Pesquisa em administração
232 pág.

Pesquisa em administração


DisciplinaPesquisa em Administração22 materiais119 seguidores
Pré-visualização50 páginas
resumo, redução da extensão e do detalhamento ou desdobra-
mento analítico de um todo qualquer. São exemplos: síntese de um texto, de um discurso,
EaD Eni se Bart h Teixeira \u2013 Luci ano Z amb er la n \u2013 Pedro C ar los Rasia
76
dos debates de um congresso ou reunião, de um relato de viagem. Os demonstrativos
contábeis publicados pelas empresas são um relato sintético de suas operações durante um
determinado período.
A palavra síntese é usada também como o sentido de composição, de criação de algo
novo. Para isto, pressupõe a análise. A partir da análise do petróleo, os químicos sintetiza-
ram (produziram) novos materiais. A partir da análise de composições musicais, os músicos
entendem melhor o que isso significa e se capacitam para compor ou avaliar novas músicas.
O mesmo acontece com as composições literárias ou textuais. Analisando-se textos é que se
aprende a escrever. Analisando habitações os arquitetos se capacitam para projetá-los, com-
pondo espaços.
3.3.1.8 \u2013 Suposição \u2013 levantamento de hipóteses
Esta operação do pensamento consiste em propor ou aceitar alguma afirmação como
verdadeira ou como falsa sem suficiente discussão ou comprovação. É uma proposição pro-
visória.
Em toda situação em que se chega a uma conclusão, fazemos uma ou várias suposi-
ções. A suposição ou hipótese serve como orientação para um trabalho de investigação.
Aqui também exercem papel fundamental os modelos, ou teorias ou paradigmas. Exi-
ge criatividade e tem sido um dos fundamentos de muitas descobertas.
3.3.1.9 \u2013 Imaginação
É criar mentalmente alguma coisa. Ao imaginar fica-se liberto das limitações da reali-
dade. A imaginação ultrapassa os dados e a nossa experiência, como se vê, por exemplo,
nos \u201cdesenhos animados\u201d.
Embora se discuta se é uma forma de pensamento, não se pode negar que a imagina-
ção traz flexibilidade às demais operações de pensamento.
EaD
77
PESQUISA EM A DMINI ST RAÇ ÃO
A criatividade assume importância crescente, como capacidade dos mais diversos pro-
fissionais.
3.3.1.10 \u2013 Associação
É a aplicação de fatos e princípios a situações e fatos semelhantes.
Diante de situações novas e desafiadoras temos o recurso de recorrer aos princípios,
ás leis, a fatos significativos, que tenham alguma semelhança com elas, para começar a
entendê-las.
Já dizia um pensador que \u201cnada é mais prático do que uma boa teor ia\u201d. Eis que
sendo uma generalização serve para explicar os fatos e todas as s ituações a que ele se
refere.
3.3.2 \u2013 CARACTERÍSTICAS DE COMPORTAMENTO E REFLEXÃO
Há certamente características de comportamento ou de personalidade que favorecem
ou dificultam o progresso no conhecimento. Pavlov, o conhecido psicólogo russo, recomen-
dava, em carta aos jovens que pretendiam ser cientistas, que fossem constantes, modestos e
apaixonados (Castro, 1997, p. XI).
3.3.2.1 \u2013 Constância
Para se conseguir um desempenho satisfatório em qualquer profissão é sempre neces-
sário muito trabalho, muita exercitação. É preciso acumular experiência refletida. Ninguém
chega a ser atleta, artista, vendedor, administrador, negociador, escritor, sem muita exercitação
e perseverança.
W. Edward Deming, um dos propugnadores da \u201cQualidade\u201d para a indústria japonesa,
incluiu a \u201cconstância de propósito\u201d entre seus 14 princípios (Mann, 1992, p. 27).
EaD Eni se Bart h Teixeira \u2013 Luci ano Z amb er la n \u2013 Pedro C ar los Rasia
78
É preciso ter sempre presente que nas primeiras vezes dificilmente dá certo. Na prática
administrativa é conhecido o efeito denominado \u201ccurva da experiência\u201d, e que é adotado
como estratégia para vencer a concorrência. Isto é, a cada vez que se dobra a experiência
em alguma atividade ou produto, é possível reduzir cerca de 15% a 20% os custos unitários.
Na história de vida de indivíduos, de organizações, de nações e países, observa-se que uma
diferença muito importante e sempre presente entre os que progridem, os que alcançam o sucesso
e os que não progridem, os que perdem e são excluídos, é a da perspectiva de longo prazo.
Os vencedores têm objetivos em longo prazo, ousados, claros e são constantes, muito
decididos em realizá-los.
No campo do conhecimento, da pesquisa, do desenvolvimento intelectual, ocorre o
mesmo. As pessoas impulsivas, inconstantes, não têm a suficiente paciência para se dete-
rem o tempo necessário na definição de problemas, na busca de soluções alternativas.
É sabido, entretanto, que com exercício e práticas de desenvolvimento pessoal se con-
segue reduzir a tendência à impulsividade e ao imediatismo.
3.3.2.2 \u2013 Modéstia
Na visão de Robert Jolles (1995, p. 37-42), experiente consultor em treinamento e de-
senvolvimento, as pessoas podem ser classificadas em quatro níveis de desempenho quanto a
seu preparo profissional: (1) incompetente inconsciente; (2) o incompetente consciente; (3) o
competente consciente e (4) o competente inconsciente. Embora possamos nos situar, na
prática, no melhor dos níveis em certos aspectos, certamente seremos sempre incompetentes
inconscientes em outros. Vale dizer, a perfeição plena não existe. Os verdadeiros sábios são
modestos por que têm consciência de que ainda há muito, muito por aprender.
Em sua carta aos jovens, dizia T. Pavlov (Castro, 1997, p. XI): \u201cNão deixem que o
orgulho os domine. Por causa dele poderão obstinar-se, quando for necessário concordar;
por causa dele renunciarão ao conselho saudável e ao auxílio amigo; por causa dele perde-
rão a medida da objetividade\u201d.
EaD
79
PESQUISA EM A DMINI ST RAÇ ÃO
3.3.2.3 \u2013 Paixão
\u201cSem tesão não há solução\u201d (Roberto Freire). O sucesso em qualquer profissão exige
dedicação entusiasta por longo tempo, pela vida toda. \u201cSejam apaixonados por sua ciência
e por suas pesquisas\u201d, recomenda Pavlov (apud Castro, 1978).
Afirma-se também que atletas da natação costumam depilar seus corpos na perspecti-
va de com isto reduzir o atrito com a água e melhorar em alguns milésimos de segundo suas
marcas.
Castro (1997, p. 116) salienta que o pesquisador precisa desenvolver não apenas fami-
liaridade, mas intimidade com o assunto. Não se vive o estudo, a pesquisa, em tempo parci-
al. É preciso envolver-se intensamente com o problema, ruminá-lo ao longo do dia, \u201cdormir
com ele, sonhar com ele, se possível\u201d.
É fácil perceber que as chances de produção ou de desempenho intelectual, de pensar,
dependem da capacidade que a pessoa tem de se fixar, de se demorar na consideração de
algum assunto, de se envolver, de se preocupar com ele, como alguém que se envolve com
um objeto de paixão.
O lema de pessoas que são exemplos de vencedores sempre contém esta característica
de decisão apaixonada. Exemplos disto são Ayrton Senna e Amir Klink. Senna tinha como
lema \u201cVencer \u201d. Klink tem como princípio \u201cAmar\u201d, com o sentido de \u201cQuerer\u201d firme e inten-
samente.
Sugestão de Atividade
1) Ler textos identificando a cada passo qual a operação de pensamento que o autor realiza.
Este exercício desenvolve certamente a capacidade de pensar ou as aptidões intelectuais
básicas. Experimente e verá resultados magníficos em sua vida intelectual.
EaD Eni se Bart h Teixeira \u2013 Luci ano Z amb er la n \u2013 Pedro C ar los Rasia
80
SÍNTESE DA UNIDADE 3
Ao término desta unidade certamente você deverá estar impressio-
nado pela extraordinária possibilidade que se discutiu e da opor-
tunidade de conhecimento que está a depender, preponderante-
mente, de sua decisão de reconhecer que pensar e aprender a apren-
der poderá ser o diferencial de agora e sempre.
EaD
81
PESQUISA EM A DMINI ST RAÇ ÃO
Unidade 4Unidade 4Unidade 4Unidade 4
TRABALHOS ACADÊMICOS E SEUS FORMATOS
OBJETIVOS DESTA UNIDADE
\u2022 Apresentar e discutir as principais tipologias de trabalhos acadêmicos.
\u2022 Distinguir, conceituar e explicitar os objetivos, metodologia e estrutura para elaboração e
apresentação destes trabalhos.
AS SEÇÕES DESTA UNIDADE
Seção 4.1 \u2013 Fichamento
Seção 4.2 \u2013 Resumo
Seção 4.3 \u2013 Paper
Seção 4.4 \u2013 Memorial
Seção 4.5 \u2013 Artigo
Seção 4.6 \u2013 Ensaio