Pesquisa em administração
232 pág.

Pesquisa em administração


DisciplinaPesquisa em Administração22 materiais119 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Seção 4.7 \u2013 Planos e Projeto
Seção 4.8 \u2013 Relatório
EaD Eni se Bart h Teixeira \u2013 Luci ano Z amb er la n \u2013 Pedro C ar los Rasia
82
Na vida acadêmica são várias as atividades de estudo e de pesquisa realizadas, tanto
pelo corpo docente quanto pelo discente. Essas atividades resultam de trabalhos didáticos e
científicos elaborados freqüentemente nos componentes curriculares, cursos ou em grupos
de pesquisa. As atividades que se caracterizam como trabalhos didáticos originam-se da
interação cultural, pois permitem que o conhecimento seja reconstruído, na medida em que
se tem acesso ao mundo culturalmente instituído. Os trabalhos científicos, por sua vez,
resultam de um esforço de criação e elaboração de novos saberes, possuem uma natureza
mais complexa e permitem que o conhecimento se renove. Outra diferença significativa en-
tre os dois tipos de trabalho é o tratamento que se dá ao objeto de estudo no processo de sua
assimilação, compreensão e construção.
Os trabalhos didáticos e científicos, muitas vezes, pelo nível de excelência que apre-
sentam, são merecedores de publicação. As instituições de ensino, de maneira geral, e os
cursos que a elas pertencem, em particular, dispõem de revistas especializadas para a publi-
cação1 desses trabalhos produzidos por alunos e professores.
Serão objeto de descrição nesta unidade os estudos e trabalhos acadêmicos que pro-
fessores solicitam como parte ou complemento das atividades didático-pedagógicas, a exemplo
de fichamento, resumo, paper, memorial, artigo, ensaio, planos e projetos, relatório, pois os
mesmos podem apresentar estrutura, componentes e requisitos específicos que devem ser
explicitados pelo professor solicitante ou conselho editorial de publicações. Não será possí-
vel apresentar e descrever a todos, mas fica o desafio para que você continue colecionando
estes instrumentos de aprendizagem e sistematização.
Seção 4.1
Fichamento
A leitura de textos irá exigir de você capacidade de interpretação e sistematização.
1
 O Departamento de Estudos da Administração conta com a Revista Estudos da Administração (REA), que é publicada pela Editora
Unijuí.
EaD
83
PESQUISA EM A DMINI ST RAÇ ÃO
Para tanto, existem técnicas de leitura que são, também, técnicas de pesquisa. Nesse
aspecto, o fichamento é procedimento importante na organização de dados integrantes da
efetivação da pesquisa de documentos e outras publicações, impressas e/ou eletrônicas. Ele
serve para arquivar e organizar as principais informações provenientes de leituras, devendo
permitir um fácil acesso aos dados fundamentais para a elaboração do trabalho.
A forma de registrar as informações nas fichas depende da organização de cada leitor,
podendo ser adotadas as tradicionais fichas de cartolina pautada, a folha comum de um
caderno ou, mais modernamente, fazendo-se uso de um banco de dados de um computador.
O importante é que as informações estejam bem organizadas, de modo a facilitar o acesso
(Leonel, 2003).
O ideal seria que pudéssemos dispor em nossa própria casa de todos os livros que
necessitássemos, porém sabemos que essa é uma condição rara até mesmo para teóricos e
pesquisadores. Diante da necessidade da realização de um trabalho que exija levantamen-
tos bibliográficos, podemos utilizar o fichamento como forma de acessarmos as informações
que precisamos (Medeiros, 2004).
Embora haja casos em que os pesquisadores passam diretamente dos apontamentos
para a redação do trabalho, é muito conveniente confeccionar fichas. Essa necessidade tor-
na-se ainda mais evidente quanto maior for a dimensão do trabalho (Gil, 2002).
As fichas constituem um importante recurso para a realização de um trabalho acadê-
mico, porém há alguns obstáculos que precisamos vencer no início da utilização das fichas
como método de estudo e redação. Uma dessas dificuldades refere-se ao tempo despendido,
à metodologia de transcrição de texto e às anotações bibliográficas (autor, título da obra,
local da publicação, edi tora, ano, páginas). Para quem não está acostumado a fazer
fichamentos, essa prática parece demorada e desgastante, entretanto se você incorporar
essa prática no seu processo de estudo irá perceber que este pequeno trabalho inicial irá
reverter em ganho de tempo futuro (Medeiros, 2004).
O fichamento pode apresentar a seguinte estrutura:
EaD Eni se Bart h Teixeira \u2013 Luci ano Z amb er la n \u2013 Pedro C ar los Rasia
84
a) Cabeçalho: pode ser dividido em apenas dois campos: o primeiro indica o assunto; o
segundo, a classificação.
Exemplo:
1 O Estado
1.1 Concepções de Estado
b) Referência bibliográfica: no caso de um livro, a referência deve apresentar a autoria,
título da obra, local de publicação, editora e ano de publicação, como segue, no exem-
plo: TEIXEIRA, E. B.; ZAMBERLAN, L.; RASIA, P. C. Pesquisa em gestão pública. Ijuí:
Ed. Unijuí. 2008. 172 p. ; Il. (Coleção Educação a Distância. Série livro-texto).
c) Corpo da ficha: depende do modelo de fichamento, podendo ser:
\u2022 fichamento de transcrição textual
\u2022 fichamento de resumo
\u2022 fichamento de comentário
d) Local onde se encontra a obra: Ex: Biblioteca Mario Osorio Marques da Unijuí e número
de registro/número de chamada local: PIF 6307.
Veja a seguir um modelo contendo os elementos estruturais de uma ficha:
 1 \u2013 Pesquisa de Mercado
1.1 \u2013 Planejamento e Definição da Amostra
ZAMBERLAN, Luciano. Pesquisa de Mercado. Ijuí: Ed. Unijuí, 2008. 152 p. 
Biblioteca Mario Osorio Marques - Unijuí
Cabeçalho 
Referência
Bibliográfica
Texto
Local onde
se encontra
a obra
PIF 6306 
EaD
85
PESQUISA EM A DMINI ST RAÇ ÃO
Existem diversos tipos de fichamento (Leonel, 2003). A seguir apresentaremos os prin-
cipais:
No Fichamento de transcrição textual, também chamado de citação direta, reproduz
literalmente os conceitos do autor consultado. Por exemplo:
O Fichamento de resumo trata-se de uma síntese das principais idéias do autor con-
tidas na obra. Você se baseia nas idéias do autor, mas escreve-as livremente com as suas
próprias palavras. Veja-se o exemplo a seguir:
1 Holismo 
1.1 Críticas ao holismo 
OLIVA, A. Conhecimento e liberdade: individualismo x coletivismo. Porto Alegre: 
Edipucrs, 1994. 
\u201cNão há como negar que as ciências sociais suscitam problemas ontológicos especiais\u201d 
(p. 62). 
\u201cO holismo radical não se limita a reivindicar a existência de todos: defende também 
uma ontologia hierarquizada segundo a qual o indivíduo é totalmente determinado \u2013 no 
que é, pensa e faz \u2013 por estruturas e processos subsistentes em coletivos ou todos\u201d (p. 
92). 
Biblioteca Mario Osorio Marques \u2013 Unijuí 
 
1 Holismo 
1.1 Críticas ao holismo 
OLIVA, A. Conhecimento e liberdade: individualismo x coletivismo. Porto Alegre: 
Edipucrs, 1994. 
O autor apresenta e discute os fundamentos filosóficos de um projeto de liberalismo 
ético-político, tendo como núcleo a idéia de liberdade. Trata-se, portanto, de uma séria 
crítica ao holismo ou coletivismo e de uma defesa da liberdade do indivíduo concreto, 
sem absolutizar o individualismo. 
Biblioteca Mario Osorio Marques \u2013 Unijuí 
 
EaD Eni se Bart h Teixeira \u2013 Luci ano Z amb er la n \u2013 Pedro C ar los Rasia
86
O Fichamento de comentário é de caráter descritivo, com comentários que abordam a
obra inteira ou uma parte dela. Ex:
O fichamento tem como objetivo permitir armazenamento de dados e/ou informações
de documentos, no todo ou em parte, para posterior utilização, segundo os interesses do
pesquisador.
Não devemos esquecer que todo trabalho de fichamento é precedido por uma atenta
leitura de um documento que compreende: capacidade de analisa-lo, separar suas partes e
examinar como se inter-relacionam e como o texto se relaciona com outros, e competência
para resumir as idéias