A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Sofrimento fetal

Pré-visualização | Página 1 de 1

Sofrimento fetal
● CRÔNICO: Progressiva diminuição de 02
+ durante o pré natal (alto risco)
Alterações no doppler, oligodramnia
● AGUDO: Súbita diminuição de 02
Mais durante o trabalho de parto
Alterações no BCF
CRÔNICO:
- CIUR crescimento intrauterino restrito:
1º passo: IG correta (USG de 1º trimestre).
Fundo uterino concorda com a IG entre 18 e 30 sem.
ex: 20 sem, FU +/- 20 cm.
FU 3 cm abaixo do esperado: CIUR ou Oligodramnia > USG.
USG: ILA < 5CM OU BOLSÃO < 2CM = OLIGODRAMNIA
ILA: normal: 8-18 // reduzido: 5-8// oligo: 5-3.
Peso inferior ao percentil 10 para a IG: CIUR
INDICADOR MAIS SENSÍVEL PARA CIUR: Circunferência abdominal
CIUR SIMÉTRICO: 5 a 10% dos casos, normalmente relacionado a alguma
alteração no início da gravidez. EX: Trissomias, drogas e infecções no 1º
trimestre.
CIUR ASSIMÉTRICO: 80% DOS CASOS. Alteração ao longo da gestação
(2º-3º trimestre). EX: insuficiência placentária (HAS, DM…)
MISTO: Raro, associação de ambos. Assimétrico precoce.
- Doppler:
A.Uterina: Circulação materna
Presença de Incisura bilateral > 26 sem. = CIUR? // Pré eclâmpsia ?
A. Umbilical: Circulação placentária
Normal: queda progressiva de resistência (aumenta o fluxo)
Alterada: Aumento da resistência, diástole 0 ou reversa (PARTO,
RISCO DE ÓBITO FETAL).
A.cerebral média: Circulação Fetal
Normal: Vaso de alta resistência
Avaliar centralização (quando o feto prioriza a circulação para órgãos
nobres; cérebro, coração e supra renal)
Centralização: S/D umbilical / S/D cerebral >= 1 OU índice de pulsatilidade > 1 .
AGUDO:
- Movimentação: +/- pelo menos 5x em 1hr.
A diminuição pode ser por: Sono, drogas, hipóxia?
- Microanálise sangue: Sangue do couro cabeludo. Pouco utilizado
Analisa o pH < 7,2 = hipóxia.
- Ausculta cardíaca:
Intermitente:
BAIXO RISCO: 30/30 MIN NA DILATAÇÃO
15/15 MIN NO EXPULSIVO
ALTO RISCO: 15/15MIN NA DILATAÇÃO
5/5 MIN NO EXPULSIVO
CARDIOTOCOGRAFIA NO ALTO RISCO.
Cardiotocografia:
BCF X CONTRAÇÃO X MOV. FETAL
-NÃO É ROTINA EM BAIXO RISCO-
- Linha de base: BCF médio em 10 min. TAQUI > 160// BRADI <110.
- Variabilidade: Diferença do maior pro menor BCF. Aumentada > 25//
Moderada: 6-25// mínima < 5. IDEAL É A MODERADA.
- Acelerações: Aumento de pelo menos 15 bpm durante 15 seg.
REATIVO: 2X/ 20 MIN
- Desaceleração: Queda transitória que volta para a linha de base.
DIP1: Coincide com a contração. NÃO É SF AGUDO.
DIP2: Desaceleração após a contração = SF AGUDO.
Conduta: Decúbito lateral esquerdo, suspender oxitocina, corrigir PA,
se não melhorar = PARTO VIA MAIS RÁPIDA.
DIP3: Variável em relação a contração. Compressão do cordão. NÃO
É SF AGUDO.
* Se a recuperação para a linha de base for lenta, ou sem retorno para
a linha ou bifásica (em W) = Desfavorável = Hipóxia
Classificação/laudo:
- Categoria 1: Variabilidade normal, sem DIP 2 ou 3, aceleração presente/
ausente. BCF entre 110 - 160.
- Categoria 2 : Entre 1 e 3.
- Categoria 3: Sem variabilidade, DIP 2 ou 3 recorrente ou Bradicardia
sustentada.
Perfil biofísico fetal:
- CTG + 4 parâmetros da USG (ILA, MOV. FETAL, MOV. RESPIRATÓRIO
FETAL. TÔNUS FETAL).
O primeiro a alterar é a cardiotocografia.
O último é o ILA.> parametro cronico.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.