A maior rede de estudos do Brasil

Introdução de Direito

qual a diferença entre sumula vinculante e jurisprudencia 


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

  • Súmula Vinculante:

Antes de 2004 só existiam as súmulas persuasivas.

Súmula é o resumo de vários julgamentos de um determinado tribunal sobre determinada matéria, quando as decisões são no mesmo sentido.

Wellington Cabral Saraiva nos traz uma explicação:

"Durante algum tempo, diversos processos nos tribunais discutiam se deveria haver pagamento de contribuição previdenciária sobre o valor do décimo-terceiro salário. Diversos desses processos chegaram ao Supremo Tribunal Federal (STF), que decidiu, repetidas vezes, ser devida a contribuição previdenciária naqueles casos. Constatada a repetição dos julgamentos sobre a mesma matéria e no mesmo sentido, o STF decidiu aprovar uma súmula, resumindo esse entendimento. Daí nasceu a súmula 688 de sua jurisprudência, a qual diz: “É legítima a incidência da contribuição previdenciária sobre o 13.º salário.”

Como dito acima, tais súmulas são persuasivas, e não obrigam os magistrados a seguirem suas orientações.

Estas súmulas podem ser criadas por quaisquer tribunais, como forma de consolidar e orientar o jurista a respeito dos entendimentos predominantes do tribunal.

Em 2004, no entanto, através de uma emenda constitucional, foi criada a figura da súmula vinculante.

As súmulas vinculantes representam uma categoria diferenciada de súmula, dotada de teor obrigatório: obrigam a Administração Pública e todos os demais Juízes e Tribunais a seguir o conteúdo da Súmula. 

Caso não o façam, a decisão violadora da súmula é passível de ser questionada diante do próprio Supremo, por meio de um instrumento chamado de reclamação constitucional.

O artigo 103-A determina como deve ser criada uma súmula vinculante:

"Art. 103-A. O Supremo Tribunal Federal poderá, de ofício ou por provocação, mediante decisão de dois terços dos seus membros, após reiteradas decisões sobre matéria constitucional, aprovar súmula que, a partir de sua publicação na imprensa oficial, terá efeito vinculante em relação aos demais órgãos do Poder Judiciário e à administração pública direta e indireta, nas esferas federal, estadual e municipal, bem como proceder à sua revisão ou cancelamento, na forma estabelecida em lei."

Temos, portanto, que a Súmula Vinculante somente pode ser criada pelo Supremo Tribunal Federal.

  • Jurisprudência:

Segundo Miguel Reale, pela palavra “jurisprudência”, devemos entender a forma de revelação do direito que se processa através do exercício da jurisdição, em virtude de uma sucessão harmônica de decisões dos tribunais.

Importa ressaltar que o direito jurisprudencial não se forma através de uma, duas ou três sentenças. É necessário que haja uma série de julgados que guardem, entre si, uma linha essencial de continuidade e coerência.

Para que se possa falar em jurisprudência de um Tribunal, é necessário certo número de decisões que coincidam quanto à substância das questões objeto de seu pronunciamento.

  • Súmula Vinculante:

Antes de 2004 só existiam as súmulas persuasivas.

Súmula é o resumo de vários julgamentos de um determinado tribunal sobre determinada matéria, quando as decisões são no mesmo sentido.

Wellington Cabral Saraiva nos traz uma explicação:

"Durante algum tempo, diversos processos nos tribunais discutiam se deveria haver pagamento de contribuição previdenciária sobre o valor do décimo-terceiro salário. Diversos desses processos chegaram ao Supremo Tribunal Federal (STF), que decidiu, repetidas vezes, ser devida a contribuição previdenciária naqueles casos. Constatada a repetição dos julgamentos sobre a mesma matéria e no mesmo sentido, o STF decidiu aprovar uma súmula, resumindo esse entendimento. Daí nasceu a súmula 688 de sua jurisprudência, a qual diz: “É legítima a incidência da contribuição previdenciária sobre o 13.º salário.”

Como dito acima, tais súmulas são persuasivas, e não obrigam os magistrados a seguirem suas orientações.

Estas súmulas podem ser criadas por quaisquer tribunais, como forma de consolidar e orientar o jurista a respeito dos entendimentos predominantes do tribunal.

Em 2004, no entanto, através de uma emenda constitucional, foi criada a figura da súmula vinculante.

As súmulas vinculantes representam uma categoria diferenciada de súmula, dotada de teor obrigatório: obrigam a Administração Pública e todos os demais Juízes e Tribunais a seguir o conteúdo da Súmula. 

Caso não o façam, a decisão violadora da súmula é passível de ser questionada diante do próprio Supremo, por meio de um instrumento chamado de reclamação constitucional.

O artigo 103-A determina como deve ser criada uma súmula vinculante:

"Art. 103-A. O Supremo Tribunal Federal poderá, de ofício ou por provocação, mediante decisão de dois terços dos seus membros, após reiteradas decisões sobre matéria constitucional, aprovar súmula que, a partir de sua publicação na imprensa oficial, terá efeito vinculante em relação aos demais órgãos do Poder Judiciário e à administração pública direta e indireta, nas esferas federal, estadual e municipal, bem como proceder à sua revisão ou cancelamento, na forma estabelecida em lei."

Temos, portanto, que a Súmula Vinculante somente pode ser criada pelo Supremo Tribunal Federal.

  • Jurisprudência:

Segundo Miguel Reale, pela palavra “jurisprudência”, devemos entender a forma de revelação do direito que se processa através do exercício da jurisdição, em virtude de uma sucessão harmônica de decisões dos tribunais.

Importa ressaltar que o direito jurisprudencial não se forma através de uma, duas ou três sentenças. É necessário que haja uma série de julgados que guardem, entre si, uma linha essencial de continuidade e coerência.

Para que se possa falar em jurisprudência de um Tribunal, é necessário certo número de decisões que coincidam quanto à substância das questões objeto de seu pronunciamento.

User badge image

Yuri

Há mais de um mês

Jurisprudência: são decisões reiteradas num mesmo sentido sobre casos semelhantes.

Súmula vinculantes é a jurisprudência propriamente dita, só que neste caso, é a jurisprudência dos tribunais superiores: STF, STJ, TST, TSM, TSE.
Detalhe: para aprovar uma Súmula vinculante, tem-se necessariamente que tratar de assuntos de repercursão nacional.

Outro detalhe: a súmula leva esse nome "vinculante" porque obrigada a todos os tribunais e juízes das instâncias inferiores a segui-las, ou seja, vincula todos as instâncias.

Se gostou dá um "like" aí ;)

User badge image

Fellipe

Há mais de um mês

Jurisprudência: é o "arquivo" de decisão judicial (ou decisões judiciais) a respeito de determinado assunto, que tem função:
A) embasar decisão sobre ponto que a lei seja omissa, porém a matéria já tenha sido previamente dirimida por fontes de integração do direito (analogia, costumes, principios gerais do direito em comunhão com a norma), visto que o magistrado não pode se omitir do julgamento alegando lacuna legislativa, ou;
B) fixar sentido interpretativo à norma.

Súmula Vinculante: após várias decisões do Supremo Tribunal Federal sobre certa matéria, este pode (apenas o STF, pois a súmula dos demais tribunais não tem o condão vinculante), por meio de votação (tendo como quorum mínimo de votação 2/3 de seus membros), editar certas súmulas normatizando e pacificando o assunto controvertido, obrigando os demais magistrados a seguirem tal determinação. Como a doutrina costuma dizer: "é a ocasião excepcional em que o Poder Judiciário legisla".

User badge image

Yuri

Há mais de um mês

E para complentar... há Súmulas dos Tribunais superiores que não são vinculantes, elas levam o nome de "Súmulas" somente; neste caso elas não obrigam os magistrados inferiores a segui-las mas servem como uma orientação, um parâmetro a ser seguido pelo juízes e desembargadores em suas decisões sobre um determinado assunto.

Se gostou dá um "like" aí ;)

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas