A maior rede de estudos do Brasil

Disserte sobre HERMENEUTICA E INTERPRETAÇÃO JURÍDICA


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

Hermenêutica é a área da filosofia responsável por estudar a teoria da interpretação. 

A hermenêutica jurídica, por sua vez, pode ser definida como o segmento da hermenêutica tradicional que tem a finalidade de interpretar as normas e leis jurídicas, determinando métodos para o entendimento legal.

Existem diversos métodos hermeneuticos. Em julgados, o Supremo já se utilizou de métodos de hermeneutica clássica, sistematizados por Savigny, como:

  • Método Gramatical – busca o sentido literal ou textual da norma jurídica;
  • Método Sistemático – resulta da correlação de todos os dispositivos normativos de um texto jurídico. Também denomina-se Filtragem Hermenêutica;
  • Método Histórico – busca do passado para compreender o sentido atual da norma. Ou seja, trata-se da identificação de momentos e fatos históricos que interferiram na criação da norma jurídica;
  • Método Sociológico –se baseia na eficácia social, ou seja, analisa-se a norma de tal modo a não haver uma injustiça social; e
  • Método Teleológico ou Finalista – busca a finalidade da norma. Assim, supera-se a realidade escrita da norma, embasando-a por princípios.

A Suprema Corte também já se utilizou de métodos hermeuticos modernos:

  • Método Tópico-problemático – criado por Viehweg . Tal método inicia-se com a análise do caso concreto para depois buscar a melhor norma jurídica. Método contrário ao positivismo jurídico;
  • Método Hermenêutico-concretizador – criado por Konrad Hesse. Este método seria conduzido pelo que ele denomina de pré-compreensão – conjunto de valores, visões de mundo, crenças que o intérprete incorpora na sua própria consciência dentro de seu espaço interpretador, mergulhado numa cultura, num conjunto de valores num dado contexto histórico-cultural. Assim, além dos elementos objetivos, devem-se somar elementos subjetivos para a aplicação da norma;
  • Método Científico-cultural – método criado por Rudolph Smend, busca apaziguar conflitos sociais por meio da conciliação. Assim, o interprete deve-se atentar às medidas conciliatórias para aplicar a melhor solução jurídica ao caso;
  • Método Normativo-estruturante – criado por Müller, defende-se que o conceito de norma abarca uma dúplice perspectiva, a de norma constitucional como texto normativo e, a de norma constitucional com âmbito normativo. Assim, a norma jurídica deve ser, também, instrumento do cidadão para que este evite abusos do Poder Público.

Hermenêutica é a área da filosofia responsável por estudar a teoria da interpretação. 

A hermenêutica jurídica, por sua vez, pode ser definida como o segmento da hermenêutica tradicional que tem a finalidade de interpretar as normas e leis jurídicas, determinando métodos para o entendimento legal.

Existem diversos métodos hermeneuticos. Em julgados, o Supremo já se utilizou de métodos de hermeneutica clássica, sistematizados por Savigny, como:

  • Método Gramatical – busca o sentido literal ou textual da norma jurídica;
  • Método Sistemático – resulta da correlação de todos os dispositivos normativos de um texto jurídico. Também denomina-se Filtragem Hermenêutica;
  • Método Histórico – busca do passado para compreender o sentido atual da norma. Ou seja, trata-se da identificação de momentos e fatos históricos que interferiram na criação da norma jurídica;
  • Método Sociológico –se baseia na eficácia social, ou seja, analisa-se a norma de tal modo a não haver uma injustiça social; e
  • Método Teleológico ou Finalista – busca a finalidade da norma. Assim, supera-se a realidade escrita da norma, embasando-a por princípios.

A Suprema Corte também já se utilizou de métodos hermeuticos modernos:

  • Método Tópico-problemático – criado por Viehweg . Tal método inicia-se com a análise do caso concreto para depois buscar a melhor norma jurídica. Método contrário ao positivismo jurídico;
  • Método Hermenêutico-concretizador – criado por Konrad Hesse. Este método seria conduzido pelo que ele denomina de pré-compreensão – conjunto de valores, visões de mundo, crenças que o intérprete incorpora na sua própria consciência dentro de seu espaço interpretador, mergulhado numa cultura, num conjunto de valores num dado contexto histórico-cultural. Assim, além dos elementos objetivos, devem-se somar elementos subjetivos para a aplicação da norma;
  • Método Científico-cultural – método criado por Rudolph Smend, busca apaziguar conflitos sociais por meio da conciliação. Assim, o interprete deve-se atentar às medidas conciliatórias para aplicar a melhor solução jurídica ao caso;
  • Método Normativo-estruturante – criado por Müller, defende-se que o conceito de norma abarca uma dúplice perspectiva, a de norma constitucional como texto normativo e, a de norma constitucional com âmbito normativo. Assim, a norma jurídica deve ser, também, instrumento do cidadão para que este evite abusos do Poder Público.
User badge image

Jouse

Há mais de um mês

De acordo com Emanoel Gonçalves Ferreira Filho, "Hermeneutica por meio da interpretação é que o aplicador da norma, ,ou o destinatário desta, procura o sentido dela no exame enunciado normativo”

HERMENÊUTICA: É a ciência que estuda interpretação das normas jurídicas.

Hermenêutica é Sistematizar através de:
1) Critérios;
2) Métodos,
3) Regras,
4) Princípios científicos, etc;
Que possibilitem a descoberta do conteúdo, sentido e alcance significado das normas jurídicas.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas