Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Teorias de Aquisição da Linguagem

Pré-visualização | Página 1 de 3

estudos e ações:estudos e ações:
↪ comprometidos com a melhoria da qualidade↪ comprometidos com a melhoria da qualidade
do ensino e, em especial, com processos dedo ensino e, em especial, com processos de
formação continuada capazes de provocarformação continuada capazes de provocar
mudanças que viabilizem o acesso e amudanças que viabilizem o acesso e a
apropriação de linguagem oral e escrita porapropriação de linguagem oral e escrita por
parte da população brasileira;parte da população brasileira;
↪↪ estabelecimento de interseções e inter- estabelecimento de interseções e inter-
relações, a partir de parcerias colaborativasrelações, a partir de parcerias colaborativas
entre fonos e educadores na concretização deentre fonos e educadores na concretização de
propostas de formação continuada/em serviço,propostas de formação continuada/em serviço,
voltadas a ambos profissionais;voltadas a ambos profissionais;
↪↪ na esteira desse movimento, consideramos na esteira desse movimento, consideramos
necessária a realização de estudos comnecessária a realização de estudos com
elementos teórico-práticos para oelementos teórico-práticos para o
desenvolvimento de ações intersetoriais quedesenvolvimento de ações intersetoriais que
contribuem para que a escola, enquanto umacontribuem para que a escola, enquanto uma
das agências sociais resposáveis peladas agências sociais resposáveis pela
alfabetização e letramento, cumpra o seu papelalfabetização e letramento, cumpra o seu papel
social.social.
TEORIAS DE AQUISIÇÃO DETEORIAS DE AQUISIÇÃO DE
LINGUAGEM ESCRITA E LEITURALINGUAGEM ESCRITA E LEITURA
✱ PIAGET (CONSTRUTIVISMO):✱ PIAGET (CONSTRUTIVISMO):
↪ aquisição da ling. está subordinada a↪ aquisição da ling. está subordinada a
processos cognitivos da aprendizagem;processos cognitivos da aprendizagem;
↪ o processo de construção do conhecimento se↪ o processo de construção do conhecimento se
realiza pela criança em contato com o seu meio.realiza pela criança em contato com o seu meio.
✱VYGOTSKY✱VYGOTSKY
(INTERACIONISMO/SOCIOCONSTRUTIVISMO)(INTERACIONISMO/SOCIOCONSTRUTIVISMO)
↪ a aquisição da linguagem é vista num↪ a aquisição da linguagem é vista num
processo interacionista "social";processo interacionista "social";
↪ a linguagem oral (fala) é concebida como uma↪ a linguagem oral (fala) é concebida como uma
organização do pensamento;organização do pensamento;
↪ relações de construção do conhecimento↪ relações de construção do conhecimento
estão alicerçadas na criança com o outroestão alicerçadas na criança com o outro
(interlocutor);(interlocutor);
↪ pensamento e linguagem são concepções↪ pensamento e linguagem são concepções
indissociáveis, em que fala e imagem sãoindissociáveis, em que fala e imagem são
evocadas na mente;evocadas na mente;
↪ somos o que somos por causa de experiência↪ somos o que somos por causa de experiência
com a linguagem, sem ela, nos nãocom a linguagem, sem ela, nos não
construiríamos sujeitos;construiríamos sujeitos;
- surge a leitura e, compreensão; produção é- surge a leitura e, compreensão; produção é
uma forma de se externar essa compreensão nauma forma de se externar essa compreensão na
modalidade escrita;modalidade escrita;
✱ BAKTHIN (ANÁLISE DO DISCURSO):✱ BAKTHIN (ANÁLISE DO DISCURSO):
↪ a palavra é "social" e tem sua origem no social.↪ a palavra é "social" e tem sua origem no social.
A língua (palavra) vive e é historicamenteA língua (palavra) vive e é historicamente
explicada num contexto real. Tudo que se diz jáexplicada num contexto real. Tudo que se diz já
foi dito (linguagem dialoga com ela mesma);foi dito (linguagem dialoga com ela mesma);
↪ a fala humana é externada sempre dentro de↪ a fala humana é externada sempre dentro de
um contexto (intertextualidade), explícita ouum contexto (intertextualidade), explícita ou
implícita. Revolucionamento no campo da leituraimplícita. Revolucionamento no campo da leitura
e da produção textual, de uso (para que escreve?e da produção textual, de uso (para que escreve?
em qual situação (contexto) o texto se insere?;em qual situação (contexto) o texto se insere?;
↪ de acordo com a análise do discurso, o↪ de acordo com a análise do discurso, o
professor trabalha com vários textos para ver asprofessor trabalha com vários textos para ver as
possibilidades de interpretação que elespossibilidades de interpretação que eles
oferecem;oferecem;
✱ SKINER (BEHAVIORISMO):✱ SKINER (BEHAVIORISMO):
↪ processo de aprendizagem baseado numa↪ processo de aprendizagem baseado numa
linguagem condicionada a um estimulo-linguagem condicionada a um estimulo-
resposta-reforço, dentro do meio em que oresposta-reforço, dentro do meio em que o
aprendizado encontra-se inserido;aprendizado encontra-se inserido;
✱ PAULO FREIRE (PEDAGOGIA DO OPRIMIDO,✱ PAULO FREIRE (PEDAGOGIA DO OPRIMIDO,
PEDAGOGIA DO AMOR):PEDAGOGIA DO AMOR):
↪ planejamento de acordo com a realidade do↪ planejamento de acordo com a realidade do
aprendiz;aprendiz;
↪ atendimento as reais necessidades do aluno↪ atendimento as reais necessidades do aluno
em meio ao processo ensino aprendizagem;em meio ao processo ensino aprendizagem;
EIXO TEMÁTICOEIXO TEMÁTICO
I. a inteligência prática nos animais e nasI. a inteligência prática nos animais e nas
crianças;crianças;
II. a relação social entre a fala e o uso deII. a relação social entre a fala e o uso de
instrumentos;instrumentos;
III. a interação social e a transformação daIII. a interação social e a transformação da
atividade prática;atividade prática;
SEC XX - KARL STUMPFSEC XX - KARL STUMPF
↪ psicólogo Alemão;↪ psicólogo Alemão;
↪↪ comparou o estudo das crianças à botânica comparou o estudo das crianças à botânica
(desenvolvimento);(desenvolvimento);
*"A noção corrente de maturação como um*"A noção corrente de maturação como um
processo passivo não pode descrever, de formaprocesso passivo não pode descrever, de forma
adequada, os fenômenos complexos" - Vygotsky,adequada, os fenômenos complexos" - Vygotsky,
2007, p. 4;2007, p. 4;
✱ 1930 - A. GESELL:✱ 1930 - A. GESELL:
- ainda usamos a analogia botânica em nossa- ainda usamos a analogia botânica em nossa
descrição de desenvolvimento infantil;descrição de desenvolvimento infantil;
@projetofonoo@projetofonoo
⁂PSICOLOGIA MODERNA⁂⁂PSICOLOGIA MODERNA⁂
⁂ mudança de paradigma > modelos zoológicos:⁂ mudança de paradigma > modelos zoológicos:
base de uma nova abordagem geral nabase de uma nova abordagem geral na
compreensão do desenvolvimento infantil;compreensão do desenvolvimento infantil;
⁂⁂ observações do comportamento infantil observações do comportamento infantil
provem do reino animal;provem do reino animal;
⁂⁂ as tentativas de respostas para as questões as tentativas de respostas para as questões
sobre as crianças são procuradas nasobre as crianças são procuradas na
experimentação animal;experimentação animal;
✔ caráter das funções psicológicas superiores;✔ caráter das funções psicológicas superiores;
dificuldade em estudá-las por meiosdificuldade em estudá-las por meios
experimentais;experimentais;
✔ ✔ ABORDAGEM ZOOLÓGICA: processosABORDAGEM ZOOLÓGICA: processos
intelectuais superiores; extensão direta dosintelectuais superiores; extensão direta dos
processos correspondentes nos animaisprocessos correspondentes nos animais
inferiores;inferiores;
*maneira de analisar a inteligência das crianças,*maneira de analisar a inteligência das crianças,
cujo aspecto mais importante é o uso doscujo aspecto mais importante é o uso dos
instrumentos;instrumentos;
✔✔ psicologia animal ⇉ estudo das bases psicologia animal ⇉ estudo das bases
biológicas do comportamento humano ⇇biológicas do comportamento humano ⇇
psicologia da criança;psicologia da criança;
✹ 1930 - K. Buhler: buscou estabelecer✹ 1930 - K. Buhler: buscou estabelecer
similaridades entre crianças e macacossimilaridades entre crianças e macacos
antropóides; manifestações da inteligênciaantropóides; manifestações da inteligência
prática em crianças = chimpanzés; estudou: aprática em crianças = chimpanzés; estudou: a
preensão manual de objetos
Página123