivo frouxo
- tem também células secretoras
- camada muscular lisa
- camada serosa
Útero
- constituído por corpo e colo, sendo que a parte dilatada superior do corpo é o fundo do útero
- parede constituida por três camadas
- camada serosa
- miométrio: espessa camada de músculo liso
- grandes feixes de fibras musculares lisas separadas por tecido conjuntivo
- endométrio: mucosa uterina revestido a cavidade uterina
- células organizadas em epitélio simples colunar formado por células
ciliadas e células secretoras
- tecido conjuntivo da lâmina própria é rico em fibroblastos
- camadas
- camada basal: mais profunda, adjacente ao miométrio,
constituída por tecido conjuntivo e pela porção inicial das
glândulas uterinas
- camada funcional: formada pelo restante do tecido conjuntivo e
da lâmina própria, desembocadura das glândulas e epitélio
superficial
- sofre mudanças intensas durante os ciclos menstuais
- artérias arqueadas partem do miométrio e formam dois grupos de artérias
que irrigam o endométrio, as artérias retas, que irrigam a camada basal, e as
artérias espirais, que irrigam a camada funcional
- ciclo menstrual
- começo do ciclo menstrual: dia em que se inicia o sangramento menstrual
- sangramento consiste em minúsculos fragmentos do endométrio misturados
com sangue dos vasos sanguíneos rompidos durante a menstruação
- fases do ciclo: menstrual, proliferativa e secretória
- fase proliferativa:crescimento rápido de um pequeno grupo de
folículos ovarianos
- quando a teca interna se desenvolve mais intensamente,
esses folículos começam a secretar ativamente
estrógenos, cujas concentrações plasmáticas aumentam
gradualmente
- estrógenos agem no endométrio induzindo a
proliferação celular, que reconstitui o endométrio
perdido durante a menstruação
- induz também a produção de cílios no epitélio da
tuba
- nessa fase o endométrio está coberto por um epitélio
colunar simples
- fase secretória ou luteal
- começa depois da ovulação e resulta da ação de
progesterona secretada pelo corpo lúteo que se forma
após a ovulação
- as células epiteliais começam a acumular glicogênio
- o endotélio alcança sua máxima espessura
- se tiver ocorrido fertilização o embrião terá sido transportado
ao útero e aderido ao epitélio uterino durante a fase
secretória
- progesterona inibe a contração de células musculares
lisas do miométrio
- fase menstrual
- corpo lúteo deixa de funcionar, o que leva a uma
diminuição rápida dos níveis de estrógenos e
principalmente de progesterona
- ocorrem vários ciclos de contração as artérias espirais do
endométrio que são fonte para a irrigação da camada
funcional
- isso resulta no bloqueio do fluxo de sangue, produzindo
isquemia e causando morte por necrose das paredes
das artérias, assim como das células da camada
funcional do endométrio irrigada por esses vasos
- endométrio gravídico
- se houve implantação embrionária, as células
trofoblásticas produzem gonadotropina coriônica (HCG)
que estimula o corpo lúteo, a continuar secretando
progesterona
- implantação: adesão do embrião as células do epitélio
endometrial seguida pela penetração do embrião na mucosa
uterina
- implantação intersticial
- fibroblastos da lâmica própria aumentam de tamanho,
tornando-se arredondados e exibem características de
células produtoras de proteínas -> células deciduais
- placenta
- órgão temporário -> trocas fisiológicas entre a mãe e o embrião ou feto
- parte fetal = cório
- parte materna = decídua basal
- cérvice uterino
- mucosa é revestida por um epitélio simples colunar secretor de muco
- endocérvice: epitélio colunar simples
- ectocérvice: epitélio pavimentoso estratificado
- local de encontro entre endocérvice e ectocérvice = junção
escamo-colunar (JEC)
- por ter uma concentração de células tronco (progenitoras), é
mais susceptível à infecção pelo HPV e malignação -> exame de
papanicolau
- é basicamente constituido de tecido conjuntivo denso
- parto = ação de colagenase e dilatação do colo
- contém glândulas mucosas cervicais
Vagina
- não tem glândulas
- três camadas: mucosa, muscular e adventícia
- epitélio estratificado pavimentoso
- sob estímulo de estrógenos, o epitélio vaginal sintetiza e acumula grande quantidade
de glicogênio que é depositado no lúmen da vagina quando as células do epitélio
vaginal descamam
- bactérias da vagina metabolizam o glicogênio e produzem ácido lático,
responsável pelo pH da vagina, que é normalmente baixo
- lâmina prórpia: tecido conjuntivo frouxo rico em fibras elásticas
- elasticidade: grande número de fibras elásticas no tecido conjuntivo de sua parede
Glândulas mamárias
- desenvolvimento
- glândulas sudoríparas modificadas
- no embrião, entre a 4ª e a 6ª semana, ocorre o espessamento bilateral do
ectoderma epidérmico formando as cristas mamárias desde a região axilar até
a região inguinal, mas a parte inguinal normalmente degenera
- na região torácica, formam-se brotamentos que dão origem aos ductos
galactóforos
- persistência da crista mamária leva a formação de mamas (polimastia) ou mamilos
acessórios (politelia) e também pode ter ausência de formação das cristas mamárias
(amastia)
- lobo - 1 duto galactóforo + túbulos que nele desembocam
- lóbulo - ramificações dos dutos intralobulares
- porção dutal: dutos galactóforos e seios galactóforos
- porção secretora: alvéolos
- estroma mamário: tecido conjuntivo + adiposo
- mamilo: abertura dos seios galactóforos
- epitélio estratificado pavimentoso queratinizado
- pigmentado
- tecido conjuntivo denso + fibras musculares lisas
- mulheres não lactantes: mamilo obstruído por queratina
- aréola
- glândulas sebáceas areolares: lubrificação
- cada glândula mamária consiste em 15 a 25 lóbulos de glândulas tubuloalveolares
compostas
- função: secretar leite para os recém-nascidos
- cada lóbulo é separado dos vizinhos por tecido conjuntivo denso e muito tecido adiposo
- cada lóbulo é uma glândula indivdualizada com seu próprio ducto excretor chamado ducto
galactótrofo
- esses ductos emergem independentemente no mamilo
- pré-pubere
- compostas de porções dilatadas, os seis galactótrofos e várias ramificações desses
seios, os ductos galactóforos
- puberdade
- aumento do volume da mama resultado de acúmulo de tecido adiposo e conjuntivo, e
certo crescimento e ramificação dos ductos galactóforos -> devido ao aumento de
estrógeno
- as aberturas externas dos ductos galactóforos são revestidas por epitélio estratificado
pavimentoso e se transforma em estratificado colunar ou cuboide nos ductos galactóforos
- o revestimento dos ductos galactóforos e ductos interlobulares terminais é formado por
epitélio simples cúbico- envolvido por células mioepiteliais
- o tecido conjuntivo que cerca os alvéolos contém muitos linfócitos e plasmócitos
- população de plasmócitos aumenta significativamente no fim da gravidez -> secreção de IgA
- gravidez e lactação
- estrógenos, progesterona, prolactina e lactogênio placentário humano fazem o
crescimento das glândulas mamárias
- promovem o desenvolvimento dos alvéolos -> estruturas ativamente secretoras de
leite
- células secretoras são cuboides pequenas e baixas
- o leite produzido se acumula no lúmen dos alvéolos e dentro dos ductos galactóforos
- quando cesssa a amamentação a maioria dos alvéolos desenvolidos durante a
grvidez sofre degeneração por apoptose
- células mioepiteliais: células com fragmentos contráteis que auxiliam a expulsão do leite
- secreção do leite
- prolactina: estimula a secreção alveolar
- oxitocina: contraçao

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.