UNIDADE_2A_ESCALAS_CARTOGRÁFICAS_GENERALIDADES
8 pág.

UNIDADE_2A_ESCALAS_CARTOGRÁFICAS_GENERALIDADES


DisciplinaCartografia1.164 materiais35.811 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS \u2013 UFAL 
INSTITUTO DE GEOGRAFIA, DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE - IGDEMA 
CURSOS DE GEOGRAFIA BACHARELADO E LICENCIATURA 
DISCIPLINA: CARTOGRAFIA \u2013 GEOB086 E GEOL087 - TURMAS A e B 
Professor: Sinval Autran Mendes Guimarães Júnior 
 
UNIDADE 2 - ESCALAS CARTOGRÁFICAS 
 
GENERALIDADES 
 
Qualquer representação cartográfica (mapas, cartas e plantas, etc.), está numa proporção 
definida com o objeto representado. Esta proporção é chamada de ESCALA; 
 
A Escala pode ser definida como a expressão numérica ou gráfica da proporcionalidade 
das dimensões reais do terreno, de uma área, ou de um objeto qualquer e as demais 
dimensões configuradas no mapa, na carta, na planta, no globo, na fotografia, na estátua, 
etc; Pode ser definida ainda, como a relação matemática entre as distâncias traçadas em 
um mapa (distâncias gráficas) e as existentes na natureza (distâncias reais). 
 
As escalas são utilizadas relacionando a medida real com a medida representada em 
documentos cartográficos (mapa, carta, planta e etc.). A escala é o fator de aproximação 
da realidade do terreno (distância real) expressa em um desses documentos (distância 
gráfica); 
 
A escolha da escala varia em função da: 
 
\uf0fc finalidade do mapa; 
\uf0fc sua própria conveniência. 
 
O uso da escala está na dependência do: 
\uf0fc número e acumulação de símbolos empregados; 
\uf0fc espaço a cobrir. 
 
No estágio de redação é a condição de: 
\uf0fc precisão; 
\uf0fc legibilidade; 
\uf0fc boa apresentação; 
\uf0fc eficiência do mapa. 
 
No plano da pesquisa e do levantamento de campo, a escala determina o nível de análise 
em função do espaço a cobrir e dos detalhes a atingir. 
 
 
2 
 
CLASSIFICAÇÃO DE ESCALAS QUANTO A REPRESENTAÇÃO: 
 
\uf0fc NUMÉRICAS OU FRACIONÁRIAS; 
\uf0fc GRÁFICAS: 
\uf0fc Simples ou ordinárias; 
\uf0fc Abertas 
\uf0fc Fechadas 
\uf0fc Conversão, binária ou múltipla; 
\uf0fc Composta, de deformações, de diagonais, decimal ou das transversais; 
\uf0fc Declividade; 
\uf0fc Hachuras; 
\uf0fc Cores. 
 
 
ESCALAS NUMÉRICAS OU FRACIONÁRIAS 
 
São apresentadas sob a forma de uma razão, onde o objeto de grandeza é representado 
pelo denominador da fração. Assim, quando dizemos que um determinado desenho está 
na escala 1: 100 000, o que significa dizer que o objeto ou grandeza é 100 000 (cem mil) 
vezes maior que o representado por esse desenho. Assim, o objeto ou grandeza está 
representado no mapa 100 000 (cem mil) vezes menor do que sua configuração real, ou 
seja, na superfície terrestre. 
 
Nesse sentido, observar-se: quanto MENOR for à escala, maior será a REDUÇÃO da 
representação da superfície terrestre e quanto MAIOR for à escala, MENOR será 
REDUÇÃO da representação da superfície terrestre, ao contrário do denominador da 
escala, onde se tem a seguinte relação: quanto MENOR o denominador da escala, 
MENOR será a REDUÇÃO da representação da superfície terrestre, e quanto MAIOR o 
denominador da escala, MAIOR será a REDUÇÂO da representação da superfície 
terrestre. 
 
Essa condição pode ser observada na folha seguinte, em diversas representações da 
cidade de Vitória e região do entorno, no Estado do Espírito Santo (Brasil) em escalas 
diferentes. Focando a visão nas ilhas, em especial, a do Boi e a do Frade, observa-se: 
quanto maior a escala e conseqüentemente o seu denominador, estas apresentam mais 
detalhadas, bem como as ilhas menores, o contorno do litoral e as vias de acesso. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
3 
 
Cidade de Vitória e região do entorno 
Estado do Espírito Santo (Brasil) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1cm= 4km=4000m 
E= 1:400 000 
 
 
 
 
 
 
1cm=1km=1000m 
E= 1:100 000 
 
 
 
 
 
 
1cm=0,2km=200m 
E= 1:20 000 
 
 
 
1cm=0,1km=100m 
E= 1:10 000 
 
4 
 
As representações abaixo são comparativas de uma distância real (L) segundo escalas 
(E) e comprimentos gráficos (l) diferentes, 1: 50 000= 5,0 cm, 1: 100 000= 2,5 cm e 1: 250 
000= 1,0 cm). Observa-se assim uma regra geral: quanto maior a escala maior o 
comprimento gráfico. 
 
 
 
 
 
 
5 
 
As escalas numéricas ou fracionárias são representadas pela fórmula geral e suas 
derivações abaixo: 
 
 Fórmula Geral 
 
 
 
 
 
 
Fórmulas Derivadas 
 
Onde: 
E= escala numérica; 
T= denominador da escala numérica; 
l = comprimento gráfico (no mapa).; 
L= comprimento real (na superfície terrestre); 
 
Alguns autores utilizam as seguintes denominações: 
E= Escala numérica; 
M ou U = Módulo ou Fator da escala resultante do quociente da expressão D:d=1/T 1/M ou 1/U. 
d= l= Distância Gráfica (no mapa); 
D=L= Distância Real (na superfície terrestre). 
 
Exemplo da expressão de uma escala numérica: 
 
E= 1:100 000 
 
E= 1/100 000 
 
 
Quanto à transformação as escalas são classificadas em natural, redução e 
ampliação. 
 
 
 
 
Escala Natural (T=1, L=l, e T=1) 
 
Escala de Redução (T>1, L<l e T>1) 
 
Escala de Ampliação (T<1, L<l e T<1) 
 
Formas de representação de escalas segundo mapeamento, tamanho, finalidade e 
categoria 
 
Mapeamento Tamanho Finalidade Categoria 
 
 
Detalhe 
 
1:50 a 
1:100 
Plantas arquitetônicas e de 
engenharia Grande 
 1:500 a 
1:25 000 
Plantas cadastrais Urbanas e projetos 
de engenharia 
Semi-detalhe (1) 
1:25 000 a 
1: 250 000 
Cartas topográficas 
 
Média 
 
Reconhecimento 
ou 
de síntese 
1:500 000 a 
1: 5 000 000 
Cartas geográficas (2) 
Pequena 
 Acima de 
1: 5 000 000 
Mapas políticos, atlas, planisférios e 
mapas-múndi 
Nota: (1) limitada a escala 1:100 000 e (2) a cartografia francesa utiliza-se a expressão cartas corográficas 
para escalas entre 1:200 000 e 1:500 000 
 T= L : l 
 
 
 l= L : T 
 L=l x T 
T 
l 
 L 
E = 
1 
= 
100 000 
E = 
1 
T 
l 
 L 
E = 
1 
= 
6 
 
ESCALAS GRÁFICAS 
 
Escala Gráfica Simples ou Ordinárias 
São representadas sob a forma de uma linha graduada seccionada em partes iguais, 
onde a sua representação gráfica corresponde ao numerador da fração. A primeira parte 
da escala gráfica corresponde ao talão, que permite a aproximação em décimos das 
dimensões do objeto representado no mapa. É representada sob a forma de uma linha 
graduada. Podendo ser abertas ou fechadas. 
 
Abertas 
 
 
 
Fechadas 
 
 
 
 
 
 
Escala Gráfica de Conversão, Binária ou Múltipla 
 
Consiste na indicação da relação entre duas unidades de medidas, permitindo a rápida 
conversão de uma parte para outra. Geralmente prevalece sempre nesta relação às 
unidades múltiplas e submúltiplas do metro, em especial, o quilômetro (km) relacionado à: 
passos, pés, milhas, polegadas, etc. Esse tipo de escala é comum nas cartas náuticas, 
representadas por uma graduação marginal. 
 
 
 
 
 
 
7 
 
Escala Gráfica Composta, de Deformações, de Diagonais, Decimal ou das 
Transversais 
 
Consiste na indicação dos mapas que apresentam deformações lineares, geralmente em 
pequenas escalas, abaixo de 1: 500 000, devido ao tipo de projeção cartográfica 
empregado na construção da rede de coordenadas geográficas (paralelos e meridianos). 
São exemplos os mapas geográficos na escala de 1: 1 000 000, que no plano, 
apresentam deformações lineares. São usadas também em cartas e plantas de grande 
escala, geralmente acima de 1: 10 000, na qual se destina a proporcionar maior precisão 
na leitura de medidas efetuadas sobre representações com aproximação de centésimos. 
A rigor, tal precisão será maior, quanto menor for o título ou denominador da escalas. 
 
 
 
 
 
 
Escala de Declividade 
Consiste na indicação em terceira dimensão, permitindo assim, medir inclinações de 
vertentes ou encostas e rampas de vias, quando da representação do relevo em curvas 
de nível. A graduação desse tipo de escala pode ser percentual (%) ou angular (graus) 
 
 
 
 
8 
 
Escala Gráfica de Hachuras 
 
Consiste na indicação pela correspondência das combinações das faixas de traços, que 
apresentam variações de um ou mais fatos ou fenômenos quantitativos configurados num 
mapa. Pode ser considerada como exemplo,