A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Cidadania no Transporte de Passageiros

Pré-visualização | Página 2 de 5

realizam: no modo como elogiam e criticam, na maneira 
como trabalham, nos relacionamentos com a família e amigos, entre outros.
 e
Além das particularidades manifestadas na personalidade, os 
indivíduos possuem outras características que os diferenciam. 
De acordo com o IBGE (2013), a Pesquisa Nacional de Saúde 
(PNS) realizada revela que 6,2% da população brasileira têm 
algum tipo de deficiência. A PNS considerou quatro tipos de 
deficiência: auditiva, visual, física e intelectual.
De forma a atender às necessidades dessas pessoas e garantir seus direitos como 
cidadãos, foram implementadas normas legais no país, tais como a Lei no 10.098/2000 
– conhecida como Lei da Acessibilidade – que estabelece às pessoas com deficiência 
e com mobilidade reduzida o acesso a espaços públicos e privados, sem restrição física 
ou de comunicação.
Entre os direitos assegurados pela Lei da Acessibilidade, destacam-se: rampas, 
passagens especiais para pedestres, semáforos sonorizados, vagas de estacionamento 
sinalizadas para cadeirantes, transporte adaptado, espaços reservados em locais de 
lazer e instrução, acesso à informação, comunicação e educação por meio de intérpretes 
ou recursos audiovisuais com linguagem de sinais.
10
 g
Assista ao vídeo indicado no link a seguir para entender um 
pouco mais sobre o tema cidadania e trânsito. Veja que o 
respeito aos demais usuários do trânsito contribui para uma 
convivência harmoniosa. 
 
https://www.youtube.com/watch?v=WNPvkczJsbQ
Resumindo 
 
“Transitar sem constituir perigo ou obstáculo aos demais elementos do 
trânsito” é um dever disposto no CTB – todas as demais regras são derivadas 
desse conceito. 
 
Por muitos anos e décadas a fio, as sociedades humanas experimentaram 
diversos modelos de desenvolvimento, porém, ainda está longe da forma 
ideal de sociedade, com justiça e igualdade para todos, principalmente no 
que diz respeito aos sistemas de transporte e trânsito. 
 
A Lei da Acessibilidade estabelece aos portadores de necessidades 
especiais o acesso a espaços públicos e privados, sem restrição física ou de 
comunicação – 6,2% da população brasileira têm algum tipo de deficiência: 
auditiva, visual, física e intelectual.
11
 a
1) Julgue verdadeiro ou falso. A Lei da Acessibilidade 
estabelece às pessoas com deficiência e com mobilidade 
reduzida o acesso a espaços públicos e privados, sem restrição 
física ou de comunicação. 
 
Verdadeiro ( ) Falso ( ) 
 
2) Julgue verdadeiro ou falso. Por conter todos os tipos 
possíveis de indivíduos, a sociedade se beneficia da 
diversidade, a qual garante inovações e criatividade, fatores 
contribuintes para que não ocorra a estagnação da 
sociedade. 
 
Verdadeiro ( ) Falso ( )
Atividades
12
Referências
ABETRAN – Associação Brasileira de Educação de Trânsito. Portal oficial. Disponível 
em: <www.abetran.org.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
AKIO, M. Como Evitar Acidentes de Trânsito. São Paulo: Chiado Brasil, 2015.
ANTP – Associação Nacional de Transportes Públicos. Portal oficial. Disponível em: 
<www.antp.org.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
BRASIL. Lei n° 13.103, de 2 de março de 2015. Dispõe sobre o exercício da profissão de 
motorista, entre outros. Brasília, 2015. Disponível em: <www.planalto.gov.br>. Acesso 
em: 5 dez. 2015.
_______. Lei n° 12.619, de 30 de abril de 2012. Dispõe sobre o exercício da profissão de 
motorista, entre outros. Brasília, 2012. Disponível em: <www.planalto.gov.br>. Acesso 
em: 5 dez. 2015.
_______. Lei n° 9.503, de 23 de setembro de 1997. Institui o Código de Trânsito 
Brasileiro. Brasília, 1997. Disponível em: <www.planalto.gov.br>. Acesso em: 5 dez. 
2015.
CRISTO, F. Psicologia e trânsito: Reflexões para pais, educadores e (futuros) 
condutores. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2012.
DENATRAN. Manual de Direção Defensiva. Portal oficial. Disponível em: <www.
denatran.gov.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
HOFFMANN, M. H.; CRUZ, R. M.; ALCHIERI, J. C. Comportamento Humano no Trânsito. 
São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.
IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Portal oficial. Disponível em: 
<http://www.ibge.gov.br/home/>. Acesso em: 5 dez. 2015.
MARIUZA, C. A.; GARICA, L. F. Trânsito e Mobilidade Urbana: Psicologia, Educação e 
Cidadania. Porto Alegre: CRP, 2010.
NTU – Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano. Portal oficial. 
Disponível em: <www.ntu.org.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
13
TORBI, M. Reflexões sobre o Transporte Coletivo de Passageiros. São Paulo: EMT, 
2014.
VASCONCELLOS, E. A. Mobilidade Urbana: O que Você Precisa Saber. São Paulo: Cia 
das Letras, 2013.
14
UNIDADE 2 | RELACIONAMENTO 
INTERPESSOAL NO 
TRANSPORTE DE PASSAGEIROS
15
Unidade 2 | Relacionamento Interpessoal no 
Transporte de Passageiros
1 O Que é o Relacionamento Interpessoal?
O relacionamento interpessoal é um conceito do âmbito da 
sociologia e psicologia que significa uma relação entre duas ou 
mais pessoas. Este tipo de relacionamento é marcado pelo 
contexto em que o indivíduo está inserido, podendo ser no 
ambiente familiar, escolar, de trabalho, de comunidade (TORBI, 
2014; MARIUZA; GARCIA, 2010).
O relacionamento interpessoal representa 
o esteio da sociedade contemporânea. Com 
isso, a qualidade dos relacionamentos, bem 
como a capacidade individual de mantê-
los, constituem fatores importantes de 
posicionamento social e qualidade de vida.
Você já deve ter percebido que as 
sociedades com forte desenvolvimento 
das relações interpessoais são, em geral, 
mais desenvolvidas, dinâmicas, cooperativas, ou seja, sabem tirar melhor proveito do 
trabalho em equipe e progridem de forma mais acelerada.
 c
Pode-se dizer que o indivíduo ajustado, ou o verdadeiro cidadão, 
é aquele cujas características individuais somam-se, 
positivamente, com os anseios coletivos. Por outro lado, quando 
a individualidade é contrária ao bem comum, surgem os conflitos.
16
2 A Relação entre o Cidadão e o Trânsito
Cidadão é um indivíduo que convive em sociedade, ciente das 
normas de conduta, que definem os direitos e deveres (TORBI, 
2014).
Segundo Torbi (2014) e o Denatran (2015), o cidadão tem o dever de obedecer às 
leis e códigos de sua nação, em benefício do bem comum. Assim, quando um cidadão 
observa as normas legais, respeita o direito das outras pessoas, tem, em contrapartida, 
os seus direitos respeitados. Essas mesmas normas legais estabelecem punições a 
serem aplicadas toda vez que nosso comportamento for prejudicial à coletividade.
Por seu turno, o trânsito agrega os mais diversos grupos, segmentos e indivíduos de 
uma sociedade. Constitui um sistema complexo, do qual os indivíduos dependem, 
diariamente, para: deslocar-se como condutores, passageiros ou pedestres; despachar 
as matérias-primas, produtos semiacabados e acabados; receber os produtos para 
consumo.
Com isso, a conduta no trânsito em nosso país é regida por um arcabouço de 
leis, constituído pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), decretos, resoluções 
complementares e portarias das autoridades de trânsito.
Considerado por muitos especialistas como sendo mais rigoroso que o anterior, o atual 
CTB, que entrou em vigor em 1998, estabelece em seu Capítulo VI que a educação 
para o trânsito é um direito de todos, devendo ser promovida nos ensinos infantil, 
fundamental, médio e superior.
 h
Somando-se à educação (base para formação de usuário 
consciente do trânsito), tem-se o esforço legal (fiscalização) e o 
da Engenharia (vias seguras e sinalizadas), que constituem três 
importantes pilares para que o trânsito nacional possa se 
qualificar como seguro, humano e funcional.
17
3 O Respeito Mútuo no Transporte de Passageiros
Para Torbi (2014), a Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU, 
2015) e Hoffmann et al. (2003), o uso de boas atitudes entre os prestadores de serviço 
de transporte e os seus usuários, bem como entre os usuários do trânsito, tem o poder 
de promover os denominados

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.