Buscar

Redação e Produção de textos

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 183 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 183 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 183 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

DOCÊNCIA EM 
SAÚDE 
 
 
 
 
 
REDAÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTOS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1 
Copyright © Portal Educação 
2012 – Portal Educação 
Todos os direitos reservados 
 
R: Sete de setembro, 1686 – Centro – CEP:79002-130 
Telematrículas e Teleatendimento: 0800 707 4520 
Internacional: +55 (67) 3303-4520 
atendimento@portaleducacao.com.br – Campo Grande-MS 
Endereço Internet: http://www.portaleducacao.com.br 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação - Brasil 
 Triagem Organização LTDA ME 
 Bibliotecário responsável: Rodrigo Pereira CRB 1/2167 
 Portal Educação 
P842r Redação e produção de textos / Portal Educação. - Campo Grande: Portal 
Educação, 2012. 
 183 p. : il. 
 
 Inclui bibliografia 
 ISBN 978-85-8241-085-1 
 1. Redação - Técnica. 2. Textos - Produção. 3. Redação oficial. 4. 
Linguística textual. I. Portal Educação. II. Título. 
 CDD 808.06 
 
 
 
2 
SUMÁRIO 
 
1 REDAÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTOS ................................................................................... 6 
2 COMO REDIGIR ....................................................................................................................... 12 
3 LINGUAGEM ORAL E LINGUAGEM ESCRITA ....................................................................... 14 
3.1 Níveis de linguagem ................................................................................................................ 15 
3.2 A escolha da palavra ............................................................................................................... 16 
4 SENTIDO DENOTATIVO E CONOTATIVO .............................................................................. 19 
5 COMO ADQUIRIR BOM VOCABULÁRIO ................................................................................ 23 
5.1 O período adequado ................................................................................................................ 23 
6 APRESENTAÇÃO DO PARÁGRAFO ..................................................................................... 33 
7 CONTEÚDO ARGUMENTATIVO.............................................................................................. 36 
8 COERÊNCIA E COESÃO ENTRE AS IDEIAS ......................................................................... 39 
9 DICAS SOBRE CLAREZA TEXTUAL ...................................................................................... 42 
10 COMPETÊNCIA TEXTUAL ....................................................................................................... 48 
11 AS PRINCIPAIS FALHAS TEXTUAIS ...................................................................................... 56 
11.1 Prolixidade ............................................................................................................................... 56 
11.2 Frases feitas ............................................................................................................................. 57 
11.3 Uso de tautologia..................................................................................................................... 59 
11.4 Estilo textual: paralelismo ...................................................................................................... 62 
11.5 Queísmo ................................................................................................................................... 63 
11.6 Ambiguidade ............................................................................................................................ 64 
11.7 Pleonasmo ............................................................................................................................... 66 
 
 
3 
11.8 Cacófato ................................................................................................................................... 67 
12 TEXTO ....................................................................................................................................... 69 
12.1 Grau de compreensão dos textos .............................................................................................. 70 
12.2 Metáfora .................................................................................................................................... 72 
12.3 Comparação ............................................................................................................................. 73 
12.4 Metonímia ................................................................................................................................. 74 
12.5 Eufemismo ............................................................................................................................... 75 
12.6 Prosopopeia Ou Personificação............................................................................................. 76 
12.7 Hipérbole .................................................................................................................................. 77 
12.8 Antítese .................................................................................................................................... 78 
12.9 Gradação .................................................................................................................................. 79 
12.10 Aliteração ................................................................................................................................. 79 
12.11 Onomatopeia ............................................................................................................................ 80 
13 MODOS DE ORGANIZAÇÃO DO TEXTO E DISCURSO ......................................................... 81 
13.1 Narração ................................................................................................................................... 81 
13.1.1 Tipos de narrativa ...................................................................................................................... 83 
13.1.2 Elementos da narrativa .............................................................................................................. 84 
13.1.3 A Narração Objetiva .................................................................................................................. 86 
13.1.4 A Narração Subjetiva ................................................................................................................. 87 
14 DESCRIÇÃO ............................................................................................................................. 91 
14.1 Descrição de pessoa, de ambiente e de objeto .................................................................... 93 
14.2 Descrição de pessoas ou a técnica do retrato ...................................................................... 93 
14.2.1 Sequência de descrição .......................................................................................................... 94 
 
 
4 
15 DISSERTAÇÃO ........................................................................................................................ 97 
15.1 Estrutura da dissertação ......................................................................................................... 97 
15.1.1 A Introdução .............................................................................................................................. 98 
15.1.2 São Requisitos Básicos Para Uma Introdução .......................................................................... 98 
15.1.3 O Desenvolvimento ...................................................................................................................99 
15.1.4 A Conclusão .............................................................................................................................. 99 
15.1.5 Objetividade e Subjetividade ................................................................................................... 100 
15.2 Dissertação subjetiva ............................................................................................................. 101 
15.3 Modelo de dissertação ........................................................................................................... 101 
15.4 A abordagem de temas polêmicos ........................................................................................ 102 
16 TÉCNICAS DE REDAÇÃO ...................................................................................................... 106 
16.1 Tempo de duração e extensão do texto ............................................................................... 107 
16.2 Ordem de resolução da prova de comunicação e expressão ............................................. 108 
16.3 Partes de uma redação .......................................................................................................... 108 
16.4 Avaliação da redação ............................................................................................................. 109 
16.5 O conteúdo .............................................................................................................................. 111 
17 A CORREÇÃO GRAMATICAL ................................................................................................ 116 
18 LINGUAGEM TÉCNICA ........................................................................................................... 117 
18.1 Processo de correspondência............................................................................................... 118 
19 RESUMO .................................................................................................................................. 119 
19.1 Preparação do resumo ........................................................................................................... 120 
20 RESENHA CRÍTICA ................................................................................................................. 121 
21 ATAS ........................................................................................................................................ 124 
 
 
5 
22 POEMA .................................................................................................................................... 127 
23 POESIA .................................................................................................................................... 130 
24 TEXTOS LITERÁRIOS ............................................................................................................. 131 
25 REDAÇÃO OFICIAL: PRINCÍPIOS E NORMAS ..................................................................... 132 
25.1 O que é redação oficial? ........................................................................................................ 132 
25.2 Regras de linguagem ............................................................................................................. 134 
25.3 Pronomes de tratamento ....................................................................................................... 137 
25.4 Colocação pronominal ........................................................................................................... 147 
25.5 Concordância .......................................................................................................................... 159 
25.6 Ortografia ................................................................................................................................ 164 
26 FECHOS PARA COMUNICAÇÕES ......................................................................................... 169 
26.1 Identificação do signatário .................................................................................................... 169 
27 OS TEXTOS E AS FUNÇÕES DE LINGUAGEM ..................................................................... 171 
27.1 Função informativa ................................................................................................................. 171 
27.2 Função referencial ou denotativa .......................................................................................... 172 
28 FUNÇÃO LITERÁRIA .............................................................................................................. 173 
29 FUNÇÃO APELATIVA ............................................................................................................. 175 
30 FUNÇÃO EXPRESSIVA .......................................................................................................... 176 
31 FUNÇÃO FÁTICA .................................................................................................................... 177 
32 FUNÇÃO METALINGUÍSTICA ................................................................................................ 178 
33 FUNÇÃO POÉTICA ................................................................................................................. 179 
34 TEXTOS LITERÁRIOS ............................................................................................................. 180 
REFERÊNCIAS .................................................................................................................................. 181 
 
 
6 
1 REDAÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTOS 
 
FIGURA 1 
 
FONTE: Disponível em: <http://www.google.com.br/search?tbm=isch&hl=pt-
BR&source=hp&biw=1152&bih=556&gbv=2&oq=+O+ATO+DE+ESCREVER+E+LER&aq=f&aqi=&gs_upl=400l12457
l0l12725l28l28l2l17l18l0l419l1824l3-4.1l5l0&q=O%20ATO%20DE%20ESCREVER%20E%20LER>. Acesso em: 17 
set. 2011. 
 
Sabemos que ultrapassar a barreira entre o pensamento e o papel em branco não é 
uma tarefa fácil. Portanto, você tem todo direito de ter dificuldades em redigir um texto. O 
fundamental você já possui: a capacidade de pensar. 
Basta agora aliar sua força de vontade à prática de escrever. Vamos começar? Então, 
pegue o lápis, o papel e…o que foi? Está difícil começar? Vamos pensar um pouco: A 
característica principal de um texto bem redigido está na qualidade de seu conteúdo. 
Para tanto, é imprescindível estar bem informado sobre o tema a ser discutido. A 
veracidade das informações sejam elas históricas, científicas, culturais, devem ser respeitadas. 
Isso não significa que você deixe de questionar a respeito, pois um bom texto depende muito do 
seu teor crítico acerca da realidade. Assim, podemos dizer que: 
Você pode apoiar-se no conhecimento já existente da nossa cultura ocidental ou 
poderá questionar o conhecimento já existente, desde que conheça bem o tema. 
O ideal é nos esforçarmos para escrever nossas próprias ideias, preocupando-nos com 
http://www.google.com.br/imgres?q=O+ATO+DE+ESCREVER+E+LER&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=EawNUTPDsNee6M:&imgrefurl=http://linkliterario.blogspot.com/2011/01/escrever-mao-e-ler-livros-fisicos.html&docid=wF0C00pWm9ASCM&w=260&h=194&ei=mKpzTsz2Fcugtgejupy8CA&zoom=1
 
 
7 
o bom-senso, mas sem manter uma postura reacionária – contrário a mudanças sociais e 
políticas, conservador (HOUAISS, 2008), acreditando numa verdade absoluta. É bom lembrar 
que não existe um conteúdo neutro: sempre existe um questionamento a se fazer, tanto do leitor 
quanto de quem redige o texto. 
Prática: Antes de começar a escrever, lembre-se que o importante é dialogar com seu 
leitor. Primeiro, faça a lápis, deixando suas ideias esboçadas no papel, sem se preocupar com a 
estrutura formal. Só reescreva, quando sentir-se mais seguro. O tema é "As dificuldades que 
tenho para escrever", seu leitor será um aluno cursando o segundo grau. No máximo20 linhas. 
 
Para lembrar: 
Não se critica ou reformula algo que não se conhece bem. 
Se não houvesse questionamento ainda viveríamos em cavernas. 
O diálogo (do grego dia =movimento através, logos =palavra) com o leitor é 
fundamental. 
É preciso antecipar os questionamentos possíveis do leitor, no sentido de manter um 
diálogo aprofundado e inteligente. 
Já para os gregos, a arte do diálogo tinha o sentido de convencer por meio da palavra. 
São muitas as ideias que permeiam nosso pensamento. Tudo o que você leu, viu e 
ouviu fazem parte do seu repertório pessoal. Como abordado anteriormente, há um 
conhecimento preexistente acerca dos fatos históricos, culturais e científicos em nossa cultura 
ocidental, compreendidos como verdadeiros. 
Aceitar ou não é uma questão de juízo de valores. Todo juízo de valor implica em 
outro que o questiona ou contradiz. 
 
 
 
 
 
 
8 
Saiba mais... 
 
Os juízos de valor, os juízos morais e as avaliações, tal como os hábitos e os 
costumes, ligam-se ao plano das convenções sociais, de acordo com a cultura e a moralidade de 
uma sociedade. Os juízos sobre a validade e a normatividade das ações são juízos de valor que 
fundamentam as normas e os deveres. Pronunciar um juízo, assim como categorizar uma 
pessoa, pronunciar uma sentença, elogiar ou injuriar alguém, dar uma ordem, constitui um ato. 
Pelo juízo, o indivíduo é capaz de decidir do bem e do mal, do belo e do feio, do justo e do 
injusto. 
FONTE: Disponível em: <http://www.infopedia.pt/$juizo-de-valor>. Acesso em: 24 set. 2011. 
 
Esse procedimento do pensamento em se questionar e contradizer chama-se dialético. 
É uma oportunidade de observar a realidade sob vários pontos de vista. Há três momentos no 
processo dialético do pensamento: 
A estrutura básica do texto que você escreve corresponde aos três momentos do 
raciocínio dialético. A princípio, há a introdução, ou seja, a descrição do tema ou ideia inicial. Em 
seguida, o desenvolvimento: O questionamento em relação à ideia inicial. Finalmente, a 
conclusão, ou seja, a união dos argumentos mais decisivos de cada ideia. 
As três partes que estruturam o texto, também podem ser denominadas: prólogo, corpo 
e epílogo; começo, meio e fim; introdução, miolo e final; primeira, segunda e terceira parte. O 
mais importante é compreender que um bom texto depende de uma boa estrutura. 
 
 
 
 
 
 
 
 
9 
Para lembrar: 
Dialética é um conceito que define a arte do diálogo. 
Saiba mais... 
Sobre alguns filósofos: 
 
A DIALÉTICA EM PLATÃO 
Para Platão a dialética é o único caminho que leva ao verdadeiro conhecimento. Pois a partir do método 
dialético de perguntas e respostas é possível iniciar o processo de busca da verdade. 
Em sua Alegoria da Caverna, Platão fala da existência de dois mundos: o mundo sensível e o mundo 
das ideias. Sendo o segundo alcançado apenas por meio da dialética, da investigação de conceitos. 
 
A DIALÉTICA EM HEGEL 
Em Hegel, a dialética se movimenta da seguinte forma: primeiro existe a TESE, que é a ideia, gerando 
uma ANTÍTESE, que se contrapõe à TESE, surgindo assim a SÍNTESE, que é a superação das anteriores. 
Hegel aplicava esse raciocínio à realidade e aos diferentes momentos da história humana. Desde as 
antigas civilizações do Oriente até a concepção de Estado Moderno, constando nesse ínterim, acontecimentos 
como o surgimento da filosofia, o iluminismo e a Revolução Francesa. Ou seja, a história estaria dividida em três 
etapas, correspondendo exatamente à TESE, ANTÍTESE e SÍNTESE. A SÍNTESE representa a superação da 
contradição. 
A DIALÉTICA MARXISTA 
Karl Marx reformula o conceito de dialética em Hegel, voltando-o para a sociedade, as lutas de classes 
vinculadas a uma determinada organização social, surgindo assim, a chamada: dialética materialista ou 
materialismo dialético. 
A dialética materialista une pensamento e realidade, mostrando que a realidade é contraditória ao 
pensamento dialético. Contradições estas, que é preciso compreender para então, transpô-las por meio da dialética. 
Marx fala da dialética sempre em um contexto de luta de classes, diferentes interesses, que geram a contradição. 
Sendo assim, o materialismo dialético é uma das bases do pensamento marxista. 
 
FONTE: Disponível em: <http://www.infoescola.com/filosofia/dialetica/>. Acesso em: 24 set. 2011. 
 
 
 
10 
Introdução, desenvolvimento e conclusão são as partes que estruturam um ensaio. 
O raciocínio dialético deve ser aberto para novas ideias, mas possuir valores sólidos 
para resistir aos questionamentos. 
A estrutura do texto é muito importante. É como a estrutura de um edifício, de uma 
casa etc. Imagine o que aconteceria se não existisse? 
O texto bem redigido certamente faz o seu leitor pensar sobre o assunto. Portanto, 
clareza e objetividade acerca do tema escolhido são fundamentais. As dificuldades iniciais para 
escrever o texto podem estar justamente na delimitação do tema. Às vezes, o tema escolhido 
pode ser amplo demais e uma delimitação se faz necessária a fim de evitar divagações – desvio 
do tema principal, digressões (HOUAISS, 2009). A delimitação da ideia central a ser 
desenvolvida se encontra geralmente logo na introdução. 
Ela pode ser explícita, quando o autor se faz presente no texto. Ex: "O que pretendo 
com esse trabalho é tecer algumas considerações…". Utilizam-se as primeiras pessoas do 
singular (eu) e do plural (nós) do verbo. A delimitação pode estar implícita, quando o autor não 
se faz presente, mas o leitor pode deduzir que o assunto está sendo delimitado. Ex:"Esta obra 
visa ensinar à todos que queiram aprender a redigir corretamente um texto…". 
Delimitado o tema, a introdução deve ser sucinta, apenas citando o argumento inicial. 
Não deve ultrapassar oito ou dez linhas, ou seja, um quinto do texto. Exceto em um ensaio curto 
(10, 15 linhas), cuja introdução pode se fundir com o desenvolvimento. Os demais argumentos, 
os dados, as ideias, o questionamento, entram no desenvolvimento do texto. 
Este é maior, ocupando três quintos do texto no mínimo. Aqui, você terá a 
oportunidade de mostrar toda sua capacidade de argumentação e exposição de ideias. Cuidado 
para não desviar do tema principal ou colocar opiniões desconexas. 
Você deverá pensar o desenvolvimento como uma ponte que levará o leitor da 
introdução à conclusão. Essa última deve ter um quinto do texto e encerrar a discussão. A não 
ser quando propositalmente, o autor queira deixar a conclusão para o próprio leitor. 
 
Para lembrar: 
A delimitação do texto seja implícita ou explícita deve ser decisão sua. Todavia, há 
 
 
11 
situações impessoais que pode parecer arrogância usar "eu acho, eu penso". No vestibular, por 
exemplo. 
Evite introduzir o texto com expressões muito usadas (lugar-comum), chavões. 
A introdução deve ser um convite ao leitor para continuar lendo o texto. 
Os argumentos do desenvolvimento devem surpreender o leitor. Suas ideias devem 
ser interessantes para atrair sua atenção. 
Quando a proporção do texto que você escreve não corresponder ao ensinado, você 
pode estar com problemas em delimitar o tema. Às vezes, terminamos "enchendo linguiça" ou o 
contrário: ficamos sem ter o que dizer. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
12 
2 COMO REDIGIR 
 
FIGURA 2 
 
 
FONTE: Disponível em: <http://www.google.com.br/search?hl=pt-
BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&sa=1&q=Como+redigir+reda%C3%A7%C3%B5es&oq=Como+redigir+re
da%C3%A7%C3%B5es&aq=f&aqi=&aql=&gs_sm=e&gs_upl=5837l9253l0l9394l9l9l0l8l8l0l329l329l3-1l1l0>. Acesso 
em: 17 set. 2011. 
 
Escrever é ter coisas para dizer (Darcy Ribeiro). 
 
Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer é porque um dos dois é 
burro (Mário Quintana). 
Corrigir uma página é fácil, mas escrevê-la, ah, amigo! Isso é difícil (Jorge Luis 
Borges). 
Escrever não é fácil ou difícil, mas possível ou impossível (Camilo José Cela). 
Euescrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria 
vida (Clarice Lispector). 
 
Para escrever bem é preciso uma facilidade natural e uma dificuldade adquirida 
(Joseph Joubert). 
http://www.google.com.br/imgres?q=Como+redigir+reda%C3%A7%C3%B5es&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=_4TGkJ0W4TFEMM:&imgrefurl=http://www.portalxp.net/dicas-de-como-escrever-bem-2/dicas-de-como-escrever-bem-redacao/&docid=CUiccBgILM6g_M&w=250&h=228&ei=NqtzTrmcCpGUtwfPqvmqAg&zoom=1
 
 
13 
Uns escrevem para salvar a humanidade ou incitar lutas de classes, outros para se 
perpetuar nos manuais de literatura ou conquistar posições e honrarias. Os melhores são os que 
escrevem pelo prazer de escrever (Lêdo Ivo). 
Escrever é sacudir o sentido do mundo (Roland Barthes). 
 
O ato de redigir 
Não tenhas medo das palavras grandes, pois se referem a pequenas coisas. 
Para o que é grande os nomes são pequenos: 
assim a vida e a morte, a paz e a guerra, a noite, o dia, a fé, o amor e o lar. 
Aprende a usar, com grandeza, as palavras pequenas. 
Verás como é difícil fazê-lo, mas conseguirás dizer o que queres dizer. 
Entretanto, quando não souberes o que queres dizer, 
usa palavras grandes, que geralmente servem para enganar os pequenos. 
 
Arthur Kudner. 
A redação para concurso/vestibular traz em si as bases de qualquer tipo de 
composição. Como, no entanto, ela se encontra a serviço de um objetivo próprio e bastante 
específico, seu estilo apresenta características peculiares, que a distinguem da redação literária, 
técnica ou rotineira. O texto para um concurso/vestibular tem função primordial de desenvolver 
ideias, sejam informativas, argumentativas, narrativas ou descritivas. Assim, o objetivo é que 
você adquira capacidade de expressar com competência suas ideias em redações organizadas, 
objetivas, claras e corretas gramaticalmente. 
 
 
 
 
14 
3 LINGUAGEM ORAL E LINGUAGEM ESCRITA 
 
 
FIGURA 3 
 
FONTE: Disponível em: <http://portalmultirio.rio.rj.gov.br/acordoortografico/u2a2.shtml>. Acesso em: 17 set. 2011. 
 
Comunicar-se é ação de tornar comum uma ideia. Ela ocorre de várias formas. 
Basicamente, o interesse neste curso é diferenciar bem a comunicação realizada por texto oral e 
por texto escrito. É comum o candidato levar para a prova características orais indesejadas. Em 
contato direto com o falante, a língua falada é mais espontânea, mais viva, mais concreta, 
menos preocupada com a gramática. Conta com vocabulário mais limitado, embora em 
permanente renovação. Já na linguagem escrita o contato entre quem escreve e quem lê é 
indireto. Por isso, exige permanente esforço de elaboração com maior preocupação em relação 
à correção gramatical, clareza, objetiva e estrutura textual. 
 
 
15 
3.1 Níveis de linguagem 
 
 
FIGURA 4 
 
FONTE: Disponível em: <http://www.concurseirosonlines.com/2010/06/download-apostila-de-tecnicas-de.html>. 
Acesso em: 17 set. 2011. 
 
A eficiência da comunicação depende do uso adequado do nível de linguagem. 
Certamente, você não escreveria da mesma forma um texto para um adulto e para uma criança. 
São pessoas com capacidade de entendimento diferente. Também o seu texto deve ser diferente 
para cada um deles. É necessário, assim, preocupar-se e muito com quem receberá o seu texto. 
A redação de uma prova ou concurso público é direcionada para um professor que domina 
corretamente as regras gramaticais e entende o assunto solicitado na prova. Assim, procure 
fazer uso de um nível de linguagem apropriado. Use uma linguagem formal e não a coloquial. 
Linguagem formal: utilizam-na as classes intelectuais da sociedade, mais na forma 
escrita e, menos, na oral. É de uso nos meios diplomáticos e científicos; nos discursos e 
sermões; nos tratados jurídicos e nas sessões do tribunal. O vocabulário é rico e são observadas 
as normas gramaticais em sua plenitude. 
O Supremo Tribunal Federal determinou o bloqueio imediato dos bens de todos os 
diretores envolvidos no escândalo do Banco do Brasil. A priori, a instituição deverá prestar 
contas dos gastos de seis diretorias que foram aliciadas por meio de propina para a liberação de 
verbas a agências publicitárias. 
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+N%C3%8DVEIS+DE+LINGUAGEM&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=cMVctXy8GKxJYM:&imgrefurl=http://www.concurseirosonlines.com/2010/06/download-apostila-de-tecnicas-de.html&docid=eCW0J7egHE9m7M&w=320&h=244&ei=sK9zTqDfNMe4tge72bjEDA&zoom=1
 
 
16 
Linguagem coloquial: utilizada pelas pessoas que, sem embargo do conhecimento da 
língua, servem-se de um nível menos formal, mais cotidiano. É a linguagem do rádio, da 
televisão, meios de comunicação de massa tanto na forma oral quanto na escrita. Emprega-se o 
vocabulário da língua comum e a obediência às disposições gramaticais é relativa, permitindo-se 
até mesmo construções próprias da linguagem oral. Observe um texto coloquial. 
Brother, dentro dessa nova edição do Concurso 500 testes tem tudo para que minha 
prova role na maior. Só de português são mais 800 questões. Ah, tem uma lista de livros e dicas 
para todos ficarem por dentro do que é moleza que caiu na prova. Vou encarar este estudo. 
 
3.2 A escolha da palavra 
 
FIGURA 5 
 
FONTE: Disponível em: <http://ideiasdapamc.wordpress.com/2010/11/05/escolha-as-palavras-certas/>. Acesso em: 
17 set. 2011. 
 
 
A palavra é o início da expressão. Então, não queira escrever textos longos de forma 
adequada sem antes observar o uso dos termos em seu texto. A escolha da palavra é o início de 
um bom texto. 
O termo exato a ser empregado deve levar em conta o leitor. Imagine o seu leitor. 
Trata-se de um desconhecedor do assunto a ser escrito, um especialista, uma pessoa com 
conhecimentos limitados de vocabulário, etc. A palavra adequada depende da capacidade de 
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+A+escolha+da+palavra&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=Uriz_DH4ipNbLM:&imgrefurl=http://ideiasdapamc.wordpress.com/2010/11/05/escolha-as-palavras-certas/&docid=oni3zoOtmhoNAM&w=420&h=273&ei=26xzToG5Ls-htwfygLnYDA&zoom=1
 
 
17 
compreensão do leitor. 
Assim, para expressar uma ideia é a escolha do termo adequado para indicar sua ideia 
de forma clara e objetiva. Dê sempre preferência ao termo menor e mais fácil de ser 
compreendido pelo leitor. Em geral, os concursos esperam do candidato uma prova com 
palavras pequenas, objetivas e em sentido denotativo. Em provas técnicas e específicas, é 
necessário muitas vezes recorrer ao uso específico. Por exemplo, em texto jurídico, certamente 
a banca examinadora observará a diferença de sentido entre "domicílio, residência e habitação" 
assim como em "posse, domínio ou propriedade". No entanto, isso ocorre em provas técnicas e 
não de maneira geral. 
 
Evite expressões como a seguir. 
 
1. Estribado no escólio do saudoso mestre baiano, o pedido contido na exordial não 
logrou agasalho. 
2. A peroração do discurso do advogado foi clara ao pedir a absolvição por legítima 
defesa. 
3. Procura o réu escoimar-se da Jurisdição Penal, por suas pueris alegações. 
4. Todas essas ações e querelas judiciais só têm por consequência mangrar o 
desenvolvimento da sociedade. 
5. Abreviaturas: Em nenhuma hipótese devem ser usadas abreviaturas. O mesmo, 
obviamente, não se aplica a siglas e símbolos. 
Ex.: p/ abreviatura 
INSS - sigla 
h - símbolo 
6. Cacofonia: O conjunto de palavras deve ser harmonioso. Por isso, evitam-se 
expressões como "Por cada", "a vez passada", "me jogou", "dormi já", "uma mão", ... 
7. Expressões que diminuem o impacto da novidade: 
 
 
18 
Ontem, manter, permanecer, continuar ... 
Se algo continua, permanece ou se mantém, não há nada de novo. Logo, não há 
informação; apenas, faticidade. 
8. Frases Negativas: Deve-se optar pela afirmação, tendo em vista a maior clareza e a 
maior certeza expressa por essa fórmula. 
Ex.:"A Previdência Social não irá pagar este ano o reajuste de 147% pretendidos pelos 
trabalhadores que não estão na ativa." 
Ex.: "A Previdência Social pagará apenas no próximo ano o reajuste de 147% 
pretendidos pelos aposentados." 
9. Orações Intercaladas: Deve-se optar pela ordem direta da frase e/ou do período 
(Sujeito + verbo + complementos + adjuntos adverbiais). 
Ex.: "O Presidente da República, que vai abrir a colheita nacional de arroz, na próxima 
quinta-feira, em Jaquarão, no interior, do Rio Grande do Sul, pretende anunciar um novo pacote 
para a agricultura." 
Ex.: O Presidente da República pretende anunciar um novo pacote agrícola na próxima 
quinta-feira, quando abrirá a colheita nacional de arroz em Jaguarão, Rio Grande do Sul. 
10. Eco: A ser evitado, ainda, vemos o eco, aproximação ou sequência de sons finais 
idênticos em uma oração. 
Ex.: "Cinquenta por cento de aumento", "elevação da inflação"... 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
19 
4 SENTIDO DENOTATIVO E CONOTATIVO 
 
FIGURA 6 
 
FONTE: Disponível em: <http://andarape.net/?cat=16>. Acesso em: 17 set. 2011. 
 
Saiba bem a diferença entre sentido denotativo e conotativo. Evite o sentido conotativo 
em sua redação. 
 
FIGURA 7 - SENTIDO DENOTATIVO 
 
FONTE: Disponível em: <http://veredasdalingua.blogspot.com/2011/06/denotacao-e-conotacao.html>. Acesso em: 
17 set. 2011. 
Sentido denotativo: é o uso de um termo em seu sentido primeiro, real, do dicionário. 
Ao pensarmos em joia, logo nos vem ao pensamento uma pedra preciosa ou algo semelhante. 
 
FIGURA - 8 
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+Sentido+denotativo+e+conotativo&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=xXDBOaEFPTuZdM:&imgrefurl=http://andarape.net/?cat=16&docid=wY91y12eYLOIaM&w=320&h=266&ei=n61zTs-NDse5tgeo8PyvAQ&zoom=1
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+Sentido+conotativo&hl=pt-BR&sa=G&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=cudsM7nxMD-WGM:&imgrefurl=http://veredasdalingua.blogspot.com/2011/06/denotacao-e-conotacao.html&docid=GBoJeCexhQuy2M&w=525&h=152&ei=yLBzTpn0AtC9tgfR6dmvDA&zoom=1&iact=rc&dur=4&page=2&tbnh=61&tbnw=212&start=19&ndsp=10&ved=1t:429,r:7,s:19&tx=103&ty=48
 
 
20 
 
FONTE: Disponível em: <http://www.analisedetextos.com.br/2010/04/utilidade-da-lingua-e-seus-sentidos.html>. 
Acesso em: 17 set. 2011. 
 
Na tirinha acima a expressão "pescoço de galinha" foi utilizada das duas formas: ao 
perguntar para alguém que trabalha em um açougue se lá tem pescoço de galinha o significado 
é denotativo no entendimento de quem recebeu ao telefone, mas na resposta, observamos que a 
palavra foi utilizada com valor conotativo para passar um trote. 
 
Sentido conotativo: é o uso de um termo em seu sentido figurado. Ao caracterizar 
alguém como uma pessoa "joia", houve uma transferência de sentido facilmente compreensível, 
mas inadequada para um concurso. 
 
 
 
 
 
 
 
http://1.bp.blogspot.com/_iuE-GxrAkVk/S7zjTOmbKDI/AAAAAAAA_2Y/YWnR0_6dzXg/s1600-h/A_ougue.JPG
 
 
21 
FIGURA 9 
 
FONTE: Disponível em: <http://www.alunosonline.com.br/portugues/denotacao-conotacao.html>. Acesso em: 17 set. 
2011. 
 
Evite também palavras que possam apresentar polissemia (vários sentidos no 
contexto), neologismos (criações artísticas ou inovadoras), arcaísmos (palavras em desuso) ou 
gírias. Nossa preocupação é apresentar uma ideia de forma clara e não produzir um texto 
literário. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+e+o+sentido+conotativo&hl=pt-BR&sa=G&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=hmDS2goOMSRukM:&imgrefurl=http://www.alunosonline.com.br/portugues/denotacao-conotacao.html&docid=SonikcDehiTv4M&w=315&h=313&ei=5Nh5TrbJHMXbgQfdgNG-AQ&zoom=1&iact=rc&dur=184&page=4&tbnh=155&tbnw=155&start=39&ndsp=10&ved=1t:429,r:0,s:39&tx=90&ty=110
 
 
22 
5 COMO ADQUIRIR BOM VOCABULÁRIO 
 
 
FIGURA 10 
 
FONTE: Disponível em: <http://boanoticia.com/redacao-como-fazer.html>. Acesso em: 17 set. 
2011. 
 
Para adquirir um bom vocabulário, o candidato deve buscar informações e vocabulário 
em revistas, jornais, palestras, etc. A leitura se torna fundamental. Não a leitura desatenta, 
interessada apenas em amenidades esporádicas ou no imediatismo da rotina. Leitura séria e 
continuada, com o auxílio de lápis e dicionário, a fim de marcar e procurar o sentido de palavras 
desconhecidas. Leitura para observar diferentes construções sintáticas e semânticas. 
Por fim, necessário se faz redigir, redigir, redigir. É de muita importância que a pessoa 
passe a praticar a escrita. Ao escrever, você se encontra na situação de escolher palavras e 
construções para expressar suas ideias. 
 
 
 
 
 
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+como+adquirir+vocabul%C3%A1rio&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=4qVMh55BE1IiMM:&imgrefurl=http://boanoticia.com/redacao-como-fazer.html&docid=xb1fEfc-iNjkSM&w=634&h=467&ei=aK5zTo_bENSXtwfo57WkDA&zoom=1
 
 
23 
5.1 O período adequado 
 
 
FIGURA 11 
 
FONTE: Disponível em: <http://garotas-nobre.blogspot.com/2010/05/como-redigir-uma-boa-redacao.html>. Acesso 
em: 18 set. 2011. 
 
Procure sempre frases curtas. Uma, duas ou, no máximo, três orações por período 
sintático. A frase curta tem várias vantagens. A primeira é diminuir o número de erros, 
principalmente em pontuação. A segunda é tornar o texto mais claro. A terceira é apresentar a 
ideia de forma mais objetiva. Vinícius de Moraes afirmava que "uma frase longa não é mais que 
duas curtas". Períodos longos geralmente estão associados a ideias incertas e facilitam falhas 
na compreensão. 
 
Qualidades de um bom período: 
 
1. Seja direto ao apresentar a ideia; 
2. Busque ser claro; 
3. Procure usar a ordem direta (sujeito-verbo-complemento) 
 
 
24 
4. Dê preferência à voz ativa; 
5. Construa seu texto com afirmativas; 
6. Evite gerúndio; 
7. Use até três verbos para formar seu período. 
 
1. Seja direto ao apresentar a ideia 
 
A prolixidade é um problema que compromete a escrita. Mas o que vem a ser um texto 
prolixo? 
A tendência deste tipo de produção é abusar da escrita, do prolongamento 
desnecessário do discurso, é o exagero de argumentos e de palavras. Isso não é bom, pois o 
texto fica confuso, monótono, entediante. 
O escritor não sabe a hora de parar, de pontuar, tampouco consegue organizar as 
ideias de maneira concisa e clara. 
 
2. Busque ser claro 
 
 
 
Você já fez alguma redação em que o comentário do corretor foi: Falta clareza das 
ideias, texto confuso, falta de coesão, parágrafo confuso? 
É muito ruim quando lemos algo e não entendemos com exatidão o que aquele escritor 
quis dizer. Os argumentos se emendam uns nos outros, uma nova ideia surge a cada vírgula e 
em um mesmo período, o parágrafo parece não ter mais fim! 
Uma redação é clara quando há transmissão do conteúdo ao interlocutor de maneira 
que este compreenda a mensagem. Logo, redações mais concisas, ou seja, objetivas, tendem a 
possuir mais clareza. 
 
 
25 
Se você tem dificuldade em estruturar bem seus pensamentos, utilize um rascunho. 
Leia sobre o assunto e busque na memória o conhecimento que já tem sobre ele. Então, reflita 
sobre o que vai escrever e como vai fazê-lo. Para isso, delimite o tema geral em um específico 
como, por exemplo: Tema geral: Amazônia, Tema específico: Manifesto Amazônia para sempre. 
Quando você restringe o tema, restringe também o que vai escrever. Não que o texto 
deva ficar pequeno, mas sim objetivo, a fim de que seja desenvolvido plenamente. O escritor 
também deve ficar atento ao número mínimo de 15 linhas e máximo de 30 ou 35 (dependerá do 
processo seletivo). 
O rascunho é muito importante, pois nele os erros poderão ser corrigidos antes de 
serem passados para a folha de redação definitiva. Quanto à clareza, tente cumprir com os 
seguintes aspectos: 
a) Faça frases curtas, pois períodos longos geralmente ficam confusos. 
b) Não tenteparecer mais culto, empregando palavras que desconhece, pois correrá o 
risco de errar quanto ao significado. Portanto, use palavras simples e precisas. 
c) Tenha cuidado com a ambiguidade, que é quando uma oração pode ter mais de um 
sentido: Peguei as chaves da Ana. (peguei as chaves que estavam com Ana ou as chaves que 
pertenciam a Ana?) 
d) Coesão: As partes devem estar interligadas, ou seja, relacionadas. Não comece 
falando de alguma coisa e parta para outra, sempre termine a ideia inicial sem delongas. Frases 
com muitas vírgulas são indício de falta de coesão. Outra questão é não tentar passar as ideias 
de acordo com o que vão aparecendo em sua mente, pois o fluxo mental é intenso. Na hora de 
escrever, concentre-se e sempre leia cada parágrafo que acabou de redigir para verificar se está 
claro! 
 
FONTE: Disponível em: <http://textoredacao.blogspot.com/2011/02/clareza-de-um-texto.html>. Acesso 
em: 17 set. 2011. 
 
O exemplo a seguir foi uma circular interna do Banco Central. Observe a falta de 
clareza do autor ao desejar apresentar a ideia. 
 
 
26 
Os parentes consanguíneos de um dos cônjuges são parentes por afinidade do outro; 
os parentes por afinidade de um dos cônjuges não são parentes do outro cônjuge; são também 
parentes por afinidade da pessoa, além dos parentes consanguíneos de seu cônjuge, os 
cônjuges de seus próprios parentes consanguíneos. 
Recebi há poucos dias uma mensagem eletrônica com exemplos do assunto que 
tratamos agora. Alguém coletou falhas de clareza na paróquia da cidade. Observe. 
Para todos os que tenham filhos e não o saibam, temos na paróquia uma área especial 
para crianças. 
Quinta-feira, às cinco da tarde, haverá uma reunião do grupo das mães. As senhoras 
que desejem formar parte as mães, devem dirigir-se ao escritório do pároco. 
Na sexta-feira, às sete, os meninos do Oratório farão uma representação da obra 
Hamlet, de Shakespeare, no salão da igreja. Toda a comunidade está convidada para tomar 
parte nessa tragédia. 
Prezadas senhoras, não esqueçam a próxima venda para beneficência. É uma boa 
ocasião para se livrar das coisas inúteis que há na sua casa. Tragam seus maridos. 
 
3. Procure usar a ordem direta (sujeito-verbo-complemento) 
 
A ordem direta facilita o entendimento. Certamente, você não a usará em todos os 
períodos. Em alguns momentos, é importante intercalar uma ideia ou antecipar um adjunto 
adverbial, por exemplo. No entanto, procure escrever em ordem direta, principalmente no início 
do parágrafo. 
Evite iniciar a redação com: “Nos dias de hoje...”; “Atualmente...”; “No Brasil...”. Evite 
também oração intercalada logo no início: “O governo Lula – como todos sabem – demonstra 
insegurança...”. 
 
4. Dê preferência à voz ativa 
 
 
27 
 
As construções em voz ativa demonstram que o sujeito é o agente da ação e dão 
firmeza ao pensamento. 
 
Adequado: O governo adotou a medida. 
Inadequado: A medida foi adotada pelo governo. 
 
Adequado: O cidadão deve combater a violência. 
Inadequado: A violência deve ser combatida pelo cidadão. 
 
Você deve usar voz passiva quando o sujeito paciente é mais importante do que o 
agente da passiva. 
 
Adequado: O Congresso foi invadido por manifestantes. 
Inadequado: Manifestantes invadiram o Congresso. 
 
Adequado: O Supremo decidiu o assunto. 
Inadequado: O assunto foi decidido pelo Supremo. 
 
5. Construa seu texto com afirmativas 
 
Apresente sua ideia com afirmativas sobre o tema. Diga o que é. Não o que não é. 
Evite usar o "não" em redações. 
Inadequado: Ele não acredita que o ministro chegue a tempo. 
 
 
28 
Adequado: Ele duvida que o ministro chegue a tempo. 
 
Inadequado: O presidente diz que não fará alterações na política econômica. 
Adequado: O presidente nega alterações na política econômica. 
 
6. Evite gerúndio 
 
FIGURA 12 
FONTE: Disponível em: <http://fiorellasozim.blogspot.com/2010_04_01_archive.html>. Acesso em: 18 set. 2011. 
 
Você consegue substituir o gerúndio por ponto em quase todas as situações. Observe 
o exemplo a seguir: 
 
 
 
 
 
 
 
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+ger%C3%BAndio&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=ty_J_GxG9aPmNM:&imgrefurl=http://fiorellasozim.blogspot.com/2010_04_01_archive.html&docid=Up9n_fzjwMUIRM&w=650&h=193&ei=jdZ5TsbML8jAgQfywpTJAQ&zoom=1
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+ger%C3%BAndio&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=ty_J_GxG9aPmNM:&imgrefurl=http://fiorellasozim.blogspot.com/2010_04_01_archive.html&docid=Up9n_fzjwMUIRM&w=650&h=193&ei=jdZ5TsbML8jAgQfywpTJAQ&zoom=1
 
 
29 
FIGURA 13 
 
FONTE: Disponível em: <http://www.revistaharmonya.com/materias.asp?id=127>. Acesso em: 18 set. 2011. 
 
 
Funcionários contratados pela empresa chegarão poderão cursar universidade no 
segundo semestre podendo, se forem estudiosos, concluir o curso em quatro anos, fazendo em 
seguida um curso de pós-graduação. 
 
Observe como fica melhor: 
A empresa contratou funcionários que poderão cursar universidade no segundo 
semestre do ano. Se forem estudiosos, concluirão o curso em quatro anos e, em seguida, fazer 
uma pós-graduação. 
Embora o gerúndio seja correto em diversas situações em nossa língua, procure evitar 
seu uso em redação. A tendência é o uso incorreto. Além do erro gramatical que geralmente 
provoca, o gerúndio costuma alongar as frases. O publicitário Ricardo Freire escreveu um 
manifesto "antigerundista". 
Este artigo foi feito especialmente para que você possa estar recortando, estar 
imprimindo e estar fazendo diversas cópias, para estar deixando discretamente sobre a mesa de 
alguém que não consiga estar falando sem estar espalhando essa praga terrível da comunicação 
moderna, o gerundismo. 
 
 
 
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+ger%C3%BAndio&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=Yf1tQ7e0FBiuEM:&imgrefurl=http://www.revistaharmonya.com/materias.asp?id=127&docid=wG34u4R8HaWgDM&w=350&h=147&ei=jdZ5TsbML8jAgQfywpTJAQ&zoom=1&iact=rc&dur=154&page=4&tbnh=88&tbnw=209&start=41&ndsp=10&ved=1t:429,r:1,s:41&tx=117&ty=11
 
 
30 
7. Use até três verbos para formar seu período 
 
O período longo é o principal erro em redação. Acredito que com prática e dedicação 
você perceberá como ele impede o bom texto. Observe o exemplo com período longo: 
Mesmo fervidas diariamente, as lentes de contato gelatinosas ficam impregnadas de 
sujeira, o que pode até causar conjuntivite, mas, desde o começo do ano, os míopes da 
Califórnia podem resolver o problema jogando as lentes no lixo, pois lá acabam de ser lançadas 
lentes descartáveis que custam apenas 2,5 dólares cada, que só em julho estarão disponíveis no 
Brasil. 
Veja como fica melhor: 
 
Mesmo fervidas diariamente, as lentes de contato gelatinosas ficam impregnadas de 
sujeira, o que pode causar conjuntivite. Desde começo do ano, porém, os míopes da Califórnia 
podem resolver o problema. Acabam de ser lançadas lentes descartáveis que custam apenas 
2,5 dólares cada. Em julho, elas estarão disponíveis também no Brasil. 
Muitas vezes, o período longo fragmenta o pensamento. Sem perceber, o autor acaba 
por tratar de diversos assuntos diferentes e sem continuidade. Veja um exemplo a seguir. 
Quando paramos para pensar sobre quem foi o responsável por todas as mazelas que 
sofremos nos últimos anos no Brasil, gerando desordem na área da saúde e da educação 
principalmente e poucos resultados eficientes na área do crescimento, aquele que permitiu que 
toda esperança se perdesse e fosse por água abaixo, deixando escapar uma oportunidade para 
o Brasil ocupar um assento permanente na ONU e em diversas representações internacionais 
importantes e não dando prosseguimento ao projeto de exportação de nossos produtos 
agropecuários, perdendo o foco do que realmente interessa para o povo brasileiro. 
Bom texto é texto objetivo e claro. O período curto facilita o entendimento rápidopor 
parte do leitor. O texto a seguir foi editorial do jornal Correio Braziliense. Observe a separação 
das ideias nos períodos. 
A União Europeia completa 50 anos hoje como a mais bem-sucedida experiência de 
integração regional do planeta. Quando a Guerra Fria começava a mergulhar Estados Unidos e 
 
 
31 
União Soviética numa era de auto-suficiência e competição, os europeus concretizavam sua 
aposta na cooperação como diferencial para enfrentar desafios do século 21. Os problemas do 
bloco são vários, mas os benefícios inegáveis dão a outros países duas importantes lições sobre 
desenvolvimento. 
 
1. Desenvolva um período inicial com as ideias sugeridas a seguir. 
 
O governo Dilma. 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
A violência no Brasil. 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
Brasil – País de contrastes 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
A importância da educação no desenvolvimento de uma nação. 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
 
32 
As tragédias naturais. 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
A violência urbana. 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
O voto: exercício de cidadania. 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
Ficha limpa. 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
Política e responsabilidade social. 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
 
 
 
33 
6 APRESENTAÇÃO DO PARÁGRAFO 
 
FIGURA - 14 
 
FONTE: Disponível em: <http://superreforco.blogspot.com/2011/05/tipos-de-introducao.html>. Acesso em: 24 set. 
2011. 
 
A folha em branco a sua frente, o tempo passando e o desespero tomando conta do 
candidato. Essa é uma cena que você vai presenciar em inúmeras pessoas no dia da prova, mas 
com dedicação é possível o candidato ficar tranquilo e confiante em suas ideias e no seu texto 
final. 
O primeiro parágrafo da redação dissertativa é a porta de entendimento para aquele 
que está lendo. É o parágrafo mais importante do texto. Nele, está contido o "tema" que será 
desenvolvido nos outros parágrafos. 
Não existe redação em concurso feita em dez minutos. A ideia e o texto devem seguir 
um processo de elaboração consistente e progressivo. Uma boa redação pede planejamento, 
organização. Escrever um texto não significa apenas preencher o papel com frases soltas. 
Escrever pressupõe uma série de operações anteriores. 
As qualidades de um parágrafo podem ser reunidas em quatro características: 
1. Clareza na abordagem inicial; 
2. Conteúdo argumentativo adequado; 
3. Unidade coerente e coesa entre as ideias; 
4. Objetividade. 
http://www.google.com.br/imgres?q=APRESENTA%C3%87%C3%83O+DE+par%C3%A1grafo+NA+REDA%C3%87%C3%83O&um=1&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&tbm=isch&tbnid=siYhpE3mRXOaFM:&imgrefurl=http://superreforco.blogspot.com/2011/05/tipos-de-introducao.html&docid=_rdY2N-n3Sul4M&w=227&h=200&ei=wvyFToShI5PAgQethJn6Cg&zoom=1
 
 
34 
 
FONTE: Disponível em: <http://estadualmarmeleiro.blogspot.com/2009_06_01_archive.html>. Acesso em: 18 set. 
2011. 
 
 
 
 
35 
MELHORES REDAÇÕES DO VESTIBULAR FUVEST 2005 
 
FONTE: Disponível em: <http://elieldepaula.com.br/blog/2008/09/dicas-para-uma-boa-redacao/>. Acesso em: 18 set. 
2011. 
Erro! A referência de hiperlink não é válida. 
FONTE: Disponível em: <http://elieldepaula.com.br/blog/2008/09/dicas-para-uma-boa-redacao/>. Acesso em: 18 set. 
2011. 
Erro! A referência de hiperlink não é válida. 
FONTE: Disponível em: <http://elieldepaula.com.br/blog/2008/09/dicas-para-uma-boa-redacao/>. Acesso em: 18 set. 
2011. 
 
 
36 
7 CONTEÚDO ARGUMENTATIVO 
 
FIGURA - 15 
 
FONTE: Redação dissertativa. Disponível em: <argumentativahttp://www.zun.com.br/redacao-dissertativa-
argumentativa/>. Acesso em: 18 set. 2011. 
 
A argumentação do candidato deve sempre fundamentar de maneira clara e 
convincente as ideias que apresentou na introdução. Sustentam-se os argumentos por meio de 
duas formas: evidência ou raciocínio. Imaginemos um tema para dissertação relacionado à 
industrialização. O candidato deve, então, posicionar-se frente ao tema. Observe a seguir com 
falha de argumentação. 
A industrialização é um fenômeno característico das sociedades modernas. 
Industrialização é criação de indústrias. As indústrias produzem bens de consumo e bens de 
produção. 
O Brasil está se industrializando. Existem países mais industrializados que o Brasil, 
como os Estados Unidos, Japão, Inglaterra, etc. Há outros atrasados, como o Paraguai e o Haiti, 
por exemplo. Algumas indústrias poluem o meio ambiente. Mas as indústrias dão emprego a 
muita gente. As indústrias se concentram nas regiões industriais. Enfim, a industrialização é a 
alma do progresso. 
Veja como o texto poderia ser bem argumentado. 
O estímulo à industrialização promovido pelo mundo globalizado apresenta 
conseqüências irrecuperáveis ao planeta e à sociedade. Se por um lado, é por meio do 
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+Conte%C3%BAdo+argumentativo&um=1&hl=pt-BR&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=yCF5bk3JJ03ayM:&imgrefurl=http://www.zun.com.br/redacao-dissertativa-argumentativa/&docid=lzTXr38xlu6oRM&w=500&h=333&ei=ojt3TqDBE8GRgQeQiok5&zoom=1
 
 
37 
desenvolvimento econômico industrial que os países obtêm recursos para financiar suas 
despesas e investir para uma qualidade de vida melhor para seus habitantes. Por outro, o 
crescente ritmo desorganizado de industrialização provoca danos ao meio ambiente que 
comprometem nosso futuro. 
Falha comum é a pessoa produzir um texto complexo em que o leitor perde a linha do 
raciocínio facilmente. Observe o exemplo a seguir. 
Para além das razões de método, pode-se aduzir à tolerância uma razão moral: o 
respeito à pessoa alheia. Também nesse caso, a tolerância não se baseia na renúncia à própria 
verdade, ou na indiferença a qualquer forma de verdade. Creio firmemente em minha verdade, 
mas penso que devo obedecer a um princípio moral absoluto: o respeito à pessoa alheia. 
As boas razões da tolerância não nos devem fazer esquecer que também a 
intolerância pode ter suas boas razões. Todos nós já nos vimos, cotidianamente, explodir em 
exclamações do tipo “é intolerávelque...”, “como podemos tolerar que ...”, etc. 
Nesse ponto, cabe esclarecer que o próprio termo “tolerância” tem dois significados, 
um positivo e outro negativo, e que, portanto, também tem dois significados respectivamente, 
negativo e positivo, o termo oposto. Em sentido positivo, a tolerância se opõe à intolerância em 
sentido negativo; e, vice-versa, ao sentido negativo de tolerância se contrapõe o sentido positivo 
de intolerância. Intolerância, em sentido positivo, é sinônimo de severidade, rigor, firmeza, 
qualidades que se incluem todas no âmbito das virtudes; tolerância em sentido negativo, ao 
contrário, é sinônimo de indulgência culposa, de condescendência com o mal, com o erro, por 
falta de princípios, por cegueira diante dos valores. É evidente que, quando fazemos o elogio da 
tolerância, reconhecendo nela um dos princípios fundamentais da vida livre e pacífica, 
pretendemos falar da tolerância em sentido positivo. 
Tolerância em sentido negativo se opõe a firmeza nos princípios, ou seja, à justa ou 
devida exclusão de tudo o que pode causar dano aos indivíduos ou à sociedade. Se as 
sociedades despóticas de todos os tempos e de nosso tempo sofrem de falta de tolerância em 
sentido positivo, as nossas sociedades democráticas e permissivas sofrem de excesso de 
tolerância em sentido negativo, de tolerância no sentido de deixar as coisas como estão, de não 
interferir, de não se escandalizar, nem se indignar com mais nada. 
Noberto Bobbio. A Era dos Direitos. 
 
 
38 
Todas as partes de um texto devem estar voltadas a um objetivo principal. Ao sair do 
parágrafo introdutório, deve o candidato acrescentar novas informações baseadas em 
argumentos sólidos e coerentes. A coerência é a manutenção da mesma referência escolhida 
pelo candidato no parágrafo inicial (a abordagem). Todas as partes do texto devem estar 
relacionadas a ela. Isso torna o texto claro e compreensível. 
 
O que deve ser apresentado em uma boa argumentação? 
 
1. Manter relação com a abordagem do texto; 
2. Apresentar informações novas, claras, corretas e coerentes; 
3. Não exemplificar apenas suas ideias; 
4. Ser objetivo; 
5. Lembre-se de que na argumentação é que fundamentamos nossa ideia. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
39 
8 COERÊNCIA E COESÃO ENTRE AS IDEIAS 
 
 
Um bom texto expressa uma boa relação entre as ideias. Observe que uma boa 
comunicação é aquela em que o receptor reconhece com facilidade o assunto tratado e o 
posicionamento do emissor. Para tal, o primeiro passo para uma boa redação é a unidade entre 
as ideias. Todas as ideias devem estar relacionadas a um foco principal, a uma intenção do 
comunicador. 
 
Primeiro período 
 
O primeiro período é fundamental para um bom parágrafo. Lembre-se de que o 
primeiro passo para que o parágrafo tenha unidade é a formulação de uma ideia inicial clara e 
objetiva. Se a primeira ideia não ficar clara, certamente as demais ficarão comprometidas ou 
sem relação entre si ou com a ideia central. Exemplo. 
Brasília é a capital do Brasil. A cidade é muita seca e alguns moradores reclamam 
disso. A cidade foi construída por um presidente que muita gente sente saudade dele. A cidade 
tem um lago e muitos parques, mesmo assim existe pouca área de lazer. Os principais órgãos 
do poder público estão em Brasília. Sendo assim, a cidade agrada a uns e não a outros. 
Como você pôde observar, as ideias estão relacionadas a Brasília, porém não 
apresentam uma ideia central, uma unidade. Encontram-se apenas informações soltas e não 
dando suporte a um posicionamento maior. 
De acordo com Siqueira (1990), "a unidade de um texto se define, em princípio, pela 
sua completude - sem o que o texto não poderá ser reconhecido em sua totalidade, nem por 
suas partes. 
 
 
 
 
40 
A primeira ideia apresentada no parágrafo deve ser definida para servir aos propósitos 
do parágrafo e do texto como um todo. 
 
Observe o parágrafo abaixo: 
 
O corpo humano divide-se em três partes: cabeça, tronco e membros. A cabeça é a 
mais importante de todas, pois contém o cérebro e os principais órgãos do sentido. O tronco 
aloja o coração, os pulmões, o estômago, os intestinos, os rins, o fígado e o pâncreas. 
Finalmente, os membros, que podem ser superiores (braços e mãos) e inferiores (pernas e pés). 
Como você percebeu, a ideia central está totalmente relacionada com as idéias dos 
demais períodos. É um parágrafo com unidade em que os períodos se completam. Os períodos 
devem se auxiliar e, mesmo apresentando ideias independentes, devem manter uma relação 
bem próxima. 
Exercício: 
Leia o texto. 
 
Destruir a natureza é a forma mais fácil de o homem se aniquilar da face da terra. 
Dizimando certas espécies de animais, por exemplo, interfere na cadeia alimentar, causando 
desequilíbrios que produzirão a extinção de seres essenciais à harmonia do planeta. Jogando 
diariamente toneladas de produtos químicos poluentes, o ser humano causa a destruição do 
meio ambiente. 
 
Qual a ideia principal? 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
 
 
41 
Quais as ideias secundárias que dão suporte à ideia principal? 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
42 
9 DICAS SOBRE CLAREZA TEXTUAL 
 
 
FIGURA 16 
 
FONTE: Disponível em: <http://textoredacao.blogspot.com/2011/07/dicas-para-arrasar-na-redacao-do.html>. Acesso 
em: 18 set. 2011. 
 
Torna-se relevante salientar que a escrita, consoante à concepção de muitos, é algo 
difícil em virtude de sua complexidade. Tal estigma relaciona-se a fatores distintos, desde a 
relação enraizada nas bases familiares até a conduta efetivada na educação formal. 
Atendendo ao propósito de sermos mais precisos no que se refere à afirmativa em 
evidência, a desenvoltura quanto à aptidão para a escrita ocorre de forma gradativa. Para isso, 
influências externas, tais como, incentivo, convivência pautada pelo emprego de um bom 
vocabulário, dentre outros, são fatores que incidem diretamente no perfil de um bom escritor. 
Neste ínterim, a figura do professor de Redação também ocupa lugar de destaque 
mediante a eficácia de procedimentos metodológicos que visem ao despertar do interesse pelo 
ato de redigir. Dentre os subsídios dos quais ele deverá usufruir é exatamente o estímulo no que 
tange a leitura, promovendo o processo de aquisição do conhecimento linguístico, bem como do 
conhecimento de mundo frente à realidade social circundante. 
Enfatizados todos os fatores que corroboram para a aquisição da referida competência, 
é chegado o momento de enumerar nossos argumentos, organizando-os por meio de nossas 
ideias e, finalmente, transpô-las para o papel, uma vez que essas precisam estar claras, 
coerentes e coesas. Mas não sem antes analisarmos alguns aspectos que, de forma negativa, 
http://www.google.com.br/imgres?q=reda%C3%A7%C3%A3o+Dicas+sobre+clareza+textual&um=1&hl=pt-BR&sa=G&biw=1152&bih=556&gbv=2&tbm=isch&tbnid=49pNukHhYZ-PHM:&imgrefurl=http://textoredacao.blogspot.com/2011/07/dicas-para-arrasar-na-redacao-do.html&docid=S5JTmfh_BMHltM&itg=1&w=267&h=200&ei=bTx3TqefMMfqgQf8kNnXDA&zoom=1
 
 
43 
podem comprometer o nosso discurso, aos quais devemos nos atentar constantemente. Dentre 
esses, destacamos: 
 
Coerência-coesão 
Coerência e coesão são fundamentais para o parágrafo. Enquanto a unidade seleciona 
as ideias, central e secundárias, escolhendo as mais importantes, a coerência organiza a 
sequência dessas ideias, de modo que o leitor perceba facilmente “como” elas são importantespara o desenvolvimento do parágrafo. Mesmo que todos os períodos do parágrafo estejam 
relacionados entre si, ou deem suporte à ideia central, se faltar a organização dessas ideias, o 
parágrafo será confuso, sem coerência. Ser coerente é ser organizado. A coesão é a relação 
adequada entre ideias ou vocábulos. 
 
Observe o texto abaixo: 
 
O São Paulo venceu muito bem os últimos três jogos que disputou. Semana passada, 
goleou o Flamengo por 5-1. Ontem, venceu mais uma vez: 4-0 no Vasco. 
 
Ele citou no período inicial três jogos e só abordou dois. Faltou coerência. Observe 
outro texto: 
 
A cidade do Rio de Janeiro já foi sede de três representações significativas do poder 
público: prefeitura municipal, governo estadual e governo federal. O governo estadual (...). A 
prefeitura municipal (...). O governo federal (...). 
 
Ele citou as três sedes em ordem crescente e abordou de forma desorganizada. Leia o 
texto a seguir: 
 
 
 
44 
Brasília é a melhor cidade do Brasil. A qualidade de vida apresenta dados que se 
destacam no cenário nacional: baixa criminalidade, alto poder aquisitivo e boas opções de lazer. 
Também o clima propicia agradáveis dias durante o ano inteiro. Infelizmente, muitas pessoas 
que moram aqui reclamam dos preços cobrados nos aluguéis de apartamentos apertados. 
 
O parágrafo aborda inicialmente uma visão positiva em relação à cidade e, no final, 
explora uma ideia contrária à ideia principal. 
As falhas de coesão estão quase sempre relacionadas a uso inadequado de 
conectivos ou pronomes anafóricos. Estude bem o uso das conjunções e dos pronomes relativos 
(porque, visto que, porquanto, posto que, conquanto, que, o qual, onde, aonde, etc.) e dos 
pronomes (este, esse, aquele). 
 
4. Objetividade 
 
O tempo disponível que se tem para escrever não permite que você perca tempo com 
coisas sem importância para o desenvolvimento de sua ideia principal. Mesmo aos argumentos e 
informações importantes, deve-se dedicar o tempo estritamente necessário. 
Ser objetivo é dizer apenas o que precisa ser dito. A objetividade textual se traduz 
mediante o uso de linguagem direta, sem rodeios ou preciosismos. Hoje há uma predominância 
da ordem direta, não se recomenda o uso de parágrafos longos com excessivos 
entrelaçamentos de incidentes e orações subordinadas que possam causar dificuldades à 
análise e ao entendimento do interlocutor. 
Mensagens concisas contribuem para que o candidato tire o máximo proveito do 
espaço no papel. As frases extravagantes nada acrescentam ao conteúdo. Pior: prejudicam. 
Em nome da concisão, é claro, não se devem sacrificar as ideias importantes nem 
eliminar as considerações pertinentes. O ideal está no perfeito equilíbrio entre os dados que se 
pediram e aqueles que se oferecem. Detalhes irrelevantes são dispensáveis: o texto deve ir 
direto ao que interessa, sem rodeios ou redundâncias, sem caracterizações e comentários 
supérfluos, livre de adjetivos e advérbios inúteis, sem o recurso à subordinação excessiva. A 
 
 
45 
seguir, um exemplo de período mal construído, prolixo: 
 
O assassínio do Presidente Kennedy, naquela triste tarde de novembro, quando 
percorria a cidade de Dallas, aclamado por numerosa multidão, cercado pela simpatia do povo 
do grande Estado do Texas, terra natal, aliás, do seu sucessor, o Presidente Johnson, chocou a 
humanidade inteira não só pelo impacto emocional provocado pelo sacrifício do jovem estadista 
americano, tão cedo roubado à vida, mas também por uma espécie de sentimento de culpa 
coletiva, que nos fazia, por assim dizer, como que responsáveis por esse crime estúpido, que a 
História, sem dúvida, gravará como o mais abominável do século. 
 
