A maior rede de estudos do Brasil

simulado

( DPE-RO/2015/ Técnico da Defensoria Publica - Oficial de Diligência) O princípio constitucional do juiz natural identifica o juiz competente para o julgamento da causa com base em regras estabelecidas previamente à ocorrência do fato em questão. Esse princípio garante a imparcialidade da própria pessoa do juiz. Nesse sentido, o nosso ordenamento jurídico:

 

admite que os juízes sejam substituídos, de ofício, pelo Presidente do Tribunal para julgar as demandas, em casos de repercussão nacional.

 

proíbe a instituição de juízo ou tribunal de exceção;

proíbe que se ajuíze novamente uma mesma demanda quando a primeira foi extinta por carência de ação;

proíbe a criação de varas especializadas nas comarcas;

admite que se escolha o juízo da causa por foro de eleição;


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Carlos Eduardo Ferreira de Souza Verified user icon

Há mais de um mês

GABARITO: LETRA B.

O princípio do juiz natural é expresso no art. 5º, XXXVII, da CRFB:

"Art. 5º. [...]

XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção;"

Com isso, se quer dizer que a competência do juízo ou tribunal deve ser estabelecida antes da prática do ato ou da propositura da demanda, de forma abstrata e geral, não podendo ser específica para determinado indivíduo ou caso isolado.

GABARITO: LETRA B.

O princípio do juiz natural é expresso no art. 5º, XXXVII, da CRFB:

"Art. 5º. [...]

XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção;"

Com isso, se quer dizer que a competência do juízo ou tribunal deve ser estabelecida antes da prática do ato ou da propositura da demanda, de forma abstrata e geral, não podendo ser específica para determinado indivíduo ou caso isolado.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas