A maior rede de estudos do Brasil

A exposição de motivos do código penal se relaciona com qual tipo de interpretação?

Direito Penal IESTÁCIO EAD

3 resposta(s)

User badge image

Patrick

Há mais de um mês

pode ser que sim

pode ser que sim

User badge image

João

Há mais de um mês

A Exposição de Motivos - que acompanha a lei não constitui interpretação autêntica. Não é uma lei, não tem força obrigatória e pode ter antinomias. Vale como interpretação doutrinária.

User badge image

Inajar

Há mais de um mês

 O significado da norma jurídica; A interpretação da norma penal numa perspectiva plural. 1. Conceito de interpretação; 1.1 Hermenêutica e interpretação da lei penal. 2. Objeto da interpretação. 3. Evolução histórica da interpretação da lei penal. 4. Princípios reitores da interpretação da Lei Penal. 5. Interpretação da lei penal conforme a Constituição. 6. Interpretação da Lei Penal e Garantismo. 7. Classes e métodos interpretativos. 7.1 Interpretação quanto ao sujeito; 7.1.1 Interpretação autêntica ou legislativa; 7.1.1.1 Interpretação autêntica contextual ou simultânea; 7.1.1.2 Interpretação autêntica posterior; 7.1.1.3 Interpretação autêntica posterior e sua eficácia retroativa; 7.1.1.4 Interpretação autêntica lógica e perceptiva; 7.1.2 Interpretação doutrinária, privada ou científica; 7.1.2.1 Interpretação doutrinária paralela; 7.1.2.2 Interpretação doutrinária posterior; 7.1.3 Interpretação judicial, jurisprudencial, usual ou forense; 7.1.3.1 A questão das súmulas; 7.1.3.2 A questão das súmulas vinculantes e da coisa julgada no caso concreto. 7.1.3.3 Interpretação jurisprudencial e sua eficácia retroativa. 7.2 Interpretação quanto aos meios ou métodos; 7.2.1 Interpretação gramatical, literal, sintática ou filológica; 7.1.2 Interpretação lógica ou teleológica; 7.1.2.1 A interpretação teleológica e o fator político-social. 7.3 Interpretação quanto ao resultado; 7.3.1 Interpretação declaratória ou estrita; 7.3.2 Interpretação restritiva; 7.3.2.1 O princípio da insignificância como interpretação restritiva do tipo penal; 7.3.3 Interpretação extensiva ou ampliativa; 7.3.3.1 Inconstitucionalidade da interpretação extensiva; 7.3.3.2 Constitucionalidade da interpretação extensiva; 7.3.4 Critério de aplicação da interpretação restritiva e extensiva; 7.3.5 Interpretação Ab-rogante. 8. Os costumes e a interpretação da lei penal. 9. Interpretação da lei penal e o princípio do in dubio pro reo. 10. interpretação progressiva. 11. Interpretação analógica ou intra legem; 11.1 Interpretação analógica e sua aplicação na jurisprudência. 12. Analogia; 12.1 Conceito e natureza jurídica; 12.2 Fundamento; 12.3 Requisitos e operação mental; 12.4 Distinção entre analogia e interpretação extensiva e analógica; 12.5 A questão da terminologia; 12.6 Igualdade lógica entre interpretação analógica e analogia; 12.7 O princípio da máxima taxatividade interpretativa; 12.8 Espécies de analogia; 12.8.1 A analogia in malam partem; 12.8.2 A analogia in bonam partem; 12.9 A questão das normas penais incriminadoras e não incriminadoras; 12.10 Necessidade da analogia; 12.1


Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes