A maior rede de estudos do Brasil

A glicolise pode ser dividida em duas etapas conhecidas como fase de investimento e fase de produção?


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

O ATP é a sigla empregada para se referir à molécula adenosina trifosfato. A mesma consiste na principal fonte de energia química celular, sendo composta por uma base nitrogenada adenina, uma ribose e por três grupos fosfato.

A respiração celular é um processo essencial em que a ATP (Adenosina trifosfato), substância responsável por suprir as necessidades energéticas das células, é produzida. A seguir, será explicado sobre as principais etapas da respiração celular: glicólise, ciclo de Krebs e fosforização oxidativa.

A glicólise, também chamada de via glicolítica, é uma etapa anaeróbica em que ocorrem diversas reações químicas a fim de produzir ácido pirúvico a partir da quebra da quebra de moléculas de glicose.

O ciclo de Krebs é realizado no interior da mitocôndria e é responsável pela degradação e construção de substâncias a fim de produzir a energia necessária para as células.

A última etapa do processo de respiração celular é a fosforilação oxidativa. Nesse processo uma grande quantidade de elétrons é liberada por conta da reoxidação das moléculas de NADH e FADH2, e esses elétrons são responsáveis pela formação da água, que libera a energia necessária para produção de ATP. Essa é a etapa em que a maior quantidade de ATP é produzida.

Em especial, a a glicólise é um processo anaeróbico que se consiste na quebra da molécula de glicose em duas moléculas de ácido pirúvico com saldo energético de dois ATP em um processo de hidrolise, isto é, de uma reação química em que se utiliza a água para quebra de uma molécula em outras duas. A enzima que catalisa tal reação é a hidrolase.

Costuma-se dividir a glicólise em duas etapas que são a fase preparatória, onde ocorre a hidrólise de ATP, e a fase de pagamento, onde se formam quatro moléculas de ATP e o “pagamento” das moléculas gastas inicialmente.

A a glicose é essencial para a manutenção do organismo uma vez que provê energia celular. Por fim, apresenta-se a reação global da glicólise:


\[\boxed{{\require{text}\text{Glicose}} + {\require{text}\text{ }}2{\require{text}\text{ NA}}{{\require{text}\text{D}}^{\require{text}\text{ + }}} + {\require{text}\text{ }}2{\require{text}\text{ ADP}} + {\require{text}\text{ }}2{{\require{text}\text{P}}_i} \to 2{\require{text}\text{ NADH}} + {\require{text}\text{ }}2{\require{text}\text{ piruvato}} + {\require{text}\text{ }}2{\require{text}\text{ATP}} + {\require{text}\text{ }}2{{\require{text}\text{ H}}_{\require{text}\text{2}}}{\require{text}\text{O}}}\]

O ATP é a sigla empregada para se referir à molécula adenosina trifosfato. A mesma consiste na principal fonte de energia química celular, sendo composta por uma base nitrogenada adenina, uma ribose e por três grupos fosfato.

A respiração celular é um processo essencial em que a ATP (Adenosina trifosfato), substância responsável por suprir as necessidades energéticas das células, é produzida. A seguir, será explicado sobre as principais etapas da respiração celular: glicólise, ciclo de Krebs e fosforização oxidativa.

A glicólise, também chamada de via glicolítica, é uma etapa anaeróbica em que ocorrem diversas reações químicas a fim de produzir ácido pirúvico a partir da quebra da quebra de moléculas de glicose.

O ciclo de Krebs é realizado no interior da mitocôndria e é responsável pela degradação e construção de substâncias a fim de produzir a energia necessária para as células.

A última etapa do processo de respiração celular é a fosforilação oxidativa. Nesse processo uma grande quantidade de elétrons é liberada por conta da reoxidação das moléculas de NADH e FADH2, e esses elétrons são responsáveis pela formação da água, que libera a energia necessária para produção de ATP. Essa é a etapa em que a maior quantidade de ATP é produzida.

Em especial, a a glicólise é um processo anaeróbico que se consiste na quebra da molécula de glicose em duas moléculas de ácido pirúvico com saldo energético de dois ATP em um processo de hidrolise, isto é, de uma reação química em que se utiliza a água para quebra de uma molécula em outras duas. A enzima que catalisa tal reação é a hidrolase.

Costuma-se dividir a glicólise em duas etapas que são a fase preparatória, onde ocorre a hidrólise de ATP, e a fase de pagamento, onde se formam quatro moléculas de ATP e o “pagamento” das moléculas gastas inicialmente.

A a glicose é essencial para a manutenção do organismo uma vez que provê energia celular. Por fim, apresenta-se a reação global da glicólise:


\[\boxed{{\require{text}\text{Glicose}} + {\require{text}\text{ }}2{\require{text}\text{ NA}}{{\require{text}\text{D}}^{\require{text}\text{ + }}} + {\require{text}\text{ }}2{\require{text}\text{ ADP}} + {\require{text}\text{ }}2{{\require{text}\text{P}}_i} \to 2{\require{text}\text{ NADH}} + {\require{text}\text{ }}2{\require{text}\text{ piruvato}} + {\require{text}\text{ }}2{\require{text}\text{ATP}} + {\require{text}\text{ }}2{{\require{text}\text{ H}}_{\require{text}\text{2}}}{\require{text}\text{O}}}\]

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas