A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Fisiologia do sistema nervoso

Pré-visualização | Página 1 de 3

Josué Mallmann Centenaro 
Introdução 
O sistema nervoso está intimamente relacionado com 
o sistema endócrino, controlando eventos internos do 
organismo e mantendo a homeostase do corpo. 
Durante a evolução, o sistema nervoso sofreu 
alterações necessárias para que o animal mantivesse 
sua existência. 
O sistema nervoso obedece 3 mecanismos: 
reconhecimento do estímulo (interno ou externo), 
produção da resposta e adequação da resposta ao 
estímulo. 
 Estímulo: baixa quantidade de água circulante; 
 Reconhecimento do estímulo externo: tato, 
visão, olfato, paladar e audição, e em alguns 
casos o 6° sentido (a propriocepção); 
Estímulo/resposta 
 
Os receptores nervosos estão ligados às fibras 
sensitivas, são aquelas que transmitem os impulsos 
nervosos à medula e ao cérebro, até o processamento 
da resposta adequada. 
Os receptores são classificados: 
De acordo com a localização 
 Externoceprotes ou exteroceptores: sensíveis 
às modificações do meio externo, como dor e 
temperatura. Localizam-se na superfície 
externa do corpo, sensibilização pela 
modificação da temperatura e pressão, 
receptores dos sentidos especiais (olfato, tato, 
paladar, audição e visão). A audição é composta 
pelos receptores externos e os receptores 
internos (proprioceptores); 
 Internoceptores ou interoceptores: sensíveis às 
modificações do meio interno, como íons de 
sódio, potássio e dor. Localizam-se nas vísceras 
(levam e trazem informações, movimentação) e 
vasos sanguíneos (pressão, osmolaridade), 
sensibilização (diferença de pressão sanguínea, 
concentração osmolar e equilíbrio do corpo, 
responsáveis pela sensação de fome, sede, 
libido); 
 Proprioceptores: estão presentes nos 
músculos, tendões (articulações) e no ouvido 
(receptor vestibular). Localizam-se 
profundamente nos músculos esqueléticos, 
tendões fáscias, ligamentos e cápsulas 
articulares, são responsáveis pelos sentidos de 
posição e movimento (medo); 
De acordo com à reação 
 Nociceptores: receptores de dor (mecânicos, 
térmicos e químicos). Ativados, por exemplo, 
na aplicação de Benzetacil e na vacina de 
tétano; 
 Mecanoceptores: receptores de tato, pressão, 
som equilíbrio, (Disco de Merkel, Terminação 
de Ruffini, Corpúsculo de Meissner, Corpúsculo 
de Pacini); 
 
o Terminações livre: capta estímulo 
externo; 
 Fotorreceptores: receptores eletromagnéticos 
(luz); 
 Termorreceptores: receptores 
eletromagnéticos; 
 Quimiorreceptores: receptores do olfato, da 
gustação, vomeronasal (ligados ao nervo 
olfatório, respondem ao Reflexo de Fleming – 
estímulo químico como o feromônio), pressão 
parcial de O2 e CO2, concentração osmolar; 
o Quando passear com um animal e ele 
cheirar muito, quem irá estar atuando 
será o órgão vomeronasal captando os 
feromônios; 
Mecanoceptores 
Discos de Merkel: bolinhas na ponta, captam estímulos 
de tato superficial (carinho); 
Corpúsculo de Meissner: discos encapsulados, captam 
pressão, tato, mais profundo (cutucada); 
Corpúsculo de Pacini: pressão atmosférica (após a 
mudança de pressão, o corpo sofre diversas alterações 
que precisam passar por adaptações); 
Receptor de folículo piloso: fazem a ereção do pelo; 
Corpúsculo de Ruffini: secreção de glândulas 
(sudoríparas por exemplo); 
 
 
Unidade funcional 
O sistema nervoso é composto por diversas células, 
entre elas os neurônios. Em média, o ser humano 
apresenta 85 milhões de neurônios, já grandes 
mamíferos apresentam 200 milhões de neurônios, e 
cada neurônio pode tem mais de mil ligações que 
recebem, elaboram e transmitem estímulos. 
Os neurônios param de se dividir após o nascimento e 
continuam a prolongar apenas no axônio. Quanto mais 
estimulado um animal ou até mesmo uma criança for 
durante a infância, mais conexões os neurônios vão 
fazer, logo a capacidade cognitiva poderá ser maior. 
Em animais isso acontece através da lambedura. 
 
Bainha de mielina: permite a condução dos impulsos 
nervosos. A energia não será dispersa no meio e irá 
transmitir o mesmo impulso. 
Nódulo de ranvier: parte do axônio que que fica sem a 
bainha de mielina. 
Células de Schwann: são as células responsáveis por 
produzem bainha de mielina. 
Mielina: substância branca lipídica que forma uma 
bainha ao redor das fibras nervosas. 
 Funciona como um isolante elétrico; 
 Os axônios podem ou não conter esta 
substância; 
 Quem faz a bainha de mielina no sistema 
nervoso periférico são as Células de Schwann, 
no sistema nervoso central são os 
oligodendrócitos; 
 
 
 
Gânglios nervosos: conjunto dos corpos celulares dos 
neurônios. 
Desmielinização 
As células de Schwann são empurradas para fora, por 
isso, uma vez a bainha sendo desmielinizada não é 
refeita. A desmielinização pode ser causada por vírus 
(esclerose múltipla, cinomose), produtos químicos. 
 
Legenda: normal, comprimido, perda de baia, descoloração, degeneração. 
Pode ter a compressão das bainhas de mielina, 
comprimindo o nervo ciático. 
A bainha de mielina acelera a passagem de impulso 
nervoso, ocorrem os saltos. A perda da bainha, além de 
ser perdida algumas informações, demora muito mais. 
 Com bainha: 400 km/h; 
 Sem bainha: 4 km/h; 
Caso clínico 
Animal não se alimentava bem há dez dias e a noite 
apresenta sintomas de convulsões, vômito escuro, 
urina amarelada, com secreção ocular bilateral e 
presença de exsudato no olho direito, mas com as 
mucosas normacoradas, dificuldade respiratória. 
Seu escore corporal estava baixo com severa 
desidratação e apresentava dores à palpação. 
Diagnóstico: infecção persistente devido a uma doença 
desmielinizante multifocal progressiva, que no caso 
seria cinomose. 
Em alguns casos, nos quais as células de Schwann não 
forem mortas, pode ocorrer um remielinização. 
Tipos de neurônios 
Unipolares: uma saída, mas se liga a dois, neurônio 
sensorial (visão e paladar). 
Bipolares ou dipolares: duas saídas de polarização 
(interneurônios), conecta um neurônio sensitivo com o 
motor. 
Multipolar: neurônio da movimentação. 
 
Os neurônios podem ser classificados: 
Quanto a posição 
 Aferente ou sensorial: conduz o impulso 
nervoso do receptor para o SNC, leva 
informações da superfície do corpo para o 
interior, relaciona o meio externo com o meio 
interno, não recebe informações de outro 
neurônio. Os exteroreceptores estão presentes 
nos neurônios aferentes 
 Eferente ou motor: conduz o impulso nervoso 
do SNC ao efetuador (músculo ou glândula); 
 Internuncial ou de associação: faz a ligação dos 
neurônios aferentes e eferentes; 
 
 Arco reflexo: é uma resposta do sistema 
nervoso a um estímulo, invariável, involuntário 
e de importância fundamental para a postura e 
locomoção do animal e para examinar 
clinicamente o sistema nervoso; 
o Caminho: receptor, nervo sensorial, 
sinapse, nervo motor e órgão alvo ou 
efetuador; 
Células da glia 
Os neurônios não são as únicas células do sistema 
nervoso. As células da glia representam 90% do total 
de células do SNC e apenas 10% são neurônios. Não 
produzem potencial de ação. 
No Sistema Nervoso Periférico, as células de Schwann 
formam a maioria das células. 
 
Astrócitos: nutrição e metabolismo. Absorvem 
nutrientes e secretam metabólitos, ficam ligados aos 
vasos sanguíneos. Regulam a composição do líquido 
extracelular no SNC (removem os íons de K+ e os 
neurotransmissores liberados pelos neurônios. 
Formam a barreira ao redor dos capilares sanguíneos 
(barreira hematoencefálica) que evita a entrada de 
toxinas e outras substâncias no SNC. Sustentam 
metabolicamente os neurônios (fornecendo glicose e 
removendo amônia). Guiam os neurônios na 
embriogênese. Estimulam o crescimento neuronal. 
Células ependimárias: revestimento dos ventrículos 
cerebrais e do canal espinhal. 
Oligodendrólia ou oligodendrócito: síntese de mielina 
(SNC), substâncias tóxicas podem degradar essas 
células. 
Células de Schwann:

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.