A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
Fisiologia renal - mecanismos de transporte ao longo do néfron

Pré-visualização | Página 3 de 4

(aumentando a concentração de Ca2+ plasmática); ademais, com o bloqueio da reabsorção de Na+ do 
lúmen para a célula, há abertura de canais de Ca2+ luminais, que entram do lúmen para a célula.
obs..: tal necessidade de Na+ é por conta do funcionamento da bomba de Na+/K+
Neste segmento, o Na+ também é reabsorvido pelo trocador NHE2 - a pequena parcela de HCO3- é reabsorvida aqui (~5%).
Fisiologia renal - mecanismos de transporte ao longo do néfron 13
Segmento conector e ductos coletores 
Compostos por células principais e intercaladas A e B.
Células principais 
Do conector até o coletor medular = permeabilidade aquosa é mediada pelo ADH. 
Contém receptores para o ADH (receptor V2). ADH age em tal receptor, ativando proteína G e ativando AMPc e PKA, que 
promove fosforilação de proteínas e ativando a transcrição genética para aquaporinas 2 (vão para membrana luminal - 
reabsorção de água). Além disso, ADH atua em vesículas com aquaporinas 2, estimulando sua exocitose e permanência na 
membrana luminal. Ademais, há aquaporinas 3 e 4 na membrana basolateral para a passagem de água para o interstício.
Com isso, há permeabilidade de água e reabsorção de água para o interstício (anti-diurético).
obs.: epitélio TIGHT impede a passagem de água (impermeável à água) no TD, somente com ADH e inserção de aquaporinas 
nas membranas que há passagem
Nesse contexto, nas células principais, há canais de Na+ (canais ENaC), com entrada de Na+ do lúmen para a célula, e (por 
conta da despolarização da entrada do Na+) saída de K+ (via canais ROMK e canais BK dependente de Ca2+) da célula 
para o lúmen (= hipopotassemia) - bomba de Na+/K+ (saída de Na+ para o interstício) continua funcionando para gerar 
gradiente e estimular entrada de Na+ e saída de K+ da célula.
Logo, Na+ entra por canal iônico → despolariza a célula (K+ sai e Cl- permanece na luz tubular)
💊 AMILORIDA → bloqueio do canal ENaC, com menor entrada de Na+ e menor saída de K+; associado a diuréticos 
(furosemida e tiazídicos) para evitar hipopotassemia.
obs.: por conta do epitélio TIGHT, há menor passagem de Cl-, com tendência de concentração de Cl- no lúmen (lúmen 
negativo - diferença transepitelial varia de -30 a -60mV); com uso da amilorida, há neutralização (há formação de NaCl) e 
lúmen fica menos negativo
ALDOSTERONA → ação em receptores intracelulares; estimula reabsorção Na+ (inserção de mais bomba de Na+/K+ e 
canais ENaC); pode ser estimulada, entre outras coisas, por hiperpotassemia
Na+ é transportado por NCC, canais de Na+ sensíveis à amilorida e trocador Na+/H+ acoplado a HCO3-/Cl-.
Fisiologia renal - mecanismos de transporte ao longo do néfron 14
Células intercaladas A e B 
A → secreta H+ para luz tubular; via transportador/trocador AE1, há reabsorção de HCO3- da célula para o interstício 
e entrada de Cl- do interstício para a célula (Cl- sai depois novamente por outro transportador); e há secreção de H+ 
da célula para o lúmen (usa ATP)
B → reabsorve Cl- para o interstício; há reabsorção de H+ da célula para o interstício (usa ATP); via 
transportador/trocador pendrina, há secreção de HCO3- da célula e reabsorção de Cl- do lúmen para célula (e depois 
para o interstício)
NÃO A/NÃO B → há reabsorção de Cl- (trocador pendrina) e secreção de H+ (uso de ATP) e de HCO3- (trocador 
pendrina)
‼ Única porção tubular que ocorre reabsorção de Cl- via transcelular.
Túbulo conector e coletor são os únicos segmetnos que secretam HCO3-.
Fisiologia renal - mecanismos de transporte ao longo do néfron 15
Transporte de K+ ao longo do néfron 
BALANÇO DE K+ → relacionado com quantidade de K+ na dieta, aporte de Na+ no TD, aldosterona e alcalose (luz negativa 
por presença de HCO3- atrai K+ = hipopotassemia)
TP → reabsorção de K+ de 60-70% (via paracelular - junto à Mg2+ e Ca2+ por conta do transporte de Cl- e luz tubular 
positiva)
Alça de Henle → reabsorção de K+ de 25% (metade via paracelular e metade transcelular)
TD → 92% do K+ já foi reabsorvido
CÉL. PRINCIPAL → canais ROMK e BK promovem secreção de K+
CÉL. INTERCALADA TIPO A → além da bomba de H+ (usa ATP), há também trocadores de H+/K+, com secreção de H+ 
e reabsorção de K+ (usa ATP) - logo, em casos de aumento de H+, há maior reabsorção de K+
SITUAÇÕES ESPECIAIS:
Hipercalemia e [H+] → com aumento de K+ plasmático, há aumento de K+ no interstício e na célula; com isso, há 
menor reabsorção de K+ e, logo, menor secreção de H+ (trocador H+/K+) = mais presente no interstício e sangue = 
acidose metabólica
Hipocalemia e alcalose → com diminuição de K+ plasmático, há maior reabsorção de K+ e, logo, maior secreção de 
H+ (trocador K+/H+) = alcalose metabólica
Fisiologia renal - mecanismos de transporte ao longo do néfron 16
Acidose e [K+] → nos casos de alta [H+] plasmática, há maior secreção de H+ (visando uma alcalose) e maior 
reabsorção de K+; 
Alcalose (luz negativa) e [K+] → alcalose respiratória pode levar a uma hipopotassemia (com maior presença de 
HCO3-, luz fica mais negativa e atrai K+)
Alterações do pH 
Excreção pode variar de ~1% a 150%.
Mecanismo de ação da aldosterona 
Segmentos distais são referidos como sensíveis a aldosterona.
CÉL. PRINCIPAIS → efeito mais notável da ação da aldosterona - poupa Na+ e induz perda de K+
O maior estímulo para secreção de aldosterona é o aumento de [K+] (mais até do que SRAA). Mas também angiotensina II 
(receptores ATR1) e ACTH.
Em casos de hipercalemia, há detecção de K+ circulante pela adrenal e liberação de aldosterona.
Aldosterona atua em receptores intracelulares (mineralocorticoides), estimulando a transcrição (fator SGK1 estimula 
kinase SGK1), expressão e inserção de canais de Na+ (ENaC) e de K+ (ROMK e BK) na membrana luminal = estímulo da 
reabsorção de Na+ (que deixa a célula mais positiva e estimula saída de K via ROMK e BK). Nesse contexto, bomba de 
Na+/K cria gradiente para reabsorção de Na+ e aldosterona também a estímula (também via kinase SGK1), aumentando 
sua atividade (estimula reabsorção de Na+ = água segue o Na+ = aumento da volume sanguíneo/PA).
ex.: ativação do SRAA e liberação de aldosterona em casos de hemorragia (captação pela mácula densa)
Fisiologia renal - mecanismos de transporte ao longo do néfron 17
Além disso, cortisol teria mecanismo semelhante a da aldosterona, porém a enzima 11-beta-HSD cliva cortisol → cortisona 
e impede sua ação.
💊 ESPIRONOLACTONA → bloqueia os receptores de aldosterona e impede reabsorção de Na+ 
Hipercalemia, aldosterona elevada e renina e angiotensiva baixas
Com alta [K+], há maior estímulo para liberação de aldosterona.
Aldosterona aumenta a kinase SGK1 e a reabsorção de Na+ nos túbulos conectores e ductos coletores. Além disso, a 
kinase SGK1 fosforila a kinase WNK4, inibindo sua atividade (WNK4 é responsável por aumentar a atividade do 
cotransportador NCC (Na+/Cl-) do túbulo distal, aumentando a reabsorão de Na+). Logo, também há diminuição da 
reabsorção de Na+ no túbulo distal, por ação da aldosterona (não é interessante absorver no túbulo distal, mas sim no túbulos 
coletor e ducto conector para saída de K+).
Hipocalemia e renina e angiotensina elevadas, sem aumento de aldosterona
Com baixa [K+], há menor estímulo para liberação de aldosterona.
Não é interessante aumentar a volemia pelo túbulo conector e ducto coletor, pois haverá mais saída de K+ ainda, 
piorando a hipocalemia (aldosterona baixa = sem ação nesses túbulos).
Logo, sem aldosterona, não há fosforilação de WNK4, ficando ativa. WNK4 aumenta a atividade do cotransportador NCC no 
túbulo distal e há reabsorção de Na+.
Fisiologia renal - mecanismos de transporte ao longo do néfron 18
Além disso, angiotensina aumenta a kinase cSrc, que inibe a SGK1 e reduz a fosforilação de WNK4, fomentando a 
atividade de WNK4 e reabsorção de Na+. O aumento da kinase cSrc e a inibição da fosforilação de WNK4 também é 
importante na célula principal do ducto coletor, pois inibe ENaC e ROMK (reduz a saída de K+ mais ainda).
Ca2+ e Mg2+ e seu transporte ao longo do néfron
CÁLCIO → em