Nesse texto, há vários detalhamentos desnecessários, abusou no emprego de 
adjetivos (triste, numerosa, grande, jovem, etc.), o que lhe confere carga afetiva injustificável, 
sobretudo em texto oficial, que deve primar pela impessoalidade. 
 
O assassínio do Presidente Kennedy chocou a humanidade inteira, não só pelo 
impacto emocional, mas também por um sentimento de culpa coletiva por um crime que a 
História gravará como o mais abominável do século. 
 
 
A estrutura do texto 
 
Iniciaremos agora a adequação de sua ideia na organização de um texto para prova ou 
concurso. Em primeiro lugar, deve-se escrever apenas sobre o que o autor domina. Com base 
no tema solicitado pela banca examinadora, procure apresentar uma ideia principal com 
consistência, ou seja, com domínio claro e objetivo do assunto proposto. Muitas vezes, o 
candidato procura escrever sobre diversos assuntos ao mesmo tempo e acaba por produzir um 
texto confuso. A partir dos temas abaixo, procure apresentar uma ideia completa em apenas 
uma frase. 
 
 
46 
1. A corrupção no Brasil. 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
 
2. Brasil: país do futuro. 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
 
3. A importância da boa educação no desenvolvimento da nação. 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
 
4. Qualidade de vida e trabalho. 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
 
 
 
47 
5. A felicidade está em pequenas coisas. 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
 
6. O governo atual do Brasil. 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
_____________________________________________________________ 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
48 
10 COMPETÊNCIA TEXTUAL 
 
 
FIGURA 17 
 
FONTE: Disponível em: <http://alquimiadaspalavrassm.blogspot.com/2010/02/competencia-textual-o-que-e.html>. 
Acesso em: 24 set. 2011. 
 
Competência textual é a capacidade que alguém adquire pela prática constante e 
persistente em busca de uma expressão adequada. Escrever bem para prova e concurso é 
questão técnica. Talvez seja necessário ter dom para produzir literatura ou poesia. No entanto, 
não é o caso para uma prova. Ocorre que muitos desistem ou sequer praticam. Obtêm algum 
conhecimento teórico e desistem, sem ao menos continuar praticando, pois só com o tempo, 
perceberá melhora notável em seus textos. 
Ao escrever sobre os temas sugeridos anteriormente. Verifique se o que você escreveu 
apresenta ideia completa, correta gramaticalmente, clara, objetiva e coerente sobre o tema 
proposto. Caso perceba alguma falha, reescreva novamente. 
Após a definição da ideia, o parágrafo é o ponto de partida para uma boa redação. Não 
se faz um bom texto sem um bom parágrafo para sustentar as ideias principais e secundárias. 
Chegou a hora de fundamentar sua ideia. 
Uma boa redação é dividida em ideias relacionadas entre si ajustadas a uma ideia 
 
 
49 
central que norteia todo o pensamento do texto. Em uma livraria, encontramos um local todo 
dividido em áreas de interesse. Em um supermercado, há diversas divisões. Em uma escola, há 
espaço reservado paradiretoria, para os alunos, etc. Mesmo em nossa vida, temos horário para 
trabalho, descanso, alimentação. Também um bom texto necessita ter ideias bem divididas em 
parágrafos independentes entre si. Leia atentamente o texto abaixo. 
 
Texto I 
 
A política afina o espírito humano, educa os povos no conhecimento de si mesmos, 
desenvolve nos indivíduos a atividade, a coragem, a nobreza, a previsão, a energia, apura, eleva 
o merecimento. 
Não é esse jogo da intriga, da inveja e da incapacidade, a que entre nós se deu a 
alcunha de politicagem. Esta palavra não traduz ainda todo o desprezo do objeto significado. 
Não há dúvida que rima bem com ladroagem. Mas não tem o mesmo vigor de expressão que os 
seus consoantes. Quem lhe dará com o batismo adequado? Politiquice? Politicaria? Politicalha? 
Neste último, sim, o sufixo pejorativo queima como um ferrete, e desperta ao ouvido uma 
consonância elucidativa. 
Política e politicalha não se confundem, não se parecem, não se relacionam uma com 
a outra. Antes se negam, se excluem, se repulsam mutuamente. A política é a arte de gerir o 
Estado, segundo princípios definidos, regras morais, leis escritas, ou tradições respeitáveis. A 
politicalha é a indústria de explorar o benefício de interesses pessoais. 
Rui Barbosa 
 
 
 
 
 
 
 
50 
Indique a ideia central de cada parágrafo: 
 
Primeiro parágrafo: 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
Segundo parágrafo: 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
Terceiro parágrafo: 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
Texto II 
 
A demissão é um dos momentos mais difíceis na carreira de um profissional. A 
perda de um emprego costuma gerar uma série de conflitos internos: mágoa, revolta, 
incerteza em relação ao futuro e dúvidas sobre sua capacidade. Mesmo sendo uma 
 
 
51 
possibilidade concreta na vida de qualquer profissional, somos quase sempre pegos de 
surpresa pela notícia. Apesar de ser uma situação delicada, é possível, sim, transformar esse 
fantasma em algo bem menos assustador e, consequentemente, dar a volta por cima de 
forma mais rápida. 
Em primeiro lugar, é preciso ter consciência de que ninguém é intocável. Não no 
mercado competitivo de hoje. Esteja, portanto, preparado para essa possibilidade. Isso nada 
tem a ver com o pessimismo. Trata-se de manter os pés no chão e saber que as empresas 
trabalham com equipes cada dia mais enxutas. As mudanças acontecem em um ritmo 
frenético e há sempre risco de alguém não se adaptar a uma determinada filosofia. 
Em segundo lugar, não espere ser demitido para começar a pensar nessa 
possibilidade. Mesmo estando bem empregado, construa sua network. Ou seja: mantenha 
contato permanente com pessoas que possam ajudá-lo futuramente a uma possível colocação. 
“Geralmente, a pessoa só se lembra de que precisa desenvolver sua network quando está 
desempregada”, afirma Carlos Monteiro, diretor de recursos humanos. “Essa, no entanto, é uma 
lição de casa que deve ser feita todos os dias”. Ele recomenda ainda manter o currículo, 
permanentemente atualizado, criar o hábito de retornar todos os recados e responder aos e-
mails rapidamente. Em resumo, é fundamental ser acessível. Um exemplo disso foi a carta que 
Monteiro recebeu recentemente de um executivo que comunicava sua mudança de empresa. Ele 
falava do novo desafio em sua carreira e informava o número de seu novo telefone. “Ele tinha 
um novo emprego, mas nem por isso abandonou os contatos. O melhor momento para a network 
não é quando se precisa dela, mas quando se está bem colocado. Isso faz a demissão ser 
menos traumática”. 
 
Indique a ideia central de cada parágrafo: 
 
Primeiro parágrafo: 
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
 
52 
Segundo parágrafo: 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
Terceiro parágrafo: 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________ 
 
 
Modelos para organizar parágrafos dentro de um texto. 
 
Antes de iniciar o texto, procure fazer um esboço de como você apresentará a ideia na 
redação. É comum que o candidato escreva sem qualquer organização mental antes sobre a 
divisão dos parágrafos. Isso geralmente não é bom. 
 
Modelo A 
 
Um modelo básico muito aprendido nas escolas e útil para concursos tradicionais é 
imaginar seu texto com quatro parágrafos. O primeiro introduz a ideia e apresenta duas ideias 
que serão desenvolvidas na argumentação. Logo após vem a conclusão. 
 
 
 
53 
Texto 
 
A decisão do governo em negociar aumento de salário com os controladores de voo 
por causa da paralisação nos aeroportos abre um precedente perigoso para o bom 
funcionamento de serviços essenciais à população. Outras categorias podem ser sentir no direito 
de agir da mesma forma para exigir suas reivindicações. Também a hierarquia em órgãos – 
como a Aeronáutica - que asseguram a estabilidade é comprometida com atitudes precipitadas. 
Diversos sindicatos ameaçam organizar greve em busca de melhores salários. É o 
caso dos agentes e delegados da Polícia Federal. A classe, que já suspendeu suas atividades 
por 24 horas na semana passada, se mobiliza para recorrer à operação padrão ou mesmo 
paralisação total caso não obtenha reajuste salarial. Ao se dar conta das conseqüências do 
acerto com os controladores, o governo enfraquece seu poder de punição e compromete a 
segurança de setores fundamentais. 
Outro fato de relevante importância é o respeito às normas estabelecidas para o bom 
funcionamento das instituições. As forças armadas consideram qualquer movimento grevista por 
parte de seus membros – como é o caso dos controladores de voo - como motim e julgam os 
participantes por legislação penal militar própria. Não cabe ao governo interferir da forma como 
fez. Tal atitude enfraquece a autoridade militar diante de sargentos, tenentes e tantos outros 
militares que esboçam movimentos civis. 
A prudência nos orienta que o governo deve conduzir situações com mais rigor e 
respeito. Se houve falhas anteriores aos fatos, essas devem ser solucionadas com diálogo e 
negociação. Determinados serviços não podem ser paralisados em hipótese alguma, como é o 
caso dos controladores de voo, da assistência médico-hospitalar e da segurança. 
Modelo B 
 
O segundo modelo independe do

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes