A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Climatério e Atenção Integral à Saúde da Mulher Climatérica

Pré-visualização | Página 1 de 1

Climatério e Atenção Integral à Saúde da Mulher Climatérica 1
Climatério e Atenção Integral à 
Saúde da Mulher Climatérica
Efeitos do Estrogênio
Diminuição do Estrogênio: afeta o cérebro (hábitos/gestos), efeito vasomotor, pele, 
ossos, olhos, dentes/voz, distribuição de gordura, trato urogenital, mamas, colón, 
sistema cardiovascular, entre outros.
Sintomas na pós-menopausa: sintomas vasomotores (nervosismo; 
irritabilidade; insônia; depressão; diminuição da libido; problemas cardiovasculares; 
palpitações e fogachos), distúrbios urinários (ardor ao urinar e urgência 
urinaria), distúrbios genitais (vaginite atrófica; secura vaginal e infecções 
vaginais) e sintomas generalizados (enfraquecimento e queda do cabelo; 
afinamento da pele; ressecamento; aumento do risco de osteoporose com maior 
propensão a fraturas; atrofia das glândulas mamárias (lipossubstituição).
Climatério
Climatério: período de transição da etapa reprodutiva para não reprodutiva, se 
relaciona a deficiência do hormônio estrogênio (diminui no período climatérico). É 
dividido em 3 fases: perimenopausa, menopausa e pós-menopausa.
Perimenopausa: inicia aproximadamente aos 45 anos; é o período anterior a 
parada definitiva da menstruação (que já se apresenta irregular); fase em que os 
sintomas surgem.
Menopausa: ocorre por volta dos 51 anos de idade; ausência de menstruação 
por um período de 12 meses consecutivos (1 ano), em função da perda da 
atividade ovariana. Antes dos 40 anos = menopausa precoce.
Pós-menopausa: acontece depois da parada menstrual definitiva e seguirá pelo 
resto da vida da mulher; a consequência da queda da produção de estrógeno na 
pós-menopausa causa redução da secreção vaginal, provocando secura, 
irritação, prurido e dor nas relações sexuais.
Climatério e Atenção Integral à Saúde da Mulher Climatérica 2
Todas as mulheres passam pelo climatério, assim como passaram pela 
adolescência, o que varia é a intensidade dos sintomas.
Sintomas
Os principais sintomas são: ondas de calor (fogachos) principalmente no colo e no 
rosto; suor noturno; secura vaginal; diminuição da libido; variação de humor; 
intolerância; ansiedade; depressão; problemas sexuais; dispareunia; diminuição 
na satisfação sexual = os sintomas podem ter início antes mesmo da menopausa em 
certas pacientes e são variáveis. 
Rede de sintomas: ondas de calor = interrupção do sono = fadiga = mau humor = 
efeitos negativos na sexualidade.
Outros sintomas que podem estar presentes: risco de osteoporose e doenças 
cardiovasculares.
Doenças do coração: a doença coronariana que pode levar ao infarto é a 
principal causa de morte entre as mulheres climatéricas.
Osteoporose: o estrogênio diminui a taxa de perda óssea que todas as pessoas 
possuem, com a diminuição dos níveis de estrogênio ocorre mais perda 
óssea.
🚩 Observações: 
É importante fazer a hidratação vaginal de pacientes climatéricas antes da 
realização do preventivo (início = 1 mês antes da coleta do exame). Desidratação = 
risco de falso positivo.
A atividade física alivia os sintomas do climatério. A diminuição da libido é mais 
difícil de tratar, mas existem alternativas fitoterápicas (o uso de testosterona não é 
recomendado = efeitos adversos). 
As mulheres devem procurar seu ginecologista para serem orientadas neste período 
e realizar os exames necessários, procurando evitar problemas que possam ser 
evitados.
Tratamento
Climatério e Atenção Integral à Saúde da Mulher Climatérica 3
Sintomas leves
Sintomas leves = apenas medidas de auto cuidado.
✅ Recomendar: uso de roupas leves e folgadas, para maior conforto durante as 
ondas de calor; ingestão abundante de água; prática de técnicas de relaxamento 
para controle do estresse; uso de lubrificante vaginal solúvel em água; vida sexual 
ativa = a fim de manter o tônus da musculatura pélvica e a lubrificação vaginal; 
exercícios físicos regulares = a fim de preservar os ossos fortes e evitar o estresse; 
alimentação saudável com consumo de vegetais verdes e derivados de leite ricos em 
cálcio; controle de peso; procura de uma atividade prazerosa = manutenção da 
mente saudável.
Terapia de Reposição Hormonal (TRH)
Reposição hormonal: a mulher para manter a saúde física e emocional necessita 
repor aqueles hormônios que deixou de produzir e que lhe garantem saúde e 
vitalidade. É importante considerar a idade e historia clínica da paciente, os 
fatores de risco e as contraindicações = nem todas as pacientes podem usar a TRH! 
As contraindicações devem ser discutidas com o médico (o tempo máximo de 
tratamento é 7 anos).
Indicações: sintomas de climatérios, risco ou diagnóstico de osteoporose, risco 
cardiovascular e menopausa precoce (mulheres mais jovens sem contraindicações).
✅ Benefícios: redução de calor, suores, depressão e mudanças de humor, melhoras 
no desejo sexual, diminuição das desordens genitais (secura e prurido vaginal), 
diminuição da secura e do enrugamento da pele, diminuição da perda óssea, 
prevenção da osteoporose, redução dos distúrbios urinários como a urgência a 
incontinência urinária.
❌ Contraindicações: 
Absolutas: neoplasias malignas de mama e endométrio, tromboembolismo 
agudo, sangramento vaginal indeterminado, doenças hepáticas ativas e graves, 
porfiria. 
Relativas: tromboembolismo prévio, doença coronariana, HAS, diabetes mellitus, 
mioma uterino e endometriose, doença da vesícula biliar, LES, melanoma, 
antecedentes de CA mama e endométrio.
TH no climatério
Climatério e Atenção Integral à Saúde da Mulher Climatérica 4
Esquemas de Tratamento:
TRE (estrogênio puro): atualmente somente 
pacientes sem útero (pacientes com útero = 
progesterona).
Estrogênio sequencial: pacientes com útero, 1-19 
= estrogênio; 19-28 = progesterona, ocorre 
sangramento de deprivação em 80-90% das 
pacientes.
Contínuo: estrogênio e progesterona 1-30 dias; 
40-60% de sangramento uterino nos primeiros 6 
meses; 20% sangramento de escape após 1 ano.
🚩 Principal causa de sangramento em mulheres climatéricas = atrofia 
endometrial.
Pacientes com sangramento transvaginal sem TRH = ultrassom para verificar 
espessura do endométrio (muito fino <1-2mm ou muito espesso >4-5mm) e 
biópsia para afastar CA endométrio.
Pacientes com TRH: espessura do endométrio <8mm (se for maior = CA).
O tratamento do climatério não é obrigatório, mas sim uma opção. Existem mulheres 
que não devem ser tratadas, como aquelas que estão em tratamento para CA mama 
ou de endométrio, de trombose ou de doenças hepáticas graves. 
O tratamento hormonal é o mais antigo, mais divulgado e mais eficiente, porém não é o 
único. Existem medicamentos eficientes para prevenir a perda óssea 
(osteoporose), a secura vaginal e a variação do humor, mas que não são tão 
eficientes no que diz respeito aos fogachos, aos suores noturnos e à diminuição 
da libido.
Climatério e Atenção Integral à Saúde da Mulher Climatérica 5
O TH não engorda, uma vez que não aumenta a gordura. O hormônio promove a 
retenção de líquido = aumento de peso de aproximadamente 1kg quando se inicia o 
tratamento. 
Exames de Rotina
Avaliar: anamnese + exame físico; hemograma; lipidograma; CO = preventivo; 
mamografia; glicemia de jejum; sangue oculto das fezes (anual a partir dos 50 
anos); densitometria óssea (65 anos); ultrassom transvaginal = em casos de 
sangramento. Em pacientes sem útero = FSH.
Reflexões
Cabe ao médico ajudar a paciente a lidar com as questões emocionais que o climatério 
pode trazer, além das alterações físicas: possibilidade de olhar para trás; a 
menopausa pode significar perdas; transformações do corpo; afeta a auto 
estima, impossibilita a procriação; se manifesta por sinais e sintomas; suscita 
repensar a sexualidade; pode influenciar na saúde mental.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.