A maior rede de estudos do Brasil

Qual é a diferença entre prescrição e decadência?


8 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

Na prescrição, o sujeito perde o direito à determinada ação, ou seja, seu direito de exigir algo por meios legais deixam de existir.

Os prazos prescricionais estão determinado nos artigos 205 e 206 do Código Civil, e não podem ser modificados. 

Já na decadência, a pessoa perde o próprio direito material, por não ter formalizado o pedido de seu direito dentro de um prazo definido.  

Os prazos de decadência podem ter origem legal, ou por meio de acordo entre as partes envolvidas. Eles estão dispostos em diversas partes no Código Civil, porém se encontram principalmente na Parte Especial do Diploma.

O professor Agnelo Amorim Filho deixou uma dica muito interessante para sabermos quando temos uma prescrição, e quando temos um caso de decadência:

  • sujeitam-se à prescrição os direitos prestacionais, dos quais decorrem ações condenatórias;
  • sujeitam-se à decadência os direitos formativos com prazo para exercício previsto em lei, dos quais decorrem ações constitutivas;
  • são perpétuas as ações declaratórias e os direitos potestativos sem prazo para exercício previsto em lei.(AMORIM FILHO, Agnelo. Critério científico para distinguir a prescrição da decadência e para identificar as ações imprescritíveis. Revista dos Tribunais, vol. 300. São Paulo: RT, out. 1961).

Na prescrição, o sujeito perde o direito à determinada ação, ou seja, seu direito de exigir algo por meios legais deixam de existir.

Os prazos prescricionais estão determinado nos artigos 205 e 206 do Código Civil, e não podem ser modificados. 

Já na decadência, a pessoa perde o próprio direito material, por não ter formalizado o pedido de seu direito dentro de um prazo definido.  

Os prazos de decadência podem ter origem legal, ou por meio de acordo entre as partes envolvidas. Eles estão dispostos em diversas partes no Código Civil, porém se encontram principalmente na Parte Especial do Diploma.

O professor Agnelo Amorim Filho deixou uma dica muito interessante para sabermos quando temos uma prescrição, e quando temos um caso de decadência:

  • sujeitam-se à prescrição os direitos prestacionais, dos quais decorrem ações condenatórias;
  • sujeitam-se à decadência os direitos formativos com prazo para exercício previsto em lei, dos quais decorrem ações constitutivas;
  • são perpétuas as ações declaratórias e os direitos potestativos sem prazo para exercício previsto em lei.(AMORIM FILHO, Agnelo. Critério científico para distinguir a prescrição da decadência e para identificar as ações imprescritíveis. Revista dos Tribunais, vol. 300. São Paulo: RT, out. 1961).
User badge image

Jhoni

Há mais de um mês

Giulia, primeiramente, esqueça a ideia de que prescrição é perda do direito de ajuizar a ação. A prescrição, na verdade, está relacionada a perda da pretensão (direito de ser reparado pela violação ao direito), como diz o art. 189 do CC "Violado o direito, nasce para o titular a pretensão, a qual se extingue, pela prescrição (...)".

Direito de ajuizar a ação é um direito público subjetivo. Ou seja, todos nós temos o direito de entrar com uma ação, caso entendamos que tivemos um direito violado. O direito de ajuizar ação, ou o direito de entrar com ação, não é dependente do mérito dela. É perfeitamente possível entrar com uma ação requerendo um direito prescrito. Vai ser julgado improcedente, mas o seu direito de ajuizá-la permanece e você o exerceu.

Decadência, por sua vez, é a perda de um direito potestativo. O direito potestativo é um direito que não tem um dever contraposto. Explico. Normalmente, para a concretização de um direito é necessário um dever para outrem, p. ex., para se ter saúde, é necessário o dever do estado para que se cumpra o meu direito, ou, quando se tem o crédito, outra pessoa tem o dever de pagá-lo. O direito potestativo, no entanto, é um direito que não tem um dever contraposto, p. ex., no caso do direito do empregador de despedir o empregado sem justa causa, o empregado não tem dever algum. Em outras palavras, a concretização do direito potestativo é dependente da atuação do titular do direito (somente dele). Como ele não age no tempo devido, tem-se a decadência do direito. 

Resumindo:

Prescrição - perda da pretensão (quem diz isso é o Código Civil de 2002, no art. 189).

Decadência - perda de um direito potestativo.

User badge image

Marcelo

Há mais de um mês

https://www.passeidireto.com/pergunta/17094233/o-que-e-prescricao-e-decadencia-

User badge image

Lucas

Há mais de um mês

Gosto de trabalhar com siglas e letras. Prescrição é P. Decadência é D

Prescrição: Perda da Pretensão. Relacionada aos direitos subjetivos. Perder a pretensão é prescrição. Só é prescrição em matéria civil o que está contido nos arts. 205/206.

Decadência: Deixo de exercer um Direito potestativo. Deixar de exercer o Direito é Decadência. Todos os demais artigos que não 205/206, trazem prazos decadenciais.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas