A maior rede de estudos do Brasil

Considerando cada uma das notícias de jornal lidas por João, quais diferenças e semelhanças ele pode

1. Considerando cada uma das notícias de jornal lidas por João, quais diferenças e semelhanças ele pode

estabelecer entre essas duas realidades tão distantes no espaço e no tempo (Sobral, no Ceará de 1920,

e Figueira da Foz, em Portugal no ano de 2019)? (1,0)

2. Que elementos de análise, João deve levar em conta ao tomar os jornais como fontes históricas e

discursivas? (1,5)

3. É possível notar variações no uso da língua entre os recortes de jornal analisados por João?

Faça uma comparação entre as formas de escrita das notícias lidas por João (a respeito de Sobral e da

cidade portuguesa) com uma notícia de um jornal recente da sua região. 

Letras

UNINTER


4 resposta(s)

User badge image

Hudson Marques

Há mais de um mês

O meu ficou assim.


Principal diferença entre os textos está na disparidade da escrita dos jornais, devido ao espaço de tempo na tiragem dos jornais. No primeiro a linguagem é antiga, com gramática retrógrada, no segundo a linguagem utilizada é a empregada atualmente. A diferença de ortografia dos textos é discrepante, a se exemplar pelo uso de “y, pp, x” e outros. Também há diferença de datas, quase 100 anos, afetando a escrita, linguagem e as providências tomadas para sanar os problemas. Tratando do mau tempo e seus efeitos nas vias de condução de transportes, os problemas são quase os mesmos. No primeiro é citado a má estrutura que traz consequências às vias em período chuvoso, e no segundo as adversidades climáticas que atingem também o transporte, os dois levam em conta as condições do clima, e em ambos a população foi afetada de alguma forma; em Sobral pela falta de alimentos e água, e em Coimbra o comprometimento da rede elétrica, inundações e desalojamentos. Por mais diferenças que existam entre os textos devido as datas, os dois são bem parecidos. Um jornal pode possibilitar o conhecimento de vários aspectos da sociedade atual, e também para entender as sociedades do passado. Entretanto devemos tomar os devidos cuidados no uso dessa fonte de pesquisa, temos que buscar contextualizar historicamente e ideologicamente, lembrando que o texto sempre sofre com a influência de quem o escreve, e assim, buscar fontes mais amplas. Percebemos a semelhança linguística, uma vez que o idioma utilizado em ambos é o português, no entanto, há diferenças em sua escrita, no texto de 1920 é utilizado o português antigo de Portugal e no texto II a escrita é do Português-BR atual. Como exemplo de diferenças dos textos podemos citar o seguinte trecho: “Se Deus não se anerceiar dascentenas de habitantes de toda esta zona que se estão alimentando da porca ração que lhes conduzem os calhambeques da Estrada de Ferro de Sobral...” E para referência de texto atual: “Precisamos de chuvas para reabastecer os açudes desse sertão castigado por Deus, caso não venham por agora, tenho pena desse pobre povo que sobrevive do que os velhos caminhões trazem e o que as folhas de palmas tem a lhes oferecer.”


O meu ficou assim.


Principal diferença entre os textos está na disparidade da escrita dos jornais, devido ao espaço de tempo na tiragem dos jornais. No primeiro a linguagem é antiga, com gramática retrógrada, no segundo a linguagem utilizada é a empregada atualmente. A diferença de ortografia dos textos é discrepante, a se exemplar pelo uso de “y, pp, x” e outros. Também há diferença de datas, quase 100 anos, afetando a escrita, linguagem e as providências tomadas para sanar os problemas. Tratando do mau tempo e seus efeitos nas vias de condução de transportes, os problemas são quase os mesmos. No primeiro é citado a má estrutura que traz consequências às vias em período chuvoso, e no segundo as adversidades climáticas que atingem também o transporte, os dois levam em conta as condições do clima, e em ambos a população foi afetada de alguma forma; em Sobral pela falta de alimentos e água, e em Coimbra o comprometimento da rede elétrica, inundações e desalojamentos. Por mais diferenças que existam entre os textos devido as datas, os dois são bem parecidos. Um jornal pode possibilitar o conhecimento de vários aspectos da sociedade atual, e também para entender as sociedades do passado. Entretanto devemos tomar os devidos cuidados no uso dessa fonte de pesquisa, temos que buscar contextualizar historicamente e ideologicamente, lembrando que o texto sempre sofre com a influência de quem o escreve, e assim, buscar fontes mais amplas. Percebemos a semelhança linguística, uma vez que o idioma utilizado em ambos é o português, no entanto, há diferenças em sua escrita, no texto de 1920 é utilizado o português antigo de Portugal e no texto II a escrita é do Português-BR atual. Como exemplo de diferenças dos textos podemos citar o seguinte trecho: “Se Deus não se anerceiar dascentenas de habitantes de toda esta zona que se estão alimentando da porca ração que lhes conduzem os calhambeques da Estrada de Ferro de Sobral...” E para referência de texto atual: “Precisamos de chuvas para reabastecer os açudes desse sertão castigado por Deus, caso não venham por agora, tenho pena desse pobre povo que sobrevive do que os velhos caminhões trazem e o que as folhas de palmas tem a lhes oferecer.”


User badge image

Weligton Júnior

Há mais de um mês

O caso podemos afirmar que os pronomes são palavras que representam o substantivos estando sempre acompanhando este nas frases.

assim, podemos afirmar que o pronome é tudo aquilo que substitui o nome. por exemplo, a palavra ela pode substituir vários nomes como menina, mulher, entre outros, evitando assim repetições.

já o substantivo é a classe de palavras responsável por dar nome as coisas e aos objetos como um todo.

User badge image

Rosiclei Siqueira

Há mais de um mês

Analisando os textos pode-se notar que a principal diferença está na disparidade da escrita dos jornais, ocasionado pela distância física/localização e distância temporal/ano/século. No primeiro texto a linguagem é antiga, com vicio de linguagem e gramática retrógrada, no segundo a linguagem utilizada é a empregada atualmente. A diferença de ortografia dos textos também é discrepante, visivelmente notada pelo uso de “y, pp, x,” entre outros.

Percebe-se também que a diferença de tempo - quase 100 anos - interfere na escrita, na linguagem e nas providências tomadas para sanar os problemas do mau tempo e seus efeitos nas vias de condução de transportes, sendo que os problemas são quase os mesmos. Pois no primeiro texto é citado a má estrutura que traz consequências às vias em período chuvoso, e no segundo, as adversidades climáticas que atingem também o transporte, os dois levam em conta as condições do clima e em ambos a população foi afetada de alguma forma - em Sobral pela falta de alimentos e água, e em Coimbra o comprometimento da rede elétrica, inundações e desalojamentos. Porém, apesar de existir essas diferenças entre os textos, os dois são bem parecidos quanto ao quesito problemas.

Em relação aos elementos de análise, sabe-se que um jornal pode possibilitar o conhecimento de vários aspectos da sociedade atual e também para entendermos as sociedades e culturas do passado. Entretanto, como bom historiados, João deve ter os devidos cuidados no uso dessa fonte de pesquisa, buscando contextualizar e interpretar historicamente e ideologicamente, lembrando também que geralmente o texto sempre sofre a influência de quem o escreve, sendo assim, deve buscar outras informações comparativas.

E comparando o texto com uma notícia atual e local, pode-se afirmar que as semelhanças se dão quanto aos fatores climáticos e os problemas decorrentes dele, levando em consideração a falta de estrutura e infraestrutura, que acabam trazendo transtornos para a população local.




Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes