A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
LITERATURA BRASILEIRA POÉTICA AS_III

Pré-visualização|Página 1 de 1



PERGUNTA 1


A expressão “despertar das nacionalidades”, utilizada pelo crítico literário Antonio Candido se refere à qual estética literária:

a.Barroco

b.Romantismo

c.Arcadismo

d.Modernismo

e.Maneirismo

PERGUNTA 2


Sobre o contexto brasileiro, do início do século XIX, em que se insere a poesia de Castro Alves, assinale a alternativa correta:

a.O Brasil ainda continuava colônia de Portugal, o que impossibilitava a busca por uma identidade nacional.

b.A literatura brasileira ainda continuava seguindo os modelos europeus sem nenhum traço de nacionalidade.

c.Nesse momento, o poeta deseja revelar ao mundo as peculiaridades de cada região da nação recém-independente e jovem, que se difere das outras na língua e cultura indígena e na própria mistura de raças.

d.Nesse momento, o poeta apresenta regiões campestres que remetem a imagens da Grécia antiga, onde pastores e pastoras viviam em harmonia, paz e equilíbrio.

e.Nesse momento, predomina a literatura árcade, marcada pelas seguintes características: o individualismo, a morte, o sofrimento, a solidão, religião, valorização da terra natal, nacionalismo e a exaltação do amor.

PERGUNTA 3


O fragmento a seguir se refere à qual poeta?

Com uma poesia carregada de emoção e sentimento, com tom de oratória, ritmo, sentidos abertos, imagens da natureza e originalidade. Poeta abolicionista que escreve as injustiças cometidas pelos homens brancos em relação aos negros e, ao mesmo tempo, procura difundir o valor, a beleza e força do povo africano na sociedade.

a.Castro Alves

b.Gonçalves Dias

c.Jorge de Lima

d.Gregório de Matos

e.Tomás Antonio Gonzaga


PERGUNTA 4


Leia atentamente o poema a seguir, de Castro Alves:


Que tens criança? O areal da estrada

Luzente a cintilar

Parece a folha ardente de uma espada.

Tine o sol nas savanas. Morno é o vento.

À sombra do palmar

O lavrador se inclina sonolento.


É triste ver uma alvorada em sombras,

Uma ave sem cantar,

O veado estendido nas alfombras.

Mocidade, és a aurora da existência,

Quero ver-te brilhar.

Canta, criança, és a ave da inocência.


Tu choras porque um ramo de baunilha

Não pudeste colher,

Ou pela flor gentil da granadilha?

Dou-te, um ninho, uma flor, dou-te uma palma,

Para em teus lábios ver

O riso — a estrela no horizonte da alma.


Não. Perdeste tua mãe ao fero açoite

Dos seus algozes vis.

E vagas tonto a tatear à noite.

Choras antes de rir... pobre criança!...

Que queres, infeliz?...

— Amigo, eu quero o ferro da vingança.


Sobre a poesia "A criança", de Castro Alves, considere as seguintes afirmações:

I. O eu-lírico dá voz à criança no último verso do poema, denunciando as consequências da escravidão negra: uma criança órfã, com desejo de vingar a morte da mãe escrava, vítima dos açoites de seu senhor.

II. Os elementos da natureza presentes no poema não são relacionados à criança.

III. No poema, o eu-lírico manifesta seu desejo de vingança, sem dar voz à criança.


Pode-se afirmar CORRETAMENTE apenas em

a.I.

b.II e III.

c.I e III.

d.I e II.

e.II.