A maior rede de estudos do Brasil

qualquer diferença entre estímulo condicionado e estímulo neutro?

BehaviorismoESTÁCIO

4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

No campo da psicologia comportamental existem modelos de condicionamento clássicos, que são baseados na resposta reflexiva a um estímulo. Eles podem se dividir entre estímulo condicionado e estímulo neutro.


Um estímulo condicionado é um estímulo previamente neutro que, após ser associado a um estímulo incondicionado, desencadeia consequentemente uma resposta condicionada. Um exemplo para essa situação pode ser, suponhamos, o cheiro de uma comida como sendo um estímulo incondicionado e a sensação de fome é uma resposta incondicionada. Imaginemos agora que, ao sentir o cheiro desta comida, ouve-se também o som de um sino. Neste caso, o sino não está relacionado com o cheiro da comida, porém se este som for emparelhado várias vezes com o cheiro da comida, este (o som do sino) passa a desencadear uma resposta condicionada, sendo, portanto, o estímulo condicionado. Um estímulo neutro, que não gera qualquer resposta, é, então, associado ou emparelhado com o estímulo não condicionado, a fim de criar um estímulo condicionado. Na prática esse processo foi descrito pelo cientista Pavlov, num experimento chamado “Os cães de Pavlov”, sendo que, uma vez que os cães passaram a associar o sino com a comida, o estímulo condicionado foi criado, fazendo com que os cães passassem a salivar ao som do sino.


Assim, um estímulo condicionado surge como resultado a um estímulo inicialmente neutro, que não gera qualquer resposta. O estímulo neutro passa a ser então associado ou emparelhado a um estímulo não condicionado, criando-se por fim um estímulo condicionado.

No campo da psicologia comportamental existem modelos de condicionamento clássicos, que são baseados na resposta reflexiva a um estímulo. Eles podem se dividir entre estímulo condicionado e estímulo neutro.


Um estímulo condicionado é um estímulo previamente neutro que, após ser associado a um estímulo incondicionado, desencadeia consequentemente uma resposta condicionada. Um exemplo para essa situação pode ser, suponhamos, o cheiro de uma comida como sendo um estímulo incondicionado e a sensação de fome é uma resposta incondicionada. Imaginemos agora que, ao sentir o cheiro desta comida, ouve-se também o som de um sino. Neste caso, o sino não está relacionado com o cheiro da comida, porém se este som for emparelhado várias vezes com o cheiro da comida, este (o som do sino) passa a desencadear uma resposta condicionada, sendo, portanto, o estímulo condicionado. Um estímulo neutro, que não gera qualquer resposta, é, então, associado ou emparelhado com o estímulo não condicionado, a fim de criar um estímulo condicionado. Na prática esse processo foi descrito pelo cientista Pavlov, num experimento chamado “Os cães de Pavlov”, sendo que, uma vez que os cães passaram a associar o sino com a comida, o estímulo condicionado foi criado, fazendo com que os cães passassem a salivar ao som do sino.


Assim, um estímulo condicionado surge como resultado a um estímulo inicialmente neutro, que não gera qualquer resposta. O estímulo neutro passa a ser então associado ou emparelhado a um estímulo não condicionado, criando-se por fim um estímulo condicionado.

User badge image

Miih

Há mais de um mês

o estimulo neutro é o estimulos condicionado antes do processo de condionamento, ou seja, quando ele ainda não produz a resposta condicionda

User badge image

Andre

Há mais de um mês

No campo da psicologia comportamental existem modelos de condicionamento clássicos, que são baseados na resposta reflexiva a um estímulo. Eles podem se dividir entre estímulo condicionado e estímulo neutro.


Um estímulo condicionado é um estímulo previamente neutro que, após ser associado a um estímulo incondicionado, desencadeia consequentemente uma resposta condicionada. Um exemplo para essa situação pode ser, suponhamos, o cheiro de uma comida como sendo um estímulo incondicionado e a sensação de fome é uma resposta incondicionada. Imaginemos agora que, ao sentir o cheiro desta comida, ouve-se também o som de um sino. Neste caso, o sino não está relacionado com o cheiro da comida, porém se este som for emparelhado várias vezes com o cheiro da comida, este (o som do sino) passa a desencadear uma resposta condicionada, sendo, portanto, o estímulo condicionado. Um estímulo neutro, que não gera qualquer resposta, é, então, associado ou emparelhado com o estímulo não condicionado, a fim de criar um estímulo condicionado. Na prática esse processo foi descrito pelo cientista Pavlov, num experimento chamado “Os cães de Pavlov”, sendo que, uma vez que os cães passaram a associar o sino com a comida, o estímulo condicionado foi criado, fazendo com que os cães passassem a salivar ao som do sino.


Assim, um estímulo condicionado surge como resultado a um estímulo inicialmente neutro, que não gera qualquer resposta. O estímulo neutro passa a ser então associado ou emparelhado a um estímulo não condicionado, criando-se por fim um estímulo condicionado.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

No campo da psicologia comportamental existem modelos de condicionamento clássicos, que são baseados na resposta reflexiva a um estímulo. Eles podem se dividir entre estímulo condicionado e estímulo neutro.


Um estímulo condicionado é um estímulo previamente neutro que, após ser associado a um estímulo incondicionado, desencadeia consequentemente uma resposta condicionada. Um exemplo para essa situação pode ser, suponhamos, o cheiro de uma comida como sendo um estímulo incondicionado e a sensação de fome é uma resposta incondicionada. Imaginemos agora que, ao sentir o cheiro desta comida, ouve-se também o som de um sino. Neste caso, o sino não está relacionado com o cheiro da comida, porém se este som for emparelhado várias vezes com o cheiro da comida, este (o som do sino) passa a desencadear uma resposta condicionada, sendo, portanto, o estímulo condicionado. Um estímulo neutro, que não gera qualquer resposta, é, então, associado ou emparelhado com o estímulo não condicionado, a fim de criar um estímulo condicionado. Na prática esse processo foi descrito pelo cientista Pavlov, num experimento chamado “Os cães de Pavlov”, sendo que, uma vez que os cães passaram a associar o sino com a comida, o estímulo condicionado foi criado, fazendo com que os cães passassem a salivar ao som do sino.


Assim, um estímulo condicionado surge como resultado a um estímulo inicialmente neutro, que não gera qualquer resposta. O estímulo neutro passa a ser então associado ou emparelhado a um estímulo não condicionado, criando-se por fim um estímulo condicionado.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas