4.Farmacodermias sf

Disciplina:Clínica Médico-cirúrgica I58 materiais1.079 seguidores
Pré-visualização1 página
*
*
*

Universidade Federal de Santa Maria
Curso de Medicina
Professor Andre Costa Beber
2010
Reações Adversas a Drogas

*
*
*

Reações Adversas a Drogas
Reação adversa a droga
Manifestação clínica indesejável resultante da administração de uma droga
Farmacodermia
Erupção cutânea produzidas, direta ou indiretamente, pelo uso de uma droga

*
*
*

Reações Adversas a Drogas
1/40 consultas seja por RAD
3 – 6% das admissões hospitalares
10 – 20% pct hospitalizados desenvolvem RAD

*
*
*

Reações Adversas a Drogas
Experiência prévia
Etiologia alternativa
Tempo do evento
Acumulação da droga
Melhora com a retirada da droga
Recidiva com a re-introdução

*
*
*

Reações Adversas a Drogas
Não - Imunológicos
Efeito farmacológico
Fatores Constitucionais
Imunológicos
Interações medicamentosas

*
*
*

Não - imunológica
Previsíveis
Superdosagem / efeitos – colaterais
Distúrbio ecológico
Degranulação mastócitos imediata / Liberação de histamina
Ativação do complemento
Alterações metabólicas
Reações fotoquímicas
Desencadeamento ou exacerbação de doenças
Efeitos sobre a pigmentaçãom cutânea
Teratogenicidade
Imprevisíveis
Intolerância
Idiossincrasias

Miscelânea
Jarisch – Herxheimer
Mononucleose - ampicilina

*
*
*

Imunológicas
Diferem do efeito farmacológico
Uma droga produz diferentes reações
Drogas diferentes produzem mesmo tipo de reação
Uso anterior sugerindo um período de sensibilização
Reexposição causa erupção rápida
Pequenas quantidades são suficientes
Persistentes

*
*
*

Imunológicas
Gel e Coombs
Tipo I: anafilática = penicilina
Tipo II: citotóxica = Stevens-Johnson
Tipo III: imunocomplexos = doença do soro
Tipo IV: imunidade celular = dermatite de contato

*
*
*

Imunológicas
Penicilina
Hapteno major = peniciloil
urticária

Hapteno minor = peniciloato,...
anafilaxia

*
*
*

Interação entre drogas
Interferência absorção intestinal
Competição por carreadores / receptores
Estimulação / inibição enzimática
Alteração na excreção

*
*
*

Manifestações clínicas
Mesma droga pode causar diferentes erupções medicamentosas
Não existem exames complementares diagnósticos
História clínica

*
*
*

Exantema agudo
Morbiliforme ou rubeoliforme
Áreas de manchas entremeadas por pele sã
Escarlatiniforme
Difuso e uniforme

*
*
*

Distúrbios dos pêlos
Alopecia
Hipertricose
Alterações da cor

*
*
*

Alterações ungueais
Alterações da cor
Distrofia
Onicólise

*
*
*

Outras
LE like
Erupções bolhosas
Dermatomisite like
Esclerodermia like
...

*
*
*

Erupções Cutâneas Graves
EM X SSJ X NET

*
*
*

Classificação

*
*
*

SSJ / NET
2 – 3 / 106 habitantes
SSJ : SSJ – NET : NET = 3 : 2 : 1
2M : H
Drogas: SSJ = 50% / NET = 80 – 95%
Sulfas, anticonvulsivantes e AINE

*
*
*

Síndrome da pele escaldada estafilocócica (SSSS)
Exotoxina do S. aureos fago-grupo 2
Infecção pele, conjuntivite, otite, orofaringe ou bacteremia
Exantema escarlatiniforme
Clivagem alta
Nikolski em toda a pele

*
*
*

Síndrome de hipersensibilidade aos anticonvulsivantes
DRESS = Drug Reactions with Eosinophilia and Systemic Symptoms
Reação cruzada entre fenitoína, carbamazepina e fenobarbital
1:1.000 – 1:10.000 expostos
2 – 6 semanas após início
Febre 85%
Reação cutânea em 75%

*
*
*

DRESS = Drug Reactions with Eosinophilia and Systemic Symptoms
Rash morbiliforme → lesões purpúricas
Edema facial
Linfadenopatia
Hepatite, miocardite, pneumonite, nefrite, tireoidite, encefalite
Linfocitose, eosinofilia
Lamotrigina / valproato, sulfonamidas, minociclina, alopurinol, ouro, dapsona...

*
*
*

Tratamento