A maior rede de estudos do Brasil

Citologia

Observa-se em cultura que a locomoção de fibroblastos é impedida imediatamente pela adição de citocalasina. Já com a adição de colchicina, os fibroblastos param de se movimentar de forma direcionada e começam a estender lamelipódios de modo aparentemente aleatório. A injeção com anticorpos anti-vimentina nos fibroblastos não resulta em efeitos discerníveis relativos à sua capacidade de migração. Sabendo que:

    • Citocalasinas são metabólitos fúngicos que têm a capacidade de se ligar inibir a polimerização da actina.

    • A colchicina é uma substância utilizada na inibição da divisão celular de tumores por inibir a polimerização das proteínas do fuso mitótico.

  • A vimentina é uma proteína que compõe os filamentos intermediários em fibroblastos.

O que os dados lhe sugerem em relação ao envolvimento dos três filamentos citoesqueléticos diferentes na locomoção de fibroblastos?

CitoesqueletoUNILAVRAS

1 resposta(s)

User badge image

Tamires

Há mais de um mês

1.O tratamento com citocalasina, ou seja, a inibição da polimerização dos microfilamentos de actina, provoca o bloqueio da migração celular dos fibroblastos. Os movimentos que coordenam a migração celular dependem inteiramente da polimerização dos microfilamentos. Portanto, a inibição dessa polimerização impede tanto a emissão de protrusões, o deslocamento do corpo celular e a contração do mesmo.

2.O tratamento com colchicina, ou seja, a inibição da polimerização dos microtúbulos (responsáveis pelo fuso mitótico), afeta o movimento direcionado dos fibroblastos. Os microtúbulos são os filamentos responsáveis pela reorganização celular. Orientam o reposicionamento de organelas e a polarização celular. Sendo assim, por mais que a célula seja capaz de emitir protrusões, o movimento torna-se aleatório e nao é consolidado pelos microtúbulos.

3.A adição de anticorpos anti-vimetina, que ligam-se à proteína componente dos filamentos intermediários e impedem o seu remodelamento, não afeta a capacidade de locomoção dos fibroblastos. O remodelamento de filamentos intermediários, importantes para a resistência ao estresse mecânico, não é necessário para a migração celular.


1.O tratamento com citocalasina, ou seja, a inibição da polimerização dos microfilamentos de actina, provoca o bloqueio da migração celular dos fibroblastos. Os movimentos que coordenam a migração celular dependem inteiramente da polimerização dos microfilamentos. Portanto, a inibição dessa polimerização impede tanto a emissão de protrusões, o deslocamento do corpo celular e a contração do mesmo.

2.O tratamento com colchicina, ou seja, a inibição da polimerização dos microtúbulos (responsáveis pelo fuso mitótico), afeta o movimento direcionado dos fibroblastos. Os microtúbulos são os filamentos responsáveis pela reorganização celular. Orientam o reposicionamento de organelas e a polarização celular. Sendo assim, por mais que a célula seja capaz de emitir protrusões, o movimento torna-se aleatório e nao é consolidado pelos microtúbulos.

3.A adição de anticorpos anti-vimetina, que ligam-se à proteína componente dos filamentos intermediários e impedem o seu remodelamento, não afeta a capacidade de locomoção dos fibroblastos. O remodelamento de filamentos intermediários, importantes para a resistência ao estresse mecânico, não é necessário para a migração celular.


Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes