A maior rede de estudos do Brasil

O que distingue os direitos sociais dos demais direitos subjetivos previstos na Constituição Brasileira?

SociologiaFCHPE

3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Inglês Verified user icon

Há mais de um mês

Os direitos sociais, assim como os direitos subjetivos, estão previstos na Constituição Federal brasileira. Os direitos subjetivos permitem aos titulares a possibilidade de impor os seus interesses diante dos órgãos do judiciário, enquanto os direitos fundamentais formam a base do ordenamento jurídico de um Estado Democrático de Direito. Ou seja, enquanto os direitos sociais têm aplicação imediata, ter direito subjetivo significa ter a necessidade de uma ação jurisdicional que venha impor o cumprimeiro de um dever.  

Os direitos sociais, assim como os direitos subjetivos, estão previstos na Constituição Federal brasileira. Os direitos subjetivos permitem aos titulares a possibilidade de impor os seus interesses diante dos órgãos do judiciário, enquanto os direitos fundamentais formam a base do ordenamento jurídico de um Estado Democrático de Direito. Ou seja, enquanto os direitos sociais têm aplicação imediata, ter direito subjetivo significa ter a necessidade de uma ação jurisdicional que venha impor o cumprimeiro de um dever.  

User badge image

Arthur

Há mais de um mês

Bom dia.

Acredito que a pergunta estaria indo para a temática do social (direitos sociais) e individual (demais direitos).

Para o meu conhecimento, a diferença seria na objetividade do direito, ou seja, na sua finalidade. No entando, os direitos sociais, assim como os demais direitos subjetivos, surgiram igualmente pela necessidade do ordenamento jurídico na sociedade.

       Porém, os direitos sociais objetivam uma conscientizão coletiva para com o Estado em protegê-los, tendo seu início na revolução industrial com a classe trabalhadora, ou seja, uma maioria na quantidade, mas minoria nas conquistas. Com isso, o direito social surge no intúito de assegurar direitos à uma parcela da sociedade, a todos os indivíduos que a compõe de forma geral, como uma conquista coletiva. Em suma, buscam melhorar as condições de vida e de trabalho para todos; são cedidos à todos pelo Estado e dependem de sua atuação e regulamentação. Com o auxílio de outras leis, alcançam diferentes áreas de amparo aos indivíduos como: direitos trabalhistas; seguridade social (direitos à saúde, à previdência social e à assistência social); proteção à maternidade, à infância e aos desamparados.

       Por outro lado, os demais direitos também baseiam-se na premissa da garantia do Estado, mas de forma, digamos, "individual" e com objetivos mais "restritos". Ainda que sirva a todos, os brasileiros, de acordo com a lei, devem ter o respeito: ao seu nome; sua intimidade; suas relações; sua privacidade; sua liberdade; seu domicílio; sua correspondência; e acima de tudo, o direito à vida e à qualidade igualitária de se viver.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas