A maior rede de estudos do Brasil

Atividade 3

1. – Com relação às nulidades, se pode afirmar que elas podem ser absolutas ou relativas, total ou parcial, e ainda, textual ou virtual. Considerando esses aspectos, leia as assertivas abaixo e responda à questão:

(I) Absoluta é aquela que priva o negócio jurídico dos seus efeitos, em razão de ofender princípios de ordem pública, podendo ser argüida por qualquer interessado, e pode ser pronunciado de ofício pelo juiz, não podendo ser convalidada pelo tempo ou mesmo pela vontade das partes.

(II) Relativa é aquela que vicia o negócio realizado, podendo ser invalidado, mas que depende de provocação da parte interessada e de pronunciamento judicial para se materializar.

(III) Será textual quando houver expressa determinação legal e será virtual quando previsto em lei divulgada somente pela internet.

a)      Somente a alternativa (I) está correta.

b)     Somente a alternativa (II) está correta.

c)      Somente a alternativa (III) está correta.

d)     Somente as alternativas (I) e (II) estão corretas.

e)      Somente as alternativas (II) e (III) estão corretas.

f)      Todas estão corretas.



2. – Ainda no tocante à invalidade dos negócios jurídicos, leia as alternativas e verifique quais afirmativas estão corretas com relação às diferenças entre nulidade e anulabilidade:

(I) A nulidade é de interesse público enquanto que a anulabilidade é de interesse privado das partes que se sintam prejudicadas.

(II) A nulidade pode ser sanada, já a anulabilidade não pode ser suprida pelo juiz ou pela confirmação das partes.

(III) A anulabilidade somente pode ser provocada pelas partes, enquanto que a nulidade pode ser provocada por quaisquer interessados, inclusive o MP.

a)      Somente a alternativa (I) está correta.

b)     Somente a alternativa (II) está correta.

c)      Somente a alternativa (III) está correta.

d)     Somente as alternativas (I) e (II) estão corretas.

e)      Somente as alternativas (I) e (III) estão corretas.

f)      Todas estão corretas


3. – Com relação ao estado de perigo se pode afirmar que:

I – É a situação em que o agente necessitando salvar-se ou salvar alguém de sua família se obriga a realizar negócio jurídico, assumindo obrigação excessivamente onerosa que, em condições normais, jamais assumiria.

II – Os requisitos necessários à caracterização do estado de perigo são: uma situação de necessidade; a iminência de dano atual e grave; nexo de causalidade entre a manifestação e o perigo; ameaça de dano à pessoa ou alguém de sua família; não conhecimento do perigo pela parte contrária e, assunção de uma obrigação excessivamente onerosa.

III – As razões jurídicas que justificam a anulação do negócio realizado em estado de perigo são derivadas do pacta sunt servanda, quer dizer, do fato de que os contratos são firmados para serem cumpridos.

a)      Somente a alternativa (I) está correta.

b)     Somente a alternativa (II) está correta.

c)      Somente a alternativa (III) está correta.

d)     Somente as alternativas (I) e (II) estão corretas.

e)      Somente as alternativas (II) e (III) estão corretas.

f)      Todas estão corretas



4. – No que diz respeito à lesão, leia as proposições e responda:

(I) É o negócio jurídico realizado em que uma das partes, abusando da inexperiência da outra ou da premente necessidade, obtém vantagem exorbitante que, em condições normais não auferiria.

(II) Os requisitos são dois: o objetivo, que se afere pela manifesta desproporção entre as prestações recíprocas e lucro exagerado; e, o subjetivo que se pode verificar em face do princípio da boa-fé objetiva.

(III) O negócio jurídico pode ser anulado a qualquer tempo desde que o prejudicado faça a prova da onerosidade excessiva.

a)      Somente a alternativa (I) está correta.

b)     Somente a alternativa (II) está correta.

c)      Somente a alternativa (III) está correta.

d)     Somente as alternativas (I) e (II) estão corretas.

e)      Somente as alternativas (II) e (III) estão corretas.

f)      Todas estão corretas


5. – Tratando-se da prescrição podemos afirmar que:

(I) Embora não prescreva os direitos da personalidade, também não prescreve o direito de indenização decorrente de sua ofensa.

(II) Algumas causas impedem a fluência do prazo prescricional, em razão de que determinadas pessoas, seja pela sua condição ou pela situação em que se encontrem, estariam, em tese, impedidas de agir.

(III) Outras causas interrompem a prescrição, fazendo com que os prazos voltem a ser contado, por inteiro, a partir do ato que deu causa a interrupção.

a)      Somente a alternativa (I) está correta.

b)     Somente a alternativa (II) está correta.

c)      Somente a alternativa (III) está correta.

d)     Somente as alternativas (I) e (II) estão corretas.

e)      Somente as alternativas (II) e (III) estão corretas

f)      Todas estão corretas.



Questões dissertativas



6. – Discorra sobre os requisitos necessários à configuração do dolo?



7. – Quais são os fundamentos da responsabilidade civil?. Explique e justifique.




Ainda não temos resposta. Você sabe responder?