Buscar

Mapa Anatomia nutrição

Prévia do material em texto

MAPA – Material de Avaliação Prática da Aprendizagem 
 
Acadêmico: Bruna da Silva Martins R.A. 21188823-5 
Curso: Bacharelado em Nutrição 
 Disciplina: Anatomia Humana 
Valor da atividade: Prazo: 
 
Instruções para Realização da Atividade 
1. Todos os campos acima deverão ser devidamente preenchidos; 
2. É obrigatória a utilização deste formulário para a realização do MAPA; 
3. Esta é uma atividade individual. Caso identificado cópia de colegas, o trabalho de 
ambos sofrerá decréscimo de nota; 
4. Utilizando este formulário, realize sua atividade, salve em seu computador, renomeie 
e envie em forma de anexo; 
5. Formatação exigida para esta atividade: documento Word, Fonte Arial ou Times New 
Roman tamanho 12, Espaçamento entre linhas 1,5, texto justificado. Envio no formato 
PDF ou DOCX. 
6. Ao utilizar quaisquer materiais de pesquisa referencie conforme as normas da ABNT; 
7. Nos Comunicados do ambiente virtual da disciplina você encontrará orientações 
importantes para elaboração desta atividade. Confira! 
8. Critérios de avaliação: Utilização do template; Atendimento ao Tema; Constituição dos 
argumentos e organização das Ideias; Correção Gramatical e atendimento às normas 
ABNT mencionadas acima. 
9. Procure argumentar de forma clara e objetiva, de acordo com o conteúdo da disciplina. 
10. As escritas em vermelho podem ser apagadas, dando lugar as respostas do Mapa. 
 
 
Em caso de dúvidas, entre em contato com seu Professor Mediador. 
 
Bons estudos! 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
MAPA SUB - Anatomia Humana 
 
- PRIMEIRA ETAPA: As alterações na pigmentação da pele, também conhecidas como 
discromias, podem ter grande impacto na vida das pessoas. A cor da pele é estabelecida 
pelos tecidos que a compõem, pelo fluxo de sangue dos vasos localizados na derme e por 
pigmentos, tais como a melanina, entre outros. A melanina também age como um filtro para 
as radiações e neutraliza radicais livres, protegendo a pele de efeitos nocivos. As discromias 
resultantes da diminuição de melanina são denominadas leucodermias (Fig. 1) e as 
relacionadas ao aumento, são denominadas melanodermias (Fig. 2), que podem ser 
originadas por deposição de pigmentos ou substâncias de origem exógena ou endógena na 
derme. 
 
Figura 01: Leucodermia no antebraço 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte:https://tratamentoestetico.com.br/leucodermia-gutata/ 
 
Figura 02: Melanodermia na face 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: http://www.cosmetologas.com/noticias/val/1653-52/hiperpigmentaciones-tipos-ca usas-
diagn%C3%B3sticos-y-tratamientos.html 
 
 
Entre os tipos de leucodermias, destaca-se o vitiligo, uma doença que atinge cerca de 1% da 
população mundial, independente de etnia, sexo ou idade, em que em 1/3 dos casos há a 
ocorrência familiar e pelo menos metade dos casos surge antes dos 20 anos de idade. É 
 
 
considerada uma doença multifatorial e um dos aspectos incluem a autoimunidade. No vitiligo, 
manchas de tonalidade mais clara invadem subitamente a pele, seja ela branca, negra ou de 
qualquer outra cor. É uma doença que esteticamente pode comprometer a qualidade de vida, 
levando à estigmatização e distúrbios psíquicos. 
 
O início do acometimento por esse tipo de leucodermia é repentino e qualquer parte do corpo 
pode ser afetada. É comum aparecer manchas nas mãos, braços, pernas, ao redor dos olhos 
e ao redor da boca (Fig. 3). Os cabelos, sobrancelhas, cílios e barba também podem clarear. 
Não existe maneira de predizer a evolução da doença, assim como não há exame ou qualquer 
pista que indique se ela irá progredir, melhorar sozinha ou ficar estável. 
 
Figura 03: Manchas por vitiligo nas mãos, ao redor dos olhos e da boca 
 
Fonte: https://realderma.com.br/blog/2019/05/09/ha-tratamento-para-o-vitiligo/ 
 
Quando não há causa imunológica associada ao vitiligo, trata-se apenas a parte estética da 
doença. Quase todas as opções de tratamento buscam frear a evolução e estimular 
novamente a pigmentação da pele. Mas a tendência ao vitiligo persiste, mesmo em quem 
responde bem ao tratamento. É comum a pessoa passar por algumas opções de tratamento 
até encontrar aquele que se aplica melhor a ela. Um dos tratamentos estéticos é a 
micropigmentação (Fig. 4), um dos últimos recursos a ser utilizado para tentar camuflar as 
áreas acometidas. Essa técnica é um procedimento cirúrgico-estético, baseado na introdução 
de pigmentos não-alergênicos adequados para cada fototipo cutâneo. 
 
Figura 04: Atenuação das manchas por vitiligo nas extremidades dos dedos por 
micropigmentação 
 
Fonte:http://dermopigmentacaobeiramar.com.br/dermopigmentacao-paramedica/ 
 
 
 
 
 
Independente da forma de tratamento, o paciente não deve expor a pele acometida com 
vitiligo à luz solar, pois por estar desprovida de pigmento, se queima com facilidade, 
aumentando a predisposição ao câncer de pele. Ainda, ao tomar sol, o resto da pele fica 
bronzeada, intensificando o contraste com as manchas. Finalmente, queimaduras solares 
estimulam o aparecimento de novas lesões de vitiligo. Por tudo isso, além de fugir do sol, o 
paciente deve usar diariamente um fotoprotetor com alto fator de proteção solar em toda a 
pele. 
 
BARBOSA, Carmem Patricia. Anatomia Humana. Maringá: Unicesumar, 2019. 
http://dermopigmentacaobeiramar.com.br/dermopigmentacao-paramedica/ 
https://tratamentoestetico.com.br/leucodermia-gutata/ 
https://www.icosmetologia.com.br/post/cosmeticos-de-alta-cobertura-e-fixacao-no-
tratamento-do-vitiligo 
 
 
Com base no texto acima e no conteúdo da disciplina, responda: 
 
A) A pele é considerada o maior órgão do corpo humano, revestindo externamente a 
superfície do corpo, margeando seus orifícios e prolongando-se com as mucosas, dando 
proteção contra a desidratação e agentes nocivos. A cor da pele depende de alguns fatores 
como a quantidade de vasos sanguíneos, a cor do sangue circulante, a espessura da 
epiderme e a quantidade de pigmentos. Sobre a pigmentação da pele, faça uma descrição 
sobre os principais pigmentos que influenciam na coloração deste órgão. 
 
 
Melanina e Caroteno 
Melanina: é produzida pelos melanócitos de maneira, geneticamente, determinada. 
Embora o número de melanócitos seja quase o mesmo em todas as raças, a 
quantidade de melanina que eles produzem 
determina a cor que a pele apresentará (negros têm muita melanina e albinos não 
apresentam). É 
importante destacar que a melanina protege dos raios solares (e, 
consequentemente, da incidência de 
câncer de pele). Todavia um tipo específico de câncer, o melanoma maligno, pode 
acometer os mela- 
nócitos. Sua prevenção relaciona-se à menor exposição aos raios ultravioletas. A 
exposição da pele ao 
sol causa escurecimento porque a melanina já existente na pele sofre um processo 
de escurecimento 
e, concomitantemente, ocorre ativação da síntese de nova melanina a partir da 
liberação do hormônio 
estimulante de melanócitos (MSH), produzido pela glândula hipófise. 
Caroteno: influencia na coloração da pele, podendo fazer com que ela apresente 
uma 
http://dermopigmentacaobeiramar.com.br/dermopigmentacao-paramedica/
https://tratamentoestetico.com.br/leucodermia-gutata/
https://www.icosmetologia.com.br/post/cosmeticos-de-alta-cobertura-e-fixacao-no-tratamento-do-vitiligo
https://www.icosmetologia.com.br/post/cosmeticos-de-alta-cobertura-e-fixacao-no-tratamento-do-vitiligo
 
 
coloração amarelada. Este pigmento está presente em alimentos, como cenoura, 
abóbora e mamão. 
No entanto, é importante enfatizar que a pele amarelada pode surgir em decorrência 
de doenças que 
podem alterar a coloração normal da pele (como icterícia, hepatites etc.). 
 B) Os anexos da pele localizam-se na epiderme, na derme e até mesmo na tela subcutânea. 
Incluem as glândulas sudoríparas, as glândulas sebáceas, as mamas, os pelos e as 
unhas. Sobre os anexos da pele: 
 
I) Faça uma correlação da presença de acnes com as glândulassebáceas 
 
 
 
As glândulas sebáceas secretam sebo (constituído de gorduras) cuja função é 
lubrificar a pele e 
os pelos. Assim, o sebo diminui o ressecamento dos pelos e previne a evaporação 
excessiva da pele, 
mantendo-a macia e inibindo o crescimento bacteriano. Normalmente, elas ficam 
próximas aos folí- 
culos pilosos e não existem nas regiões palmares e plantares. Na adolescência, é 
comum, por influência 
hormonal, que as glândulas sebáceas sejam estimuladas e passem a produzir maior 
quantidade deste 
sebo. Tal fato, associado à queratinização anormal, à impactação do fluxo do sebo e 
ao crescimento 
bacteriano exacerbado, pode causar uma infecção dérmica ou hipodérmica 
conhecida como acne. 
 
 
. 
II) Descreva a constituição dos pelos. 
 
 
Os pelos apresentam duas partes: haste (acima da pele) e raiz (dentro do folículo piloso que 
fica 
dentro da derme e da tela subcutânea), os pelos são constituídos de células queratinizadas 
e incluem cabelos, supercílios, cílios, vibrissas (pelos do nariz), bigode, barba, hircos (pelos 
da axila) e 
púbios (pelos da região púbica). Pelos escuros apresentam medular, cortical (pigmentada) e 
cutícula; 
pelos brancos têm as mesmas camadas, mas a cortical é despigmentada; pelos loiros não 
têm medular 
 
 
C) De acordo com o texto, as discromias são alterações na pigmentação da pele. Diferencie, 
baseado nas figuras acima e no mesmo texto, os tipos de discromia. 
 
 
 
A Discromia se classifica em dois tipos: LEUCODERMIAS e MELANODERMIAS. 
LEUCODERMIAS: Diminuição de melanina na pigmentação da pele. 
MELANODERMIAS: Aumento de melanina na pigmentação da pele e que podem ser 
originadas por deposição de pigmentos ou substâncias de origem exógena ou endógena na 
derme. 
 
 
D) Após a leitura do capítulo “Tegumento comum” (BARBOSA, Carmem Patricia. Anatomia 
Humana. Maringá: Unicesumar, 2019. [Unidade 1]), identifique quais são as possíveis causas 
do vitiligo. 
 
 
O vitiligo é resultante da diminuição de melanina na pigmentação da pele. As 
manchas de tonalidade mais clara invadem subitamente a pele, seja ela branca, negra 
ou de qualquer outra cor, é comum aparecer manchas nas mãos, braços, pernas, ao 
redor dos olhos e ao redor da boca, os cabelos, sobrancelhas, cílios e barba também 
podem clarear. 
 
 
E) A micropigmentação é uma das técnicas de tratamentos estéticos para alguns casos de 
vitiligo. Baseado no texto acima, descreva essa técnica. 
 
 
 
É um recurso utilizado para tentar camuflar as áreas acometidas pelo vitiligo, é um 
procedimento cirúrgico-estético, baseado na introdução de pigmentos não-
alergênicos adequados para cada fototipo cutâneo. 
 
 
F) Baseado no livro da disciplina, explique porque a exposição da pele ao sol causa 
escurecimento. 
 
 
Devido a pele do paciente estar desprovida de pigmento, se queima com facilidade, 
aumentando a predisposição ao câncer de pele. Ainda, ao tomar sol, o resto da pele 
fica bronzeada, intensificando o contraste com as manchas. Finalmente, queimaduras 
solares estimulam o aparecimento de novas lesões de vitiligo. Por tudo isso, além de 
fugir do sol, o paciente deve usar diariamente um fotoprotetor com alto fator de 
proteção solar em toda a pele. 
 
 
 
 
- SEGUNDA ETAPA: 
 
 
Cerca de 10% das doenças de pele são causadas por alterações nas unhas, que 
podem ocorrer da mesma forma em homens e mulheres. As onicopatias são alterações nas 
unhas, causadas ou agravadas por agentes biológicos, químicos e/ou físicos presentes no 
ambiente. O comprometimento ungueal é extraordinariamente diversificado e apresenta 
extensa gama de alterações, que ocorrem na superfície, extensão, espessura, consistência, 
aderência, cor e forma das lâminas que compõem a unha. 
Fungos, leveduras, bactérias e vírus são os principais agentes biológicos que comprometem 
a lâmina ungueal. A onicomicose, principal patologia de origem biológica (Fig. 5) é uma 
infecção fúngica das unhas que provoca a descoloração, espessamento e separação do leito 
ungueal. A taxa de prevalência é determinada pela idade, imunocomprometimento, histórico 
familiar, dentre outros. Ocorre em cerca de 10 a 12% da população em geral, 20% 
em pessoas com mais de 60 anos e 50% naqueles com mais de 70 anos. 
 
Figura 5: Onicomicose dos hálux 
 
Fonte: https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/dist%C3%BArbios-
dermatol%C3%B3gicos/doen%C3%A7as-das-unhas/onicomicose 
 
As leveduras também podem ocasionar onicomicoses, principalmente nas mãos, sendo a 
Candida albicans a levedura mais comum. Esta espécie pode provocar paroníquias (Fig. 6), 
distrofias ungueais (Fig. 7) e onicólises (Fig. 8). 
 
Figura 6: Paroníquia crônica com edema de prega ungueal proximal e perda da cutícula 
 
 
 
Fonte: https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/dist%C3%BArbios-
dermatol%C3%B3gicos/doen%C3%A7as-das-unhas/paron%C3%ADquia-cr%C3%B4nica 
 
Figura 7: Exemplo de distrofia ungueal - Psoríase ungueal com corrosão e pigmentação 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/dist%C3%BArbios-
dermatol%C3%B3gicos/doen%C3%A7as-das-unhas/deformidades-e-distrofias-ungueais 
 
Figura 8: Onicólise resultante de psoríase no leito ungueal 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte:https://www.msdmanuals.com/ptpt/profissional/SearchResults?query=onic%C3%B3lise 
 
Já as bactérias causadoras de infecções mais frequentes na região ungueal são 
estafilococos, estreptococos, bacilos e pseudomonas (síndrome da unha verde - Fig. 9). Elas 
podem acometer a lâmina ungueal já comprometida por outros agentes, agravando as 
lesões. Em relação aos vírus, os mais comuns são os Papovavírus (que provocam as 
verrugas) e herpes simples (HSV1 e HSV2). 
 
Figura 9: Figura 9: Síndrome da unha verde 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte:https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/SearchResults?query=onic%C3%B3lise 
 
O manejo de substâncias químicas, como ácidos, álcalis, solventes, resinas e outras 
substâncias, potencialmente irritantes ou sensibilizantes, também podem atingir as lâminas 
ungueais ocasionando danos transitórios e até irreversíveis. Na área ocupacional, os agentes 
físicos são os maiores responsáveis por onicopatias. Traumatismo (Fig. 10), atrito, pressão, 
calor, frio, umidade, radiações ionizantes, microondas e vibrações são fatores importantes no 
comprometimento da pele e de seus anexos. 
 
 
 
Figura 10: Hematoma subungueal resultante de traumatismo 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/les%C3%B5es-
intoxica%C3%A7%C3%A3o/fraturas/fraturas-na-ponta-
dosquirod%C3%A1ctilos?query=unha%20afetada 
 
BARBOSA, Carmem Patricia. Anatomia Humana. Maringá: Unicesumar, 2019. 
https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/dist%C3%BArbios-dermatol%C3%B3gicos/doen%C3%A7as-
das-unhas/onicomicose 
https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/SearchResults?query=onic%C3%B3lise 
http://blog.senaec.com.br/podologia-inteligente/podologia/doenca-de-unha-conheca-os-10-tipos-mais-comuns/ 
 
G) No tópico “Anexos da pele” (BARBOSA, Carmem Patricia. Anatomia Humana. Maringá: 
Unicesumar, 2019 [Unidade 1]), é possível identificar algumas estruturas que pertencem ao 
aparelho ungueal (unhas). Desta forma, identifique as estruturas pertencentes às unhas e 
descreva-as. 
https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/SearchResults?query=onic%C3%B3lise
 
 
 
 
 
Lâmina ungueal: é a parte que vemos da unha e estende-se desde a matriz até a 
margem livre da unha 
Leito ungueal: tonalidade rosada do leito da unha (local bastante vascularizado e 
inervado onde a unha repousa 
Margem livre da unha: é o crescimento livre da unha além da ponta do dedo. 
 
 
H) A unha é uma lâmina córnea que se superpõe à face dorsal das falanges distais e tem 
como função auxiliar na manipulação de pequenos objetos, proteger as extremidades digitais 
contra microrganismose sujeiras, além de sua função cosmética. Devido às suas funções 
que levam ao seu desgaste, a unha cresce durante toda a vida (cerca de 1mm / semana). 
Explique como ocorre o crescimento das unhas. 
 
 
 
As células epiteliais da raiz se 
proliferam e sofrem queratinização, formando a placa córnea constituída de células 
mortas. 
 
 
I) Com base no texto acima e nas figuras apresentadas, identifique a principal patologia que 
acomete as unhas, os principais danos causados às mesmas e a taxa de prevalência desta 
infestação na população. 
 
 
 
A onicomicose, principal patologia de origem biológica é uma infecção fúngica das 
unhas que provoca a descoloração, espessamento e separação do leito ungueal. A 
taxa de prevalência é determinada pela idade, imunocomprometimento, histórico 
familiar, dentre outros.

Outros materiais