A maior rede de estudos do Brasil

Frederico propôs ação de restituição de indébito em face da sociedade de telecomunicações X sob o rito ordinário.

Frederico propôs ação de restituição de indébito em face da sociedade de telecomunicações X sob o rito ordinário. Na peça inaugural expôs os elementos que entendia serem autorizadores da concessão antecipada dos efeitos da tutela, requerendo a concessão da medida inaudita altera pars a fim de que se cessasse a cobrança indevida. No despacho liminar, o juiz determinou apenas a citação do réu. Na réplica, foi reiterado o pedido de antecipação de tutela. Por se tratar de questão meramente de direito e estando a causa madura, o juiz julgou antecipadamente a lide, julgando procedente o pedido.


Com base em tal situação, responda aos itens a seguir, empregando os argumentos jurídicos apropriados e a fundamentação legal pertinente ao caso.


a) Considerando que o juiz deixou de apreciar o pedido de antecipação de tutela, explique fundamentadamente qual medida deve ser tomada para que haja manifestação sobre a antecipação de tutela na sentença.


b) Na hipótese do enunciado, considere ser você o(a) advogado(a) da ré, que, tempestivamente, requereu a produção de provas em audiência, o que foi negado pelo julgador antes da aplicação do art. 330, I, do CPC. Aponte qual medida jurídica deve ser tomada a fim de questionar tal negativa, descrevendo o prazo para ajuizá-la.


1 resposta(s)

User badge image

Sâmara Graziely

Há mais de um mês

a) A interposição de Embargos de Declaração é a medida correta a fazer com que o juiz aprecie o pedido de antecipação de tutela anteriormente omitido na sentença. Segundo o art. 535, II, do CPC, “cabem embargos de declaração quando for omitido ponto sobre o qual devia pronunciar-se o juiz ou tribunal”. No caso, o ponto omitido é justamente um dos pedidos, o de antecipação de tutela. Assim, requerer-se-á nos embargos de declaração que o juízo se manifeste quanto ao pedido de antecipação de tutela feito na petição inicial e reiterado na réplica.

b) De acordo com o art. 513 do Código de Processo Civil, a apelação é a via recursal idônea a atacar sentença.

O prazo para a interposição do recurso de apelação é de 15 dias, nos termos do art. 508 do CPC.

O julgador incorreu em “error in procedendo” ao negar o requerimento tempestivo de produção de provas em audiência. Como consequência da decisão, houve patente cerceamento de defesa, eis que à ré, ora apelante, foi reduzida a amplitude do contraditório, no sentido substancial, de fazer valer sua defesa através de todos os meios permitidos em direito, dentre elas a produção da prova em audiência.


a) A interposição de Embargos de Declaração é a medida correta a fazer com que o juiz aprecie o pedido de antecipação de tutela anteriormente omitido na sentença. Segundo o art. 535, II, do CPC, “cabem embargos de declaração quando for omitido ponto sobre o qual devia pronunciar-se o juiz ou tribunal”. No caso, o ponto omitido é justamente um dos pedidos, o de antecipação de tutela. Assim, requerer-se-á nos embargos de declaração que o juízo se manifeste quanto ao pedido de antecipação de tutela feito na petição inicial e reiterado na réplica.

b) De acordo com o art. 513 do Código de Processo Civil, a apelação é a via recursal idônea a atacar sentença.

O prazo para a interposição do recurso de apelação é de 15 dias, nos termos do art. 508 do CPC.

O julgador incorreu em “error in procedendo” ao negar o requerimento tempestivo de produção de provas em audiência. Como consequência da decisão, houve patente cerceamento de defesa, eis que à ré, ora apelante, foi reduzida a amplitude do contraditório, no sentido substancial, de fazer valer sua defesa através de todos os meios permitidos em direito, dentre elas a produção da prova em audiência.


Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes