A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Planejamento Familiar

Pré-visualização | Página 3 de 3

maneira não arriscada de prevenir gravidez não planejada 
até 120 horas da relação sexual. 
Métodos: 
Método Yuzpe: 2doses com intervalo de 12 horas 
(etinilestradiol 100mcg + levonorgestrel 0,5mg), liberado 
no Brasil. 
Levonorgestrel: dose única (1,5 mg), liberado no Brasil. 
Acetato de ulipristal (30mg). 
Mifepristona (25 a 50mg). 
DIU de cobre. 
Podem ser usados até 120 horas, porém a eficácia é maior 
até 72 horas da relação sexual. 
Mecanismos de ação: 
Agem impedindo ou atrasando a ovulação 
DIU de cobre: induz resposta inflamatória crônica, 
causando efeito inibitório da implantação. 
Segurança e recomendações: 
Redução da eficácia quando usado com drogas indutoras 
de enzimas CYP3A4 (carbamazepina, fenitoína, 
barbitúricos...). 
Não protegem contra as DSTs. 
Indicações: 
• Relações desprotegidas. 
• Violência sexual, estupro. 
• Coito interrompido. 
• Rotura de preservativo. 
• Deslocamento de diafragma. 
• Uso isolado de espermicida. 
• Esquecimento de duas ou mais pílulas COCs 
(contraceptivos orais combinados). 
• Atraso maior de 12 horas se for desogestrel. 
• Atraso de mais de duas semanas na aplicação do 
injetável trimestral. 
MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS REVERSÍVEIS DE LONGA 
DURAÇÃO 
LARCS: 
• Implante. 
• Dispositivos intrauterinos (DIU de cobre/prata, 
DIU levonorgestrel). 
 
 
DISPOSITIVO INTRAUTERINO DE COBRE 
Mecanismo de ação: 
Desencadeamento pelos sais de cobre de reação corpo 
estranho pelo endométrio. 
Estimula a produção de prostaglandinas e citocinas no 
útero, produzindo um efeito tóxico ao óvulo e aos 
espermatozóides, alterando a viabilidade, transporte e 
capacidade de fertilização. 
 
Contraindicações absolutas: 
• Gravidez. 
• DIP ou DST atual, recorrente ou persistente. 
• Sepse puerperal. 
• Cavidade uterina severamente deturpada. 
• Hemorragia vaginal inexplicada. 
• Câncer cervical ou endometrial. 
• Doença trofoblástica maligna. 
Pode ser inserido em até 48 horas do parto, evitar entre 
48h e quatro semanas após parto pelo risco de perfuração. 
CONCLUSÃO 
Fornecer informações claras e adequadas a respeito de 
cada método: 
• Vantagens. 
• Desvantagens. 
• Custos. 
• Eficácia. 
• Riscos. 
• Efeitos adversos. 
• Retorno à fertilidade. 
A paciente deve participar ativamente no processo de 
escolha.