A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
PROCESSO LEGISLATIVO | Direito Constitucional

Pré-visualização|Página 1 de 9

Aula 15
Processo Legislativo diz respeito ao conjunto de normas que disciplinam
a produção dos atos normati vos primários .
Atos normativos primários são aqueles que têm como fundamento
imediato de validade a Constituão.
Atos normativos s ecundários são aqueles que possuem como
fundamento atos normativ os primários .
Objeto (art. 59): compreende as Emendas à Constituição , Leis
Complementares , Leis Ordinárias , Leis Delegadas, Medidas Provisórias,
Decretos Legislativos e Resoluções (da Câmara, do Senado e do
Congresso Nacional).
Devido processo legislativo constitucional : trata-se de direito público
subjetivo dos parlamentares a que o pro cesso legisl ativo transcorra nos
exatos termos previstos no texto constitucional.
- Ameaça ou violação a esse direito enseja proposição de MS pelo
parlamentar legitimado. Trata-se da única possibilidade de controle
preventivo de constitucionalidade real izado pelo Poder J udiciário .
Normas de observ ância obrigatória : as normas do pr ocesso legislativo
são de observância obrigatória pelos Estados e Munipios.
1. Fases do processo legislativo
a) Iniciativa comum/geral/concorrente: é a regra geral, em que a
iniciativa é conferida a mais de um legitimado.
Ex: maria tributária; organização do MPU.
b) Iniciativa reservada/e xclusiva /privativa: prevalece o entendimento de
que não há distinção doutrinária ou na CF/88 entre esses termos.

Aula 15
- A iniciativa pr ivativa é exceção à regra geral, motivo pelo qual o rol é
taxativo, não admitindo interpretação analógica ou extensiva. Tamm
não é possível a criação de novas hipóteses pelo legislador.
Ex: marias orçamentárias.
* os l egitimados para iniciativa das leis ordinár ias e complementares
são os mesmos.
P. Exec.
P. Legisl.
P. Judic.
MP
Outros
LO/LC (art.
61)
Presidente
- Membro
- Comissão
- STF
- TS
PGR
Cidadão
(art. 61, §2º)
EC (art. 60,
I-III)
Presidente
- 1/3
mara
- 1/3
Senado
X
x
+50%
Assembleias
Legislativas
(maioria
relativa)
Par a o projeto de lei por iniciativa popular , a CF exige mais de 1% do
eleitorado nac ional, dividido em pelo menos 5 Esta dos, com não menos
de 3/10% dos eleit ores de cada um deles.
Alguns autores defendem ser posvel a proposta de emenda por
iniciativa popular , por aplicação anal ógica do art. 61, §2º. Contudo, a
doutrina majoritária entende não ser possível, pois a norma que trata
da iniciativa para EC é excepcional, devendo ser interpretada
restritivamente.

Aula 16
O STF entendeu ser possível a i niciativa popular em propostas de
emenda às Constituições Esta duais .
Atualmente, o S TF entende que o v ício de iniciativa é insanável, de
modo que se o presidente não tomar a iniciativa, lei proposta por
parlamentar usurpando a iniciativa privativa será inconstit ucional, ainda
que haja sanção posterior.
a) Discussão :
- CCJ : anál ise de compatibilidade form al e material do projeto de lei
com a CF.
- Comissão temática : comissões especializadas em determinados
assuntos.
- Plenário : Câmara dos Deputados e Senado Federal.
b) Votação :
- O quórum de votação diz respeito ao número de parlamentares que
devem estar presentes no momento da votação do projeto de lei
diferente do quórum de aprovação).
- Esse quórum é exatamente o mesmo para leis ordinárias e
complementares: maioria absoluta (metade dos membros que compõem
a Casa + 1).
Na Câmara dos Deputados existem 513 membros, e no Senado
Federal são 81 membros. Para que a votação de lei ordinária ou
complementar seja real izada, devem estar presentes, no mínimo, 257
membros da Câmara e 41 membros do Senado.
c) Aprovação :
Lei ordinária: o quórum de aprovão é maioria relativ a/simples,
variando conforme o número de presentes , em 1 turno de votação (art.
47; art. 65).