Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Resenha sobre o Filme Tempo de Despertar

Pré-visualização | Página 1 de 1

Universidade Estadual Da Bahia
Aluna: Lara Lessa Araújo
Docente: Leila Pitangueira Guedes Mazarakis
Curso: Medicina
Período: 1º
Resumo do filme Tempo De Despertar
O filme “Tempo de despertar”, baseado em fatos reais, inicialmente retrata a história de um
rapaz chamado Leonard que ainda criança é diagnosticado com uma doença desconhecida, a
qual foi evoluindo seus sintomas com o tempo e desenvolveu a necessidade de internamento
do jovem protagonista do início da trama em um hospital psiquiátrico, local este em que eram
tratados diversos pacientes crônicos, alguns inclusive com sintomas parecidos, porém sem
diagnóstico completo. As pessoas que estavam internadas nesta instituição de saúde, não
eram vistas como pacientes importantes, apenas eram mantidos com cuidados paliativos, sem
interesse médico em descobrir e buscar aliviar a enfermidade que os acometia, por parte dos
profissionais que ali trabalhavam. Porém essa realidade mudou quando no final da década de
60 um médico pesquisador chamado Dr. Malcolm Sayer se apresenta para trabalhar no hospital
em que Leonard está internado, a partir este momento, mesmo com pouca experiência em
contato direto com os enfermos, esse pesquisador se intriga com o comportamento de uma
determinada senhora que ali estava internada, a Dona Lucy, o doutor Sayer nota que, apesar
de Lucy se manter imóvel na maioria do tempo, ela possuía um reflexo bem aguçado, e era
capaz de agarrar forte seus óculos ao caírem. Após essa descoberta, o médico, recém
chegado no hospital psiquiátrico, se anima e corre para contar e demonstrar aos seus colegas
sua descoberta, mas, ninguém se impressiona e o dizem que o acontecido era apenas simples
reflexos insignificantes, dessa forma o pesquisador não obteve sucesso em sua tentativa de
iniciar possíveis pesquisas sobre soluções para a enfermidade que acometia muitos que ali
estavam.
Após muitas observações, o doutor Sayer chega a conclusão de que todos os seus pacientes
possuíam habilidades em comum, eles conseguiam agarrar qualquer objeto em movimento e
fixavam o olhar em tudo que se move e mantém um padrão, desse modo ele se anima em
procurar tratamentos para essas pessoas, porém era necessário iniciar aos poucos, com
apenas um deles, como a maioria dos internados quase não recebiam visitas ele não teria
como iniciar sua pesquisa sem que houvesse autorização dos responsáveis. Assim, em um dia
de observação, o médico nota que um certo paciente recebe visitas todos os dias de uma
senhora que o alimentava, cuidava dos seus cabelos e o contava histórias, com isso, ele
começou a se aproximar desta mulher que era a mãe do Leonard, enfermo internado naquele
hospital, e a pediu a permissão para iniciar treinamentos e pesquisas que o levassem ao
diagnóstico correto e tentativa de cura dos que necessitavam. O Dr. Sayer conversa com essa
mãe e procura saber mais informações sobre esta doença e logo pensa em estratégias para
tratar e reconduzir estes pacientes para o convívio social. Logo então, ele descobre que os
pacientes possuíam um tipo de encefalite (catatonia), decide mudar o ambiente e começa a
trabalhar com músicas.Os pacientes começam a mudar seu comportamento e passam a reagir
ao ouvir músicas. Quando o Dr. Sayer percebe a reação de seus pacientes, solicita a direção
do hospital testes experimentais com Leonard com uma nova droga ( L- Levodopa ) utilizada
para mal de Parkinson. Ao utilizar a droga, percebe que de forma gradativa, seus pacientes
foram reagindo como se estivesse despertando de um sono profundo de duração de vários
anos. Todos ficaram eufóricos com os resultados e buscaram tirar todas as dúvidas sobre suas
vidas, mas nem todos se reconheceram e se viam confusos com suas imagens e as datas
presentes, o decorrer do tratamento se manteve tranquilo, até o momento em que efeitos
colaterais começaram a aparecer em Leonard e seu comportamento se altera, ele torna-se
agressivo e apresenta tremores e delírios. Depois de determinado momento ele desenvolve
uma espécie de paralisia, e o médico do caso resolve aumentar as doses do medicamento
ministrado para ver se funciona melhor, mas não houve melhoras.
Após alguns dias, a mãe de Leonard implora ao neurologista que pare o tratamento visto que
não era notadas evoluções e os efeitos colaterais se intensificaram, com isso, o doutor Sayer
decide parar com o tratamento e todos os que foram beneficiados voltaram ao estado de
sonolência profunda. O médico e sua equipe ficaram frustrados, mas demonstraram grande
interesse em manter a busca por remédios que sejam eficientes.