A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Cidadania no Transporte de Passageiros

Pré-visualização | Página 4 de 5

ambientais 
tem alterado as relações de toda a sociedade, 
particularmente, as relações das organizações 
empresariais com o meio ambiente.
26
Dentre as questões ambientais urbanas no Brasil, destaca-se a poluição atmosférica. 
Os problemas ambientais gerados pela poluição do ar nas grandes cidades brasileiras 
resultam de fontes industriais e veiculares.
A principal fonte de poluição atmosférica ainda é o monóxido de carbono produzido 
pela frota de veículos, cujo crescimento resultou do desenvolvimento da indústria 
automobilística.
Para a Abetran (2015), o monóxido de carbono emitido por veículos leves é responsável 
por 68,4% do total dessa fonte de poluição. Os veículos pesados contribuem com 
28,6%, os processos industriais com 2,2%, e a queima de lixo, com 2,6%.
Algumas das consequências causadas pela relação entre trânsito e meio ambiente são:
• poluição atmosférica, visual, sonora e de gases poluentes;
• erosão, decorrente do mau planejamento de estradas;
• agressões contra o meio ambiente, resultantes de acidentes no transporte de 
produtos tóxicos poluentes;
• incêndios devastadores, pelo uso inadequado de lugares de descanso às beiras 
das rodovias, ou pelo cigarro jogado pela janela do veículo;
• poluição do habitat natural pelos detritos jogados pelos motoristas nas 
rodovias;
• enchentes em vias urbanas, provocadas pelo acúmulo de lixo deixado pelos 
usuários (motoristas e pedestres) em bueiros ou próximo a rios e lagos;
• mortes de animais silvestres, provocadas por excesso de velocidade e descaso 
à sinalização.
27
3 Veículos Poluidores
Segundo o CTB (BRASIL, 1997), as 
autoridades de trânsito são responsáveis 
pela fiscalização de veículos, podendo 
aplicar as punições cabíveis aos 
proprietários de veículos que apresentem 
emissão de poluentes ou ruídos acima 
dos níveis permitidos na legislação.
Que aparelhos são usados para a 
realização das medições de emissão de 
poluentes e ruídos?
Normalmente, os agentes de trânsito valem-se dos seguintes instrumentos:
• Escala de Ringelmann: é um aparato que mede, por meio de comparação, a 
quantidade de fumaça que o veículo está emitindo.
• Sensor de monóxido de carbono (CO): é um aparelho que mede as 
concentrações desse gás, quando acoplado ao escapamento do veículo em 
funcionamento.
• Decibelímetro: é um instrumento que mede o nível de ruído emitido pelo 
veículo em decibéis (dB).
Para Torbi (2014), a fim de que os veículos sejam mantidos com níveis de emissão de 
gases, fumaça e ruídos dentro dos parâmetros legais, é recomendável que o proprietário 
tome cuidados com determinados itens associados ao sistema de alimentação do 
motor, tais como:
• bobina, ignição eletrônica, distribuidor e velas;
• filtro de ar;
• carburador ou sistema de injeção;
• escapamento.
28
 h
Se os itens do sistema de alimentação do motor estiverem em 
mau estado ou desregulados, provocam queima imperfeita do 
combustível, reduzindo a potência do veículo e aumentando o 
consumo de combustível e a emissão de gases poluentes.
4 Cuidados com o Veículo
De acordo com Torbi (2014) e Abetran (2015), os proprietários e condutores de 
veículos devem estar atentos a cuidados básicos para evitar prejuízos à saúde e ao 
meio ambiente. Dentre eles, citam-se:
• providenciar as trocas de óleo lubrificante do motor, câmbio, diferencial, 
fluido de freio e direção hidráulica em estabelecimentos especializados, os 
quais destinam óleos e lubrificantes usados para a devida reciclagem;
• realizar a manutenção do veículo, conforme instruções do fabricante, de forma 
a tê-lo em perfeitas condições de funcionamento;
• quanto aos pneus, quando chegarem ao final da vida útil, o destino recomendado 
é deixá-los em estabelecimentos especializados – que os encaminharão para 
reciclagem, em vez de serem depositados em terrenos baldios para serem 
queimados ou para virarem criadouros de insetos e ratos;
• racionalize o uso, evitando deslocamentos desnecessários;
• não abuse do ar-condicionado.
 c
Você, além de economizar combustível em seu trajeto, estará 
diminuindo a liberação dos gases que provocam o efeito estufa.
29
5 Fazendo sua Parte na Proteção ao Meio Ambiente
Para Torbi (2014) e Andrade (2012), além de manter o veículo em condições apropriadas 
de circulação, o papel de um profissional – como usuário do sistema de trânsito e 
consciente de suas responsabilidades socioambientais – deve englobar os seus próprios 
exemplos corretos de conduta.
A seguir estão listadas algumas ações, simples de serem realizadas, que contribuem 
para a proteção ao meio ambiente:
• evite paradas prolongadas com o motor funcionando;
• mantenha a velocidade o mais constante possível, tirando o pé do acelerador 
quando o semáforo fechar ou quando o trânsito à frente parar;
• evite reduções constantes de marcha, acelerações bruscas e freadas em 
excesso;
• troque de marcha na rotação correta;
• oriente os seus passageiros para que depositem o lixo em sacola no interior do 
veículo, e para que nunca o joguem pela janela;
• em caso de avaria no veículo ou acidente envolvendo o transporte de produtos 
perigosos, procure isolar a área e impedir que eles atinjam cursos de água.
30
Resumindo 
 
A principal fonte de poluição atmosférica ainda é o monóxido de carbono 
produzido pelas frotas de veículos. 
 
As consequências causadas pela relação entre trânsito e meio ambiente 
vão desde a poluição (atmosférica, visual, sonora e de gases poluentes), 
passando pela erosão (decorrente do mau planejamento de estradas), até 
as agressões resultantes de acidentes no transporte de produtos tóxicos 
poluentes. 
 
Quando o veículo é mantido em condições adequadas de operação, você, 
além de economizar combustível em seu trajeto, estará diminuindo a 
liberação de gases que provocam o efeito estufa.
31
 a
1) Julgue verdadeiro ou falso. Mortes de animais silvestres, 
provocadas por excesso de velocidade e descaso à sinalização, 
constituem uma consequência causada pela relação entre 
trânsito e meio ambiente. 
 
Verdadeiro ( ) Falso ( ) 
 
2) Julgue verdadeiro ou falso. Reduções constantes de 
marcha, acelerações bruscas e freadas em excesso são 
algumas ações, simples de serem realizadas, que contribuem 
para a proteção ao meio ambiente. 
 
Verdadeiro ( ) Falso ( )
Atividades
32
Referências
ABETRAN – Associação Brasileira de Educação de Trânsito. Portal oficial. Disponível 
em: <www.abetran.org.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
AKIO, M. Como Evitar Acidentes de Trânsito. São Paulo: Chiado Brasil, 2015.
ANTP – Associação Nacional de Transportes Públicos. Portal oficial. Disponível em: 
<www.antp.org.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
BRASIL. Lei n° 13.103, de 2 de março de 2015. Dispõe sobre o exercício da profissão de 
motorista, entre outros. Brasília, 2015. Disponível em: <www.planalto.gov.br>. Acesso 
em: 5 dez. 2015.
_______. Lei n° 12.619, de 30 de abril de 2012. Dispõe sobre o exercício da profissão de 
motorista, entre outros. Brasília, 2012. Disponível em: <www.planalto.gov.br>. Acesso 
em: 5 dez. 2015.
_______. Lei n° 9.503, de 23 de setembro de 1997. Institui o Código de Trânsito 
Brasileiro. Brasília, 1997. Disponível em: <www.planalto.gov.br>. Acesso em: 5 dez. 
2015.
CRISTO, F. Psicologia e trânsito: Reflexões para pais, educadores e (futuros) 
condutores. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2012.
DENATRAN. Manual de Direção Defensiva. Portal oficial. Disponível em: <www.
denatran.gov.br>. Acesso em: 5 dez. 2015.
HOFFMANN, M. H.; CRUZ, R. M.; ALCHIERI, J. C. Comportamento Humano no Trânsito. 
São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.
IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Portal oficial. Disponível em: 
<http://www.ibge.gov.br/home/>. Acesso em: 5 dez. 2015.
MARIUZA, C. A.; GARICA, L. F. Trânsito e Mobilidade Urbana: Psicologia, Educação e 
Cidadania. Porto Alegre: CRP, 2010.
NTU – Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano. Portal oficial. 
Disponível em: <www.ntu.org.br>.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.