Buscar

QUAL A DIFERENÇA DE LEGALIDADE E LEGITIMIDADE?

💡 4 Respostas

User badge image

Agatha H Sellmer

A legalidade são os direitos e garantias fundamentais do indivíduo, e estabelece que não existe crime se não estiver previsto em lei, ou seja, legalidade vem de legal, que significa aquilo que está dentro da lei. Toda ação criada em conformidade com a legislação integra a legalidade. 

A legitimidade é aquilo que cumpre o que é imposto pelas normas legais e é considerado um bem para a sociedade, ou seja, tudo que é legítimo.

1
Dislike0
User badge image

Giovanna Karyne

A legitimidade está ligada a aceitação social a respeito da instituiçaõ, figura, lei... normalmente, pressupõe respaldo da lei.

Já a legalidade situa-se num domínio exclusivamente técnico, formal e jurídico, em suma, o que está codificado em lei.

0
Dislike0
User badge image

LR

 

Legalidade Legitimidade
Definição Houaiss: "Qualidade ou estado do que é legal, do que está conforme com ou é governado por uma ou mais leis"; "estado ou condição do que está regularizado, de acordo com a(s) lei(s)" (HOUAISS, 2009: 1164) Definição Houaiss: "caráter, estado ou qualidade do que é legitimo"; "caráter ou estado do que é conforme à equidade, à razão, à moral, divina ou dos homens" (HOUAISS, 2009: 1165).
Problema: É legal porque é legitimo, porque está em "conformidade à lei" (HOUAISS, 2009: 1165). A legalidade é sempre legitima, mas a legitimidade nem sempre é legal. Pois é possível legitimar-se segundo diversas naturezas de 'leis', ou seja, segundo uma moralidade (religião), uma razão (ciência), uma instituição (justiça)  etc, e nem sempre uma lei moral mantém situação de plano acordo com uma lei racional (cientifica) ou uma lei institucional (jurídica).
Definição Bobbio: "Na linguagem política, entende-se por Legalidade um atributo e um requisito do poder, daí dizer-se que um poder é legal ou age legalmente ou tem um timbre de Legalidade quando é exercido no âmbito ou de conformidade com leis estabelecidas ou pelo menos aceitas. Embora nem sempre se faça distinção, no uso comum e muitas vezes até no uso técnico, entre Legalidade e legitimidade, costuma-se falar em Legalidade quando se trata de sua qualidade legal: o poder legítimo é um poder cuja titulação se encontra alicerçada juridicamente; o poder legal é um poder que está sendo exercido de conformidade com as leis. o contrário de um poder legítimo é um poder de fato; o contrario de um poder legal é um poder atribuído. Quem detém o poder não o detém nem o exerce sempre de forma arbitrária, assim como nem sempre quem exerce o poder arbitrariamente é detentor unicamente de um poder de fato. com base nesta acepção do termo Legalidade, entende-se por princípio de Legalidade aquele pelo qual todos os organismos do Estado, isto é, todos os organismos do poder público, devem atuar no âmbito das leis, a não ser em casos excepcionais expressamente preestabelecidos, e pelo fato de já estarem preestabelecidos, também perfeitamente legais. O princípio de Legalidade tolera o exercício discricionário do poder, mas exclui o exercício arbitrário, entendendo-se por exercício arbitrário todo ato emitido com base numa análise e num juízo estritamente pessoal da situação." (BOBBIO, 1993: 647). Definição Bobbio: "Na linguagem comum, o termo Legitimidade possui dois significados, um genérico e um específico. No seu significado genérico, Legitimidade tem, aproximadamente, o sentido de justiça ou de racionalidade (fala-se na Legitimidade de uma decisão, de uma atitude, etc.). É na linguagem política que aparece o significado específico. Neste contexto, o Estado é o ente a que mais se refere o conceito de Legitimidade. O que nos interessa, aqui, é a preocupação com o significado específico."; "Nem primeiro enfoque aproximado, podemos definir Legitimidade como sendo um atributo do Estado, que consiste na presença, em uma parcela significativa da população, de um grau de consenso capaz de assegurar a obediência sem a necessidade de recorrer ao uso da força, a não ser em casos esporádicos. É por esta razão que todo poder busca alcançar consenso, de maneira que seja reconhecido como legítimo, transformando a obediência e, adesão. A crença na Legitimidade é, pois, o elemento integrados na relação de poder que se verifica no âmbito do Estado." (BOBBIO, 1993: 675).
Referências bilbiográficas
HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.
BOBBIO, Norberto. Dicionário de Política. Brasília: Edunb, 1993.
0
Dislike0

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis


✏️ Responder

SetasNegritoItálicoSublinhadoTachadoCitaçãoCódigoLista numeradaLista com marcadoresSubscritoSobrescritoDiminuir recuoAumentar recuoCor da fonteCor de fundoAlinhamentoLimparInserir linkImagemFórmula

Para escrever sua resposta aqui, entre ou crie uma conta.

User badge image

Perguntas relacionadas

Materiais relacionados

Materiais recentes

Perguntas Recentes