A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
criacionismo_e_evolucionismo_paper23-11-2021

Pré-visualização | Página 1 de 2

CRIACIONISMO VS EVOLUCIONISMO 
(Cristianismo e Historia- TEO009) 
 
 
Marcos Antonio Santos de Oliveira¹ 
Lucas Lima Dos Santos¹ 
Custodio Luiz Vieira Rios¹ 
Schaiele Mattos Dias¹ 
Davi Paixão de Santana¹ 
Flaviane Gracielle da Silva Pereira¹ 
Prof. Walter’ José Mormello² 
 
 
Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI 
Teologia - Seminário Interdisciplinar 
17/11/2021 
 
 
RESUMO 
 
A discussão entre criacionismo e evolucionismo vem tendo grande destaque nós últimos 
séculos, especialmente a partir do século XIX. Ambas as ideologias se validam do conhecimento 
científico para fundamentarem suas crenças. Este trabalho científico objetivo trazer o embasa-
mento e as evidências de ambas as correntes de pensamento. Para realizar esta análise se utiliza-
ram citações da Bíblia, bem como de livros e jornais/periódicos. Verificamos que ambas as cren-
ças possuem sólidas argumentações e evidências comprobatórias para sustentar suas respectivas 
ideologias. Entretanto por fim, concluímos que uma delas apresenta evidências mais sólidas do 
que a oposta. E esta não apresenta alterações ou contradições em sua convicção original, en-
quanto a outra vai moldando a sua com o passar dos anos e com as novas descobertas científicas. 
 
Palavras-chaves: Criacionismo. Evolucionismo. Ateísmo. 
 
 
1 INTRODUÇÃO 
 
 
Neste trabalho científico abordaremos as divergências, assim como as crenças nas bases do 
Criacionismo bíblico e do Evolucionismo ateísta. Nos últimos séculos, especialmente a partir da 
Idade Contemporânea, estas duas correntes vem entrando em um intenso conflito. Como veremos
2 
 
no decorrer do relatório, ambas são completamente opostas e as convicções de uma ferem grave-
mente as da oposta. 
 
 Nossos objetivos neste trabalho científico são esclarecer o ponto de vista de cada uma das 
correntes de pensamento, expondo suas crenças e evidências científicas para compreendermos a 
razão de suas respectivas convicções. 
 
 No que se refere ao método de pesquisa o trabalho científico se apresenta como qualitativo, 
em uma pesquisa básica, de caráter exploratório, com procedimentos técnicos bibliográficos e do-
cumentais. 
 
 Inicialmente abordaremos o lado histórico das duas correntes, como elas se originaram e no 
que se baseiam. Em seguida iremos melhor compreender suas convicções e identificar a veracidade 
ou não de suas bases teóricas. Por fim, chegaremos a uma decisão final definitiva, apontando qual 
delas apresenta as evidências mais consistentes e fidedignas. 
 
 
2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 
 
 
Muitas são as correntes filosóficas, históricas e teológicas, acerca do criacionismo e evolu-
cionismo. No ponto de vista de cada qual. Podemos compreender cada posição, ambas trazem suas 
bases e conclusões. O criacionismo defendendo que sim, existe algo por traz da criação, tudo que 
existe teve uma força que a trouxe a existência; já o evolucionismo tem aqueles que descredenciam 
um Deus criador de todas as coisas. Vejamos o que diz o texto de (BÍBLIA, N.T. João 1:3)¹ Que 
diz: “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito.” 
podemos afirmar na esfera da fé criacionista que sim, tudo foi arquitetado por um Criador. Mas, 
para aqueles que ainda não aceitam as passagens das escrituras, temos essa citação do Dr. Morris, 
do qual ele usa algumas das ciências pra fundamentar os primeiros capitulo de Gênesis: 
 
O Dr. Morris escreve com a convicção de que os primeiros onze capítulos de Gênesis são 
tão verdadeiramente históricos quanto os trinta e nove restantes. Esta conclusão não se ba-
seia simplesmente na fé, mas em muitos anos de estudos dos aspectos científicos dos regis-
tros de Gênesis e do intercâmbio de ideias com muitos outros cientistas, tanto criacionistas 
quanto evolucionistas. Visto que ele e muitos de seus colegas estão convencidos de que a 
terra e o universo são jovens, em vez de bilhões de anos, ele defende uma cronologia rígida 
3 
 
ao expor o Gênesis, ao lidar com o relato do Dilúvio de Noé em todo o mundo, o autor ba-
seia-se em seus estudos em hidrologia e geologia, além de seus anos de ensino de engenha-
ria hidráulica. 
 
Podemos perceber tanto quanto a essa argumentação cientifica do Dr. Morris, quanto à próxima referencia que 
nos causa espanto, e de caráter ate ingênuo! Quanto o posicionamento dos Darwinistas; vejamos a publicação na revis-
ta: 
 
Se os alunos aprendem a Teoria da Evolução, por que não dar a eles o criacionismo? Per-
guntou o pastor Feliciano á GALILEU. “Seria ingenuidade acreditar que Deus não deixaria 
pistas e evidências. Há um designer inteligente”. O deputado afirma que seu projeto de lei 
busca melhorar uma sociedade de maioria cristã, e faz a própria interpretação da teoria do 
cientista britânico. 
 
“Há dois princípios básicos na Teoria de Darwin, a ancestralidade comum e a seleção natu-
ral. Tenho reticências quanto á ancestralidade comum, pois nela Darwin ‘prega’ que nós, 
Homo sapiens, temos como ancestral comum os símios...” 
 
Revista Galileu, 23/05/2017 
 
https://revistagalileu.globo.com/criacionismoevolucionismo² 
 
Indo mais além e sem esconder nosso desacordo entre dois posicionamentos que se opõem, 
podemos ver a afirmação do líder da igreja católica no mundo. O Papa Francisco. Onde ele afirma 
que o “big bang” não descrença a fé criacionista. Ora! É de suma relevância pontuar e defender um, 
e isolar outro. Se um é a verdade outro é a mentira. 
 
A origem da vida no universo sempre foi controversa entre ciência e religião. Mas o papa 
Francisco resolveu unir as teorias do evolucionismo e criacionismo, ao afirmar que elas po-
dem sim coexistir. Durante uma assembleia da Pontifícia Academia de Ciências, no Vatica-
no, o pontífice afirmou que a teoria do Big Bang não se opõe a ideia de um criador divino, 
ela exige um criador, assim como a evolução exige que antes os seres tenham sido criados. 
 
“Para o papa, o começo do mundo não foi; obra do caos, mas uma criação a partir de um 
princípio de amor.” 
 
Correio Brasiliense, 28/10/2014 
 
https://www.correiobrasiliense.com.br³ 
 
https://www.correiobrasiliense.com.br/
4 
 
Podemos então de fato concluir que: apesar de ambos os pontos de vista fornecer referências relevantes, no fi-
nal cada qual tem sua própria fé naquilo que acredita. Ao analisar os pontos que os criacionistas defendem, usando da 
própria ciência, e evidencias que “causam dor de cabeça” na mente ateísta; fica a bela e constrangedora pergunta em 
cima dos métodos empregos e utilizados em todos os períodos da humanidade: quando um evolucionista provar que 
Deus não existe, ai sim o criacionismo seria o mais “belo conto de fadas”. Usamos a figura do primogênito do Pai, pro-
va incontestável sobre um Criador. Pois, temos evidencias oculares não cristas da veracidade da presença dele entre nós. 
Ou seja, não cristãos, afirmam um homem divino, e que defendia o próprio Deus dos criacionistas. Um cristo do ponto 
de vista no mínimo histórico da margem através de seus feitos e milagres de um ser colossal e divino. 
 
 
3 MATERIAIS E MÉTODOS 
 
 
Apesar do progresso cientifico não foram derrubadas todas as crenças religiosas que envol-
vem a criação do mundo. Ao contrario nos últimos anos tem crescido o numero de fundamentalistas 
religiosos que creem na veracidade absoluta da palavra Bíblica em todos os sentidos 
O Homem foi criado imagem e semelhança de Deus, confrontando o pensamento de Charles Dar-
win cientista britânico, que viu a semelhança entre os animais vivos, extinção e conclui o que as 
características possam por processos em que fatores naturais modificariam o organismo.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.