A maior rede de estudos do Brasil

Como ocorre o ciclo do nitrogênio na natureza?


8 resposta(s)

User badge image

Fabiane Ortiz do Carmo Gomes Coca

Há mais de um mês

Para compreendermos melhor o ciclo do nitrogênio, podemos dividi-lo didaticamente em algumas etapas principais: fixação, nitrificação e desnitrificação.

A fixação é a etapa em que as bactérias fixadoras atuam. São exemplos desse tipo de organismo as cianobactérias e as bactérias do gênero Rhizobium, que vivem associadas a raízes de algumas plantas, principalmente leguminosas (feijão e soja, por exemplo), formando espécies de nódulos. Nessa fase, o gás nitrogênio é transformado em compostos orgânicos nitrogenados.

As bactérias do gênero Rhizobium, para formar os nódulos nas raízes das leguminosas, inicialmente penetram nessas plantas ainda jovens, quando iniciam sua reprodução no interior das células da raiz. A multiplicação das células infectadas leva à formação dos chamados nódulos. Essa associação é benéfica para ambas as partes, uma vez que a planta consegue viver em ambientes pobres em nitrogênio, e as bactérias alimentam-se das substâncias produzidas pelo vegetal.

Essas bactérias transformam o nitrogênio atmosférico em amônia (NH3) e transferem-na para a planta, que, ao morrer e decompor-se, libera essa substância para o solo, ajudando, assim, na fertilização. Em virtude de a liberação da amônia ajudar na adubação do solo, é comum utilizar leguminosas após plantio de algumas culturas, como o milho, que retira muito nitrogênio do solo, enquanto as leguminosas conseguem repor esse elemento. Esse processo é fundamental para evitar o empobrecimento do solo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Algumas plantas são capazes de utilizar o nitrogênio a partir da amônia, porém a grande maioria assimila apenas o nitrato (NO3-). Denomina-se nitrificação o processo em que ocorre a formação de nitratos no solo. Esse processo só é possível graças à presença de bactérias nitrificantes.

nitrificação ocorre em duas etapas principais. Primeiro ocorre a formação de nitrito (NO2-) e, posteriormente, a formação de nitrato (NO3-). Dois gêneros de bactérias estão envolvidos no processo: Nitrosomonas Nitrobacter.

Primeiramente as bactérias do gênero Nitrosomonas realizam a oxidação da amônia, produzindo, assim, o nitrito (NO2-). Observe a equação abaixo:

2NH3 (amônia) + 3O2 (gás oxigênio) → 2NO2- (nitrito)+ 2H2O (água) + 2H+ + ENERGIA

As bactérias do gênero Nitrobacter fazem, então, a oxidação do nitrito, transformando-o em nitrato. Observe a equação a seguir:

2NO2- (nitrito) + O2 (gás oxigênio) → 2NO3- (nitrato)+ ENERGIA

O nitrato é facilmente absorvido pela raiz das plantas, ajudando-as na síntese de aminoácidos e bases nitrogenadas. O nitrogênio é passado para os animais através da cadeia alimentar.

Por fim, há o processo de desnitrificação, em que os compostos nitrogenados encontrados no solo são utilizados pelas bactérias desnitrificantes. Essas bactérias utilizam esses compostos para obtenção de energia e, durante o processo, liberam gás nitrogênio, que é lançado na atmosfera.


Para compreendermos melhor o ciclo do nitrogênio, podemos dividi-lo didaticamente em algumas etapas principais: fixação, nitrificação e desnitrificação.

A fixação é a etapa em que as bactérias fixadoras atuam. São exemplos desse tipo de organismo as cianobactérias e as bactérias do gênero Rhizobium, que vivem associadas a raízes de algumas plantas, principalmente leguminosas (feijão e soja, por exemplo), formando espécies de nódulos. Nessa fase, o gás nitrogênio é transformado em compostos orgânicos nitrogenados.

As bactérias do gênero Rhizobium, para formar os nódulos nas raízes das leguminosas, inicialmente penetram nessas plantas ainda jovens, quando iniciam sua reprodução no interior das células da raiz. A multiplicação das células infectadas leva à formação dos chamados nódulos. Essa associação é benéfica para ambas as partes, uma vez que a planta consegue viver em ambientes pobres em nitrogênio, e as bactérias alimentam-se das substâncias produzidas pelo vegetal.

Essas bactérias transformam o nitrogênio atmosférico em amônia (NH3) e transferem-na para a planta, que, ao morrer e decompor-se, libera essa substância para o solo, ajudando, assim, na fertilização. Em virtude de a liberação da amônia ajudar na adubação do solo, é comum utilizar leguminosas após plantio de algumas culturas, como o milho, que retira muito nitrogênio do solo, enquanto as leguminosas conseguem repor esse elemento. Esse processo é fundamental para evitar o empobrecimento do solo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Algumas plantas são capazes de utilizar o nitrogênio a partir da amônia, porém a grande maioria assimila apenas o nitrato (NO3-). Denomina-se nitrificação o processo em que ocorre a formação de nitratos no solo. Esse processo só é possível graças à presença de bactérias nitrificantes.

nitrificação ocorre em duas etapas principais. Primeiro ocorre a formação de nitrito (NO2-) e, posteriormente, a formação de nitrato (NO3-). Dois gêneros de bactérias estão envolvidos no processo: Nitrosomonas Nitrobacter.

Primeiramente as bactérias do gênero Nitrosomonas realizam a oxidação da amônia, produzindo, assim, o nitrito (NO2-). Observe a equação abaixo:

2NH3 (amônia) + 3O2 (gás oxigênio) → 2NO2- (nitrito)+ 2H2O (água) + 2H+ + ENERGIA

As bactérias do gênero Nitrobacter fazem, então, a oxidação do nitrito, transformando-o em nitrato. Observe a equação a seguir:

2NO2- (nitrito) + O2 (gás oxigênio) → 2NO3- (nitrato)+ ENERGIA

O nitrato é facilmente absorvido pela raiz das plantas, ajudando-as na síntese de aminoácidos e bases nitrogenadas. O nitrogênio é passado para os animais através da cadeia alimentar.

Por fim, há o processo de desnitrificação, em que os compostos nitrogenados encontrados no solo são utilizados pelas bactérias desnitrificantes. Essas bactérias utilizam esses compostos para obtenção de energia e, durante o processo, liberam gás nitrogênio, que é lançado na atmosfera.


User badge image

Pontes Concurseiro

Há mais de um mês

o nitrogênio normalmente recebe menos atenção que o carbono oxigênio mas o nitrogênio também é muito importante para a vida assim como oxigênio carbono se o ciclo envolve a biosfera e uma coisa relativamente surpreendente sobre o nitrogênio é que ele é muito muito abundante em nossa atmosfera 78% de nossa atmosfera é nitrogênio molecular presente na forma de n2o portanto isso bem aqui é o nitrogênio molecular tem dois átomos de nitrogênio ligados com valentemente um ao outro agora ao contrário do carbono que pode ser fixado diretamente pelas plantas no vídeo sobre o ciclo do carbono não falamos sobre como autógrafos como as plantas usam a energia solar e fixam o carbono do ar informa sólidas armazenando energia em ligações carbono carbono então o nitrogênio não pode ser fixado diretamente pelos organismos complexos como as plantas na verdade a peça chave na fixação de nitrogênio a partir do ar temos aqui todas essas moléculas de n 2 no ar não são as plantas macios procare outros como as bactérias deixe me desenhar um pouco de solo aqui as bactérias podem estar em vários lugares diferentes mas você pode ter uma bactéria no solo vou desenhar um pouco maior para você poder ver melhor alguns procuraram outros bem aqui são as bactérias e os certos tipos de provocar e outros são capazes de fixar o nitrogênio então o que eles são capazes de fazer é captar o n 2 e convertê lo em uma forma mais facilmente utilizada por organismos complexos como as plantas então essa é a bactéria bem aqui disse ao dn a circular dentro dela eu poderia desenhar outra mas isso ficaria mais complicado então deixarei como está as bactérias são capazes de fixar o n 2 e convertê-lo em amônia nh3 e essa memória é realmente útil as plantas e outros organismos complexos então façamos aqui uma planta vou desenhar aqui e no vídeo sobre ciclo do carbono falamos sobre como as plantas fixam o carbono e ele passa a desempenhar um importante papel nas moléculas orgânicas mas muitas moléculas orgânicas importantes também precisam do nitrogênio então esses são exemplos de moléculas orgânicas que encontraremos em plantas assim como em muitos tipos diferentes de organismos bem aqui temos um aminoácido e podemos ver o nitrogênio bem aqui onde está certo e aqui em cima direita temos o atp adenosina trifosfato a moeda energética de sistemas biológicos você pode ver o nitrogênio em azul bem aqui esse é o famoso dna ácido desoxirribonucleico e você pode ver os nitrogênios ao longo dessa macromolécula então o nitrogênio é ele é essencial à vida mas a fixação do nitrogênio é realizada por bactérias que o converte em amônia que são absorvidas pelas plantas que são comidos por você ou por mim para então obter mais o nitrogênio nossos sistemas mas essa não é uma via de mão única partimos do nitrogênio atmosférico sendo fixado por procure outros e convertidos em amônio essa harmonia em seguida utilizada por organismos mais complexos mas tudo isso eventualmente pode ser deletado bem quando o organismo morre suponhamos aqui um organismo morto que poderá ser uma bactéria mas eu farei uma grande no maior um outro celular como uma planta morta aqui não quero a desenhar animais mortos e isso é muito mórbido então suponho uma planta morta aqui e enquanto ela vai se decompondo a vários tipos de bactérias vou até fazer um em uma cor diferente em laranja para parecer que são diferentes essas bactérias digerem as plantas e elas são capazes de captar parte desse nitrogênio quebrá lo em forma de nitritos e nitratos que são moléculas envolvendo ligações entre o nitrogênio e duas ou três moléculas de hidrogênio convertendo-a novamente em amônia então temos bactérias que com vertem on2 em amônia ou as que eventualmente converte em nitritos e nitratos que podem também ser convertidos de volta o nitrogênio molecular o n 2 que é devolvido à atmosfera ou então o nitrogênio também pode ser armazenado de outras maneiras mas em geral o que você vê é esse padrão temos esses elementos que são essenciais na vida e ele não desaparecem ou se formam do nada mas sim estão sendo constantemente reciclados em nossa biosfera eo nitrogênio não recebe tanta atenção quanto carbono oxigênio mas também essencial à vida de fato se você olhar especialmente para as plantas em crescimento e pensar por exemplo em fertilizantes fertilizantes são as coisas que você tem de colocar junto à planta para ela crescer mais então sem eles a um certo limite de crescimento para a planta em um monte de fertilizante terá nitrogênio em outro vídeo falaremos sobre o fósforo que junto com nitrogênio são fatores limitantes ao crescimento da planta conforme a sua disponibilidade no solo você sabe disso pois se adiciona mais nitrogênio mais fósforo mais amônia no solo você está fazendo com que a planta cresça mais rápido



User badge image

Ramon Amaro de Sales

Há mais de um mês

O nitrogênio é um elemento químico bastante encontrado na natureza. A atmosfera, por exemplo, é composta principalmente pelo gás nitrogênio, aproximadamente 78%. Apesar de importante para a sobrevivência de todo organismo, a maioria não é capaz de retirá-lo da atmosfera para a sua utilização. Para que ele seja aproveitado, os seres vivos necessitarão principalmente de bactérias chamadas de fixadoras de nitrogênio.

Para compreendermos melhor o ciclo do nitrogênio, podemos dividi-lo didaticamente em algumas etapas principais: fixação, nitrificação e desnitrificação.

A fixação é a etapa em que as bactérias fixadoras atuam. São exemplos desse tipo de organismo as cianobactérias e as bactérias do gênero Rhizobium, que vivem associadas a raízes de algumas plantas, principalmente leguminosas (feijão e soja, por exemplo), formando espécies de nódulos. Nessa fase, o gás nitrogênio é transformado em compostos orgânicos nitrogenados.

As bactérias do gênero Rhizobium, para formar os nódulos nas raízes das leguminosas, inicialmente penetram nessas plantas ainda jovens, quando iniciam sua reprodução no interior das células da raiz. A multiplicação das células infectadas leva à formação dos chamados nódulos. Essa associação é benéfica para ambas as partes, uma vez que a planta consegue viver em ambientes pobres em nitrogênio, e as bactérias alimentam-se das substâncias produzidas pelo vegetal.

Essas bactérias transformam o nitrogênio atmosférico em amônia (NH3) e transferem-na para a planta, que, ao morrer e decompor-se, libera essa substância para o solo, ajudando, assim, na fertilização. Em virtude de a liberação da amônia ajudar na adubação do solo, é comum utilizar leguminosas após plantio de algumas culturas, como o milho, que retira muito nitrogênio do solo, enquanto as leguminosas conseguem repor esse elemento. Esse processo é fundamental para evitar o empobrecimento do solo.

Algumas plantas são capazes de utilizar o nitrogênio a partir da amônia, porém a grande maioria assimila apenas o nitrato (NO3-). Denomina-se nitrificação o processo em que ocorre a formação de nitratos no solo. Esse processo só é possível graças à presença de bactérias nitrificantes.

nitrificação ocorre em duas etapas principais. Primeiro ocorre a formação de nitrito (NO2-) e, posteriormente, a formação de nitrato (NO3-). Dois gêneros de bactérias estão envolvidos no processo: Nitrosomonas Nitrobacter.

Primeiramente as bactérias do gênero Nitrosomonas realizam a oxidação da amônia, produzindo, assim, o nitrito (NO2-). Observe a equação abaixo:

2NH3 (amônia) + 3O2 (gás oxigênio) → 2NO2- (nitrito)+ 2H2O (água) + 2H+ + ENERGIA

As bactérias do gênero Nitrobacter fazem, então, a oxidação do nitrito, transformando-o em nitrato. Observe a equação a seguir:

2NO2- (nitrito) + O2 (gás oxigênio) → 2NO3- (nitrato)+ ENERGIA

O nitrato é facilmente absorvido pela raiz das plantas, ajudando-as na síntese de aminoácidos e bases nitrogenadas. O nitrogênio é passado para os animais através da cadeia alimentar.

Por fim, há o processo de desnitrificação, em que os compostos nitrogenados encontrados no solo são utilizados pelas bactérias desnitrificantes. Essas bactérias utilizam esses compostos para obtenção de energia e, durante o processo, liberam gás nitrogênio, que é lançado na atmosfera.


Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes