Buscar

Recuperação Areas Degradadas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

SISTEMA FAESA DE EDUCAÇÃO 
 
PLANO DE ENSINO 
 
 
 
1. IDENTIFICAÇÃO 
 
INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS ESPÍRITO-SANTENSES 
CURSO: Engenharia Ambiental ANO/SEMESTRE: 2019/2 
DISCIPLINA: 
 
Recuperação de Áreas Degradadas CARGA HORÁRIA: 80 H/A 
2. EMENTA 
Conceitos básicos de áreas degradadas e da recuperação destas áreas. Atividades passíveis de degradação 
ambiental (setores industriais, extrativistas e agroindustriais). Diagnóstico e recuperação de ambientes no 
mundo, Brasil e no estado do Espírito Santo. Degradação e recuperação no solo, água e vegetação. Controle 
e conservação de solo, água e vegetação. Remediação e mitigação de degradação de ambientes aquáticos, 
atmosféricos e dos solos. Elaboração e execução de Plano de Recuperação de Áreas Degradadas – PRAD. 
Medidas de prevenção, controle, contenção e remediação de óleo no mar e regiões costeiras. Elaboração e 
execução de Plano de Emergência Individual - PEI. Legislação e normas nacionais e internacionais sobre 
recuperação de áreas degradadas. Estudos de caso. Visitas técnicas. 
 
3. OBJETIVOS GERAIS 
Conhecer e analisar os conceitos básicos de áreas degradadas, suas aplicações práticas de recuperação de 
áreas degradas junto às interfaces dos demais instrumentos científicos e legais de Política Ambiental. 
 
4. CONTEÚDOS 
 
1. Degradação ambiental 
1.1. Conceitos e objetivos de estudo 
1.2. Atividades impactantes ao meio ambiente 
1.3. Degradação de áreas decorrentes de atividades impactantes 
2. Estudo dos solos 
2.1. Propriedades e funções dos solos 
2.2. Processos e mecanismos da degradação 
2.3. Erosão dos solos e movimentos de massa 
2.4. Controle e conservação do solo e ambiente 
3. Diagnóstico e recuperação de ambientes no mundo, Brasil e no estado do Espírito Santo. 
4. Características e importância da vegetação ciliar 
5. Recuperação de áreas degradadas 
5.1. Utilização de técnicas de recuperação 
5.2. Revegetação de áreas degradadas 
5.3. Plantas utilizadas na recuperação de áreas degradadas 
5.4. Monitoramento 
6. Elaboração e execução de Plano de Recuperação de Áreas Degradadas – PRAD. 
7. Legislação e normas 
8. Degradação ambiental por atividades de mineração. 
8.1 Planejamento 
8.2. Técnicas de recuperação 
8.3. Monitoramento ambiental 
9. Degradação ambiental de áreas litorâneas 
9.1. Processos envolvidos e impactos ambientais 
9.2. Medidas de prevenção, controle, contenção e remediação de óleo no mar e regiões costeiras. 
 
 
 
9.3. Plano de Contenção de Emergência Individual – PEI 
10. Estudo de caso 
 
5. AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM 
 
Será aprovado o aluno que obtiver: 
• Frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) das aulas e demais atividades 
acadêmicas das disciplinas presenciais e semipresenciais; e 
• Média Parcial igual ou superior a 7,0 (sete), com dispensa da Avaliação Final; ou 
• Média Final igual ou superior a 5,0 (cinco), resultante da média ponderada entre a Média Parcial, com 
peso 6 (seis), e a nota da Avaliação Final com peso 4 (quatro). MF = (0.6 X MP) + (0,4 X AF) 
 
 
O sistema de avaliação será composto de fases (C1, C2 e C3) através de conjunto de atividades: 
 
MP = (C1 + C2 + C3): 3 
C1 = exercícios, trabalho e prova 
C2 = exercícios, trabalho e prova 
C3 = trabalho e prova 
 
 
6. BIBLIOGRAFIA BÁSICA 
 
BRAGA, Benedito; et al. Introdução à engenharia ambiental. Prentice Hall: São Paulo, 2002. 
 
ODUM, Eugene Pleasants. Ecologia. Rio de janeiro: Ed. Guanabara, 2013. 
 
ARAÚJO, Gustavo Henrique de Souza; ALMEIDA, Josimar Ribeiro de; GUERRA, Antônio José Teixeira. 
Gestão Ambiental de Áreas Degradadas. 8 ed. Rio de Janeiro, RJ: Bertrand Brasil, 2012. 
 
DIAS, Luiz Eduardo, MELLO, Jaime Wilson Vargas. Recuperação de áreas degradadas. Viçosa : UFV, 1998. 
251p. 
 
 
7. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR 
 
ALMEIDA, Josimar Ribeiro de. Ciências ambientais. Rio de Janeiro: Thex, 2002. 
BERTONI, José. & LOMBARDI NETO, Francisco. Conservação do solo. 8 ed. Ícone, 2012. 
BRAJA M. DAS. Fundamentos de engenharia geotécnica. 3. São Paulo Cengage Learning, 2015. recurso 
online 
DAIBERT, João Dalton. Análise dos solos formação, classificação e conservação do meio ambiente. São 
Paulo Erica, 2014. recurso online 
EVANGELOU, V.P. Environmental soil and water chemistry : principles and applications. New york: John 
Wiley & Sons, 1998. 562p. 
FELLENBERG, Gunter. Introdução aos problemas da poluição ambiental. São Paulo: EPU, 2011. 
GUREVITCH, Jessica. Ecologia vegetal. 2. Porto Alegre ArtMed 2015 1 recurso online 
RAIJ, Bernardo Van. Fertilidade do solo e adubação. São Paulo : Agronômica Ceres, 1991. 343 p. 
PRIMAVESI, Ana. Manejo ecológico do solo: a agricultura em regiões tropicais. 1. ed. São Paulo: Nobel, 2009. 
549 p. 
PIRES, Fábio Ribeiro; SOUZA, Caetano Marciano de. Práticas mecânicas de conservação do solo e da 
água. Viçosa: UFV, 2003. 176 p. 
RESENDE, Mauro. Pedologia: base para distinção de ambientes. 5. ed. rev. Lavras: UFLA, 2009. 322 p. 
SANTOS, Palloma Ribeiro Cuba dos. Análise dos solos. São Paulo Erica, 2014. recurso online 
SCHETTINO, Luiz Fernando; GONÇALVES, Fábio Corrêa. Florestas e reflorestamento : informações básicas 
ao meio rural. Vitória: Santonio, 2002.

Outros materiais