A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Processo Penal

Pré-visualização | Página 1 de 1

OBJETO DA PROVA
- São os fatos
O QUE DEVE SER PROVADO:
- imputação da peça acusatória: tem o dever de provar a veracidade da peça
- Costumes
- Fatos incontroversos: A acusação deve comprovar o que foi narrado, mesmo
que haja a confissão (ônus da prova cabe a acusação)
PROVAS X ELEMENTO DE INFORMAÇÃO
- Prova: elementos de convicção produzidos no curso do processo sob
apreciação do contraditório e da ampla defesa
- Elementos de informação: produzidas na fase da investigatória, logo, sem
ampla defesa e contraditório - Não pode formar sua decisão exclusivamente
com EI
PROVAS CAUTELARES, NÃO REPETÍVEIS E ANTECIPADA
- Provas cautelares: há risco de desaparecimento por decurso do tempo, nos
quais o contraditório será diferido
- antecipa-se a produção da prova, pois tem o risco de não conseguir
produzir futuramente.
- faz a produção da prova e deixa para exercer o contraditório depois
- interceptação telefônica
- contraditório não será feita no momento da produção da prova
● Não repetíveis: não poderá ser novamente coletada
- Contraditório diferido
- desaparece
- Ex: exame de corpo de delito
● Provas antecipadas: produzidas juntamente com a ampla defesa e o
contraditório, perante autoridade judicial, em momento processual distinto
daquele legalmente previsto - antecipa com contraditório e ampla defesa real
- às vezes antes do processo.
- antecipação de depoimento de pessoa doença terminal
● Prova Plena: permitem um juízo de certeza
- Não plena: prova circunstancial que pode levar à convicção do juiz,mas não
pode ser fundamento principal da decisão
● INDÍCIO:
- Prova indireta: 239 -
- Pode o magistrado condenar por indício? Sim, se houver mais de um indício
e se eles forem coesos (guardarem relação entre si)
- Semiplena: menor valor persuasivo - probabilidade de ser.
● FONTE DE PROVA:
- Pessoas ou coisas que conseguem as provas
- independe da existência do processo
● MEIO DE PROVA:
- Instrumentos através pelo qual insere-se os meios de prova no processo -
desenvolve perante ao juiz
- Meios de obtenção: procedimentos legais para conseguir provas
● Prova nominada: prevista por lei
- inominada: não está prevista por lei desde que lícita e moralmente legítima é
aceita
● Prova típica: procedimento para obtê-la é previsto pela lei
- Atípica: a prova está prevista no ordenamento jurídico, mas seu
procedimento para sua obtenção não está previsto.
● Prova anômala: fins diversos para aqueles que são próprios
- é produzida pelo modelo legal, mas o modelo utilizado/adequado para
aquele caso.
- utiliza-se o meios de uma prova A para conseguir a prova B
- Irritual: tem procedimento em lei, mas por falha não observa o procedimento
- Utiliza o procedimento, mas não observa o modelo, faz-se de maneira
diferente, logo, quebra-se o rito.
________________________________
Princípio in dubio pro reo - no momento da sentença: se o juiz no momento da
decisão ficar em dúvida sobre a sentença, se não tiver devidamente provado que o
réu possui culpa, deve-se então o juiz proferir a sentença em prol do réu (absorção)
in dubio pro societate: na dúvida decida-se em prol da sociedade - existe uma prova
importante, mas existe dúvida então dá-se a chance de provar que a prova é
verossímil.
________________________________
Prova ilícita: viola normas de direito material
- violação do momento de colheita da prova, externa ao processo
- interceptação sem autorização judicial
- consequência: exclusão dos autos
Ilegítima: normas de direito processual, modo de produzir a prova ocorre a violação
- Documentos sem ser juntados com 3 dias de antecedência
- produção dentro do processo
- viola
das normas de direito processual.
- Cabe o juiz declarar a prova nula (instituto na nulidade)
● Prova ilícita por derivação (frutos da árvore envenenada)
- sua aparência é lícita, mas por causa da sua origem é ilícita.
- Afetadas pela ilicitude originária
● Teoria da fonte independente:
- se o órgão demonstrar que obteve a prova autônoma, totalmente
independente, que não guarda relação com a ilicitude
- se a fonte originária a ilicitude não tivesse existido, ela iria obter a prova da
mesma forma
- mesmo que a prova venha de uma ilícita originária, esta prova surgiria no
processo inevitavelmente - descoberta inevitável
O art 157 fala de descoberta inevitável, não de fonte independente
fonte independente a prova vem da de uma fonte totalmente independente, logo,
não tem nexo com a prova ilícita.
● Teoria da tinta diluída:
mancha purgada
- um vício de ilicitude originário pode ser eliminado se, posteriormente, ocorrer
um novo fato independente praticado pelo acusado ou por um terceiro (presa
por provas ilícitas confessa)
●

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.