A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Exame Fisico do Ombro- Luxação e Manguito Rotador

Pré-visualização | Página 1 de 1

HAM V ISABELLA PEREIRA 
 
 
 
 
-Antes de iniciar os testes, revisar a anatomia. 
-Esternoclavicular: união da extremidade esternal 
na clavícula e manúbrio esterno 
-Acromioclavicular: articulação plana entre a 
extremidade acromial da clavícula e borda medial 
do acrômio 
-Glenoumeral: articulações esferoide multiaxial. 
-Os músculos do MANGUITO ROTADOR SÃO: 
m. supraespinhoso (abdução), m. infraespinhoso 
(rotação lateral), m.subescapular (rotação 
medial, abdução, elevação, adução) e m. redondo 
menor (rotação externa) 
- O deltoide participa da função de abdução do 
ombro, gerando maior parte da força desse 
movimento, enquanto os músculos do m.rotador 
atuam acoplando e ajustando a força, além de 
aumentar a eficiência e estabilidade do movimento. 
-Teste de NEER: 
-Ergue-se o ombro em extensão, rotação neutra 
passiva e rápida. 
-Busca avaliar o comprometimento do M. 
supraespinhal 
 
 
 
 
 
-Com esse movimento, haverá um impacto maior 
do úmero sobre o acrômio, desenvolvendo assim 
uma compressão sobre o m. supraespinhoso, que 
comprometido irá gerar dor. 
-A dor é um sinal de impacto subacromial ou 
ruptura do manguito rotador. 
-Enquanto a rotação do escapamento é impedida 
com uma mão, o braço do paciente é forçado a 
elevar-se em uma escala de movimento escapular. 
 
 
-Teste de Jobe: 
-Avaliar o m. supraespinhal 
-Realiza-se uma rotação interna que 
sensibiliza a tensão exercida sob o tendão do 
músculo supraespinhal 
-É realizado com o paciente de pé, membros 
superiores em abdução no plano frontal e 
HAM V ISABELLA PEREIRA 
anteflexão de 30 graus, alinhando o eixo 
longitudinal do braço com o eixo de movimentos 
da articulação glenoumeral. 
-O examinador faz uma força de abaixamento 
nos membros, simultânea e comparativa, 
enquanto o paciente tenta resistir. 
-Essa posição sensibiliza a tensão exercida 
no m.supraespinal e essa resposta poderá 
ser apenas dor na face anterolateral do 
braço, acompanhada ou não de diminuição 
de força ou incapacidade de elevar o 
membro superior. 
 
 
Teste de gerber: 
-Avalia a integridade do músculo 
subescapular . 
- O paciente não consegue afastar a mão, 
colocada sobre o dorso, em nível de L5, quando 
o tendão subescapular se encontra rompido. 
 
 
TESTE DE YOCUM: 
-realize uma flexão do braço até o cotovelo 
(tocar a testa) 
-dor referida quando paciente coloca a 
palma da mão no ombro oposto, enquanto 
o examinador eleva o cotovelo para a 
posição horizontal, provocando o atrito do 
SE sob o arco coracoacromial e sob a 
articulação acromioclavicular. Este teste 
também pode acusar lesão da articulação 
acromioclavicular 
 
Teste de patte 
-O teste de patte avalia o tendão 
infraespinhal e é feito com o membro 
superior posicionado em abdução de 90 
graus e com o cotovelo em 90 graus de 
flexão, o paciente deve forçar a rotação 
externa contra a resistência oposta pelo 
examinador e paresia são sintomas que 
podem ser apresentados nesse teste. 
 
 
 
 
 
HAM V ISABELLA PEREIRA 
 
 
 
 
 
A luxação do ombro ou “ombro deslocado” é 
uma lesão na qual ocorre perda do contato e 
congruência entre as duas superfícies da 
articulação do ombro ou articulação 
glenoumeral (cabeça do úmero e cavidade 
glenóidea). 
TESTE DE 
INSTABILIDADE 
ANTERIOR: 
 
-Avalia a estabilidade da articulação 
glenoumeral 
-Executa com a mão a abdução, rotação 
externa e extensão passiva 
-Com a outra mão posicionar com o 
polegar a face posterior da cabeça do 
úmero, tentando deslocar. 
- o teste e considerado positivo se houver 
sensação de dor. 
 
 
 
 
 
 
 
Teste de apreensão 
do ombro 
Com o paciente em decúbito dorsal, mantem-
se o cotovelo fletido em 90º, o ombro em 
abdução de 90º e rotação externa. 
O examinador deve então realizar uma 
compressão na região posterior do úmero 
proximal no sentido de anteriorizá- lo, 
observando a reação do paciente. Ao perceber a 
iminência de deslocamento articular, o paciente 
demostrará apreensão, indicando que o teste é 
positivo. 
 
TESTE DE FUKUDA 
-estabilidade posterior da articulação 
glenoumeral 
-Executa com uma mão adução, flexão e 
rotação interna passiva forçadas do braço do 
paciente, com a outra mão pressiona com o 
HAM V ISABELLA PEREIRA 
polegar tentando deslocara cabeça do úmero 
posterior. 
-O teste é considerado positivo se houver 
resvalo da cabeça do úmero na borda 
posterior da glenoide e luxação. 
 
TESTE DA GAVETA 
ANTERIOR E 
POSTERIOR 
- Permite identificar instabilidade da articulação 
glenoumeral 
-A manobra consiste no deslocamento passivo 
anterior e posterior da cabeça do úmero com 
relação a glenóide 
-deve fixar a escapula do paciente com uma 
das mãos e na outra segurar firmemente a 
cabeça do úmero. 
-teste é positivo se houver queixa de dor 
associada ao deslocamento da cabeça do 
úmero em relação a glenoide, instabilidade ou 
frouxidão capsuloligamentar.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.