A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Climatério e Menopausa

Pré-visualização | Página 1 de 1

Temos 3 fatores que se relacionam com a menopausa
 -se relaciona com a menopausa materna; 
 -se é fumante (1 a 2 anos antes)
 -ciclos <21 dias (pode menopausar até 1-4 anos
Maryanne Adriano
G0- ClimatérioG0- Climatério
Conceito
climatério pré menopausa: dos 40-50 anos
perimenopausa: tá dentro da pré mas é o período
que circunda a menopausa em si, irregularidade
menstruais e sintomas bem mais agressivos (do
início das monidificações até a menopausa). dura
12-24 meses
menopausa: 50 anos. e pode ser precoce (se ocorrer
antes dos 40 anos) e tardia (se ocorrer com idade
maior aos 55 anos)
climatério pós menopausa
senectude: maiores de 65 anos
O climatério é o período de transição da fase reprodutiva
para não reprodutiva (final da menacme até a
senectude). O climatério se dá pelas alterações da
produção de hormônios. É a falência da gônada ovariana,
de forma fisiológica. 
 O climatério se inicia nos 40 e vai até os 65 anos, sendo
dividido em etapas: 
Fatores de Risco
Fisiopatologia
esteroidogênese normal
Sob ação do LH as células da teca convertem o colesterol
em androgênios, principalmente androstenediona e
testosterona, estes androgênios difundem-se para as
células da granulosa onde, por ação do FSH são
convertidos em estrogênios, principalmente estradiol. Os
androgênios que caem na circulação, podem ser
convertidos perifericamente em estrona
estradiol também pode tá normal
A pulsatilidade alterada do GNRH, com poucos folículos e
envelhecimento levam a má resposta hormonal->fase
folicular com irregularidade até que o crescimento folicular
não mais ocorra. Essa au,ento do FSH causa apoptose
celular (inicialmente ela se liga a receptores da granulosa e
estimula a aromatase)- alta conversão em estradiol-
hiperestrogenismo
Portanto:
na primeira fase do climatério (fase pré menopausa): fase
caracterizada por uma insuficiência do corpo lúteo (visto
que a queda da inibina, aumento do FSH, FSH recrutando
folículos já envelhecidos que não respondem bem), não
tem ovulação, consequentemente não tem a segunda fase
do ciclo, portanto, não tem progesterona (essa queda da
progesterona então, se dá pela queda da inibina). 
Já na segunda fase (perimenopausa em si): ocorre por
insuficiência da teca, ocorre queda do estradiol e com essa
queda, ocorre todos os sinais e sintomas físicos e psíquicos
Os sintomas vasomotores (continua até a menopausa e
vem associado a sintomas psicológicos) e distúrbios
menstruais são precoces, entre 40-45 anos já começa a
aparecer. Depois da menopausa terá atrofia urogenital e
também osteoporose e doenças cardiovasculares. 
 
 
Maryanne Adriano
G0- ClimatérioG0- Climatério
Sintomas gerais
Instabilidade emocional (depressão e ansiedade):
ocorre pelas alterações da adrenalina, nora, opioide,
GABA e serotonina;
Afinamento da derme e da epiderme: pela queda da
estradiol, haverá diminuição da proodução de
colágeno levando ao aumento das rugas e quebra do
tônus, deixando também o cabelo mais fino e levando
até mesmo a calvice. 
Pode ocorrer após a menopausa um aumento da
incidência a doenças cardiovasculares (aumento do
risco de infarto) 
sintomas vasomotores
síndrome de atrofia urogenital 
osteoporose
Sabemos que o estradiol é a base de tudo e, quando ele
cai, terá repercussão em todos os sistemas. Como
sintomas gerais teremos:
ATENÇÃO: temos 3 causas que faz com que seja iniciada a
terapia hormonal:
1.
2.
3.
Sintomas vasomotores
Acontece entre 68 a 85% das mulheres; 
Maior tendência entre mulheres magras (pq não tem
tecido adiposo suficiente para converter androgênio
perifericamente em estrogênio) e fumantes (pq tendem a
menopausar 2 anos antes da idade habitual) 
Isso acontece por conta da instabilidade do centro
regulador do hipotálamo: a pulsos alterados do GnRH, LH
e FSH e papel relevante da serotonina , portanto, além de
ter pulsos gerando alterações térmicas do hipotálamo, a
serotonina do mesmo jeito que cai na fase luteínica, cai
aqui também. Fazendo então com que haja muito calor
As oscilações de estrogênio nos níveis de estrogênio
provocam maior sensibilidade do receptor de serotonina no
hipotálamo, podendo responder por variações térmicas 
Portanto, há o aparecimento dos fogachos :
onda de calor-> levando ao enrubecimento de tórax,
pescoço e face (paciente fica muito vermelha)- leva então
a sudorese profundo. 
Esses momentos de fogacho duram cerca de 1 a 5 minutos 
todavia, podem ocorrer até 30 episódios durante o dia,
levando então a uma insônia climatérica (por aparecer mais
no horário noturno). 
Sindrome genitourinária da menopausa
O epitélio do sistema urinário junto a musculatura do
assoalho pélvico e fáscia endopélvica sofrem repercussões,
pode haver um relaxamento, levando em muitas pacientes
nessa faixa etária, ao aparecimento de dispepsia. 
Há redução das secreções vaginais, aumento do PH para
>5, ressecamento, dispareunia, disúria, urgência
miccional, incontinência urinária e ITU de repetição 
a principal causa de sangramento na mulher pós
menopausada é atrofia vaginal! 
Temos o índice de maturação de Frost: é o índice que
mostra a celularidade, visto que quando estamos na
menopausa, as células superficiais diminuem de forma
acentuada, como também há diminuição de células
intermediárias, tendo então uma ascensão das células
basais. Portanto, o índice de maturação de Frost mostra
como estão essas células, ele serve para diagnóstico e
para acompanhamento durante tratamento da vaginite
atrófica. 
Osteoporose 
O estrogênio mantem o equilíbrio entre osteoclastos e
osteoblastos, inibindo o remodelamento ósseo. 
O pico de massa óssea entre 20-30 anos. Dessa idade em
diante, a depender dos fatores de risco, dos genéticos e
não genéticos, pode começar a haver remodelamento
ósseo e ter aumento dos osteoclastos, desencadeando
essa remodelação. 
Pode ser assintomática mas, na maioria das vezes, vem
acompanhada de dor, redução da estatura por conta do
achatamento dos corpos vertebrais e pode ser acometida
por fratura de baixo impacto. 
cessar tabagismo
exposição ao sol para produção de vit D
Abolir cafe e álcool
tratamento farmacológico preventivo 
manter dieta equilibrada
realizar exercícios físicos
Prevenção da osteoporose:
Mudança do estilo de vida;
Tratamento individualizado visto que precisa tratar sua
causa causa base;
Terapia de reposição hormonal por muito tempo;
Se quiser engravidar, necessita fazer fertilização
assistida, aumentando um pouco suas chances de
engravidar. 
Maryanne Adriano
G0- ClimatérioG0- Climatério
Condutas climatéricas
para surgimento da osteoporose
Tratamento da osteoporose
Em pacientes com risco alto para fraturar, deve-se iniciar: 
estrogênio, bifosfonatos (muito utilizados), raloxifeno
(ativa os receptores de estrogênio nos ossos, são
moduladores efetivos na osteoporose), calcitonina nasal. 
Menopausa Precoce
Pacientes que entram em menopausa antes de seus 40
anos. 
Possui quadro clínico e laboratorial de hipergonadismo
hipergonadotrófico, se instalando antes dos 40 anos. 
Semore há história familiar precoce. 
Tem como possíveis etiologias:
-síndrome de Turner
-monaicismo
-afastar dispepsia gonodal
-quimioterapia
-infecções, viroses
-lupus
tereoidite
-doenças graves
-artrite reumatoide
-síndrome dos ovários resistentes
solicitar exames de acordo com o quadro suspeito, precisa
eliminar outras possíveis etiologias para se pensar em
menopausa precoce
Tratamento da menopausa precoce
Avaliação do climatério
Pacientes climatéricas pré menopáusica com
irregularidade menstrual deve ter seu endométrio
investigado 
Praticar exercícios
Cuidar da alimentação: evitar gorduras
Rejuvenescimento íntimo 
Maryanne Adriano
G0- ClimatérioG0- Climatério

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.