Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

faça um texto sobre gravidez na adolescência? ​​

Português

EM Edson Andre De Aguiar


3 resposta(s)

User badge image

Julia Corcioli Teixeira

Há mais de um mês

gravidez na adolescência é considerada a que ocorre entre os 10 e 20 anos, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Apontada como uma gestação de alto risco decorrente das preocupações que traz à mãe e ao recém nascido, a gravidez nesta faixa etária pode acarretar problemas sociais e biológicos. O Brasil apresenta elevados índices de adolescentes grávidas, porém, o Ministério da Saúde indica que houve uma redução de 17% no número de mães entre 10 e 19 anos, no período de 2004 a 2015. A maioria das adolescentes que engravidam abandonam os estudos para cuidar do filho, o que aumenta os riscos de desemprego e dependência econômica dos familiares. Esse fatores contribuem para a perpetuação da pobreza, baixo nível de escolaridade, abuso e violência familiar, tanto à mãe como à criança. Além disso, a ocorrência de mortes na infância é alta em filhos nascidos de mães adolescentes. A situação socioeconômica, a falta de apoio e de acompanhamento da gestação (pré-natal) contribuem para que as adolescentes não recebam informações adequadas em relação à alimentação materna apropriada, à importância da amamentação e sobre a vacinação da criança. Também é grande o número de adolescentes que se submetem a abortos inseguros, usando substâncias e remédios para abortar ou em clínicas clandestinas, isso tem grandes riscos para a saúde da adolescente e até mesmo risco de vida, sendo uma das principais causas de morte maternal. Essas ações acarretam prejuízos às crianças, gerando um impacto na saúde pública, além da limitação no desenvolvimento pessoal, social e profissional da gestante.


gravidez na adolescência é considerada a que ocorre entre os 10 e 20 anos, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Apontada como uma gestação de alto risco decorrente das preocupações que traz à mãe e ao recém nascido, a gravidez nesta faixa etária pode acarretar problemas sociais e biológicos. O Brasil apresenta elevados índices de adolescentes grávidas, porém, o Ministério da Saúde indica que houve uma redução de 17% no número de mães entre 10 e 19 anos, no período de 2004 a 2015. A maioria das adolescentes que engravidam abandonam os estudos para cuidar do filho, o que aumenta os riscos de desemprego e dependência econômica dos familiares. Esse fatores contribuem para a perpetuação da pobreza, baixo nível de escolaridade, abuso e violência familiar, tanto à mãe como à criança. Além disso, a ocorrência de mortes na infância é alta em filhos nascidos de mães adolescentes. A situação socioeconômica, a falta de apoio e de acompanhamento da gestação (pré-natal) contribuem para que as adolescentes não recebam informações adequadas em relação à alimentação materna apropriada, à importância da amamentação e sobre a vacinação da criança. Também é grande o número de adolescentes que se submetem a abortos inseguros, usando substâncias e remédios para abortar ou em clínicas clandestinas, isso tem grandes riscos para a saúde da adolescente e até mesmo risco de vida, sendo uma das principais causas de morte maternal. Essas ações acarretam prejuízos às crianças, gerando um impacto na saúde pública, além da limitação no desenvolvimento pessoal, social e profissional da gestante.


User badge image

Ingrid Silva

Há mais de um mês

Gravidez na Adolescência


A adolescência é a fase mais complexa da vida, quando o corpo está em completa transformação e os hormônios aflorados, provocando diversas sensações e mudanças. A gravidez na adolescência pode provocar uma série de consequências ruins para a vida da mãe e do bebê.


O pico nos níveis hormonais é o que pode levar o adolescente a iniciar a vida sexual cedo e muitas vezes sem proteção, podendo assim ocasionar uma gravidez inesperada e até contrair uma DST – Doença Sexualmente Transmissível.


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a adolescência vai desde os 10 anos até os 19 e a gravidez é considerada precoce dentro dessa faixa etária. Em muitos casos, a gravidez na adolescência se dá pela falta de informação.


A gravidez na adolescência pode acarretar diversos problemas, como: físico, emocional, sentimental, psicológico, social, entre outros. O corpo e a mente de uma menina entre 12 e 16 anos ainda está na fase de transformação e geralmente não está preparado para uma gestação.


Quando ocorre a primeira menstruação significa que o corpo feminino está começando a maturar. De acordo com alguns especialistas, a quantidade de mães jovens e solteiras tem aumentado bastante. Muitas vezes, os jovens não possuem maturidade suficiente para assumir o compromisso e a responsabilidade de uma gravidez inesperada.


É necessário orientar os adolescentes para se cuidar e não praticar relações sexuais sem a devida proteção. É importante ainda estreitar laços de parceria entre escola e família, com intuito de desenvolver ações de orientação sexual, com o intuito de promover o conhecimento sobre o assunto entre os adolescentes e assim diminuir a quantidade de gravidez precoce; e doenças sexualmente transmissíveis nesta fase da vida.


Uma vez detectada a gravidez na adolescência, o primeiro passo é começar imediatamente o pré-natal. Essa adolescente precisa do apoio familiar e de todos que a cercam, além de um bom acompanhamento psicológico e de obstetrícia.


User badge image

Camila A. Pinheiro da Silva

Há mais de um mês

Este é um tema que além de ser considerado desde o ensino fundamental, deve também abordar doenças sexualmente transmissíveis e a prevenção da gravidez precoce, visto que pode causar risco à saúde da adolescente!

Essa pergunta já foi respondida